Sistemas agroalimentares sustentáveis e saudáveis: reflexões a partir da perspectiva agroecológica

Autores

  • Ligia Kochhan de Fraga Professora da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFP).
  • Larisse Medeiros Gonçalves Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFP).
  • Wilson Itamar Godoy Professor da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFP).
  • Marlete Turmina Outeiro Secretaria do Estado da Educação do Paraná.

Palavras-chave:

biodiversidade; segurança alimentar e nutricional; soberania alimentar e sustentabilidade.

Resumo

Um sistema alimentar saudável é aquele que, integrando o sistema produtivo agrícola e a nutrição, possibilita a produção e o consumo de alimentos nutritivos e acessíveis para todos, gerenciando adequadamente os recursos naturais, de modo a preservar os ecossistemas e garantir sustentabilidade, contudo, sob a ótica da ideologia neoliberal da globalização e do Estado mínimo, a alimentação, o mercado de terras e as empresas agroalimentares têm sido vistas como potenciais instrumentos financeiros, impactando negativamente sobre a sustentabilidade do sistema agroalimentar. Neste sentido, o presente trabalho tem como objetivo suscitar a reflexão acerca da insustentabilidade do modelo de produção agroalimentar hegemônico, os riscos associados à desconexão entre produção e consumo de alimentos, denotando a agroecologia como uma alternativa de produção sustentável em meio à crise socioambiental contemporânea. O presente manuscrito é um aporte teórico crítico, buscando lincar a literatura básica com artigos mais recentes. Apontamos entre as principais considerações inferidas aqui para a premência em se reestabelecer uma relação mais harmônica entre sociedade e natureza, superando o distanciamento e a ideia de domínio absoluto do homem sobre a natureza. Ademais, reconectar produção e consumo de alimentos é imprescindível, visto os inúmeros agravos à saúde e ao meio ambiente que se desenvolveram com a ascensão dos impérios agroalimentares e os riscos que ainda desconhecemos. Riscos à saúde, riscos ambientais, sociais e econômicos. Ao desconectar a produção do consumo de alimentos, perde-se a soberania alimentar, perdendo consequentemente a autonomia de escolha e a segurança alimentar e nutricional.

Biografia do Autor

Ligia Kochhan de Fraga, Professora da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFP).

Mestrado em Engenharia de Alimentos. 

Larisse Medeiros Gonçalves, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFP).

Mestrado em Agronomia (UTFP). 

Wilson Itamar Godoy, Professor da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFP).

Doutorado em Agronomia. 

Marlete Turmina Outeiro, Secretaria do Estado da Educação do Paraná.

Mestrado em Desenvolvimento Regional (UTFP). 

Referências

ALTIERI, M. A. Agroecology, small farms, and food sovereignty. Monthly review, v. 61, n. 3, p. 102-113, 2009.

ALTIERI, M. A. Agroecologia, agricultura camponesa e soberania alimentar. Revista NERA. Presidente Prudente, Ano 13, nº. 16 pp. 22-32 Jan-jun./2010.

ANTIQUEIRA, L. M. O. R.; SEKINE, E. S. Os" erres" pós pandemia: princípios para sustentabilidade e cidadania. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), v. 15, n. 4, p. 70-79, 2020.

AQUINO, A. M. de; ASSIS, R. L. de. Agricultura orgânica em áreas urbanas e periurbanas com base na agroecologia. Ambiente & sociedade, v. 10, n. 1, p. 137-150, 2007.

BECK, U. Sociedade de Risco: Rumo a uma outra modernidade. São Paulo: Editora 34, 2011.

BECK, Ulrich. A metamorfose do mundo: novos conceitos para uma nova realidade. Editora Schwarcz-Companhia das Letras, 2018.

BENVEGNU, V. C.; RADOMSKY, G. F. W. Entre o sucesso e o fracasso: desenvolvimento, sementes crioulas e transgênicas. Novos Cadernos NAEA, v. 23, p. 171-193, 2020.

BRASIL. Lei nº 7.802, de 11 de julho de 1989. Dispõe sobre a pesquisa, a experimentação, a produção, a embalagem e rotulagem, o transporte, o armazenamento, a comercialização, a propaganda comercial, a utilização, a importação, a exportação, o destino final dos resíduos e embalagens, o registro, a classificação, o controle, a inspeção e a fiscalização de agrotóxicos, seus componentes e afins, e dá outras providências. Brasília: Diário Oficial da União 1989.

BRASIL. Decreto nº 4.074, de 4 de janeiro de 2002. Regulamenta a Lei nº 7.802, de 11 de julho de 1989, que dispõe sobre a pesquisa, a experimentação, a produção, a embalagem e rotulagem, o transporte, o armazenamento, a comercialização, a propaganda comercial, a utilização, a importação, a exportação, o destino final dos resíduos e embalagens, o registro, a classificação, o controle, a inspeção e a fiscalização de agrotóxicos, seus componentes e afins, e dá outras providências. Brasília: Diário Oficial da União 2002.

BRASIL. Lei n° 11.346, de 15 de setembro de 2006. Cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – SISAN com vistas em assegurar o direito humano à alimentação adequada e dá outras providências. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). Brasília, 2006.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Marco de referência de educação alimentar e nutricional para as políticas públicas. – Brasília, DF: MDS; Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, 2012. Disponível em: https://www.cfn.org.br/wp-content/uploads/2017/03/marco_EAN.pdf Acesso em 11 abr. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – 2. ed., 1. reimpr. – Brasília: Ministério da Saúde, 2014.

CAPORAL, F. R. Agroecologia: uma ciência do campo da complexidade / Francisco Roberto Caporal (org.). José Antônio Costabeber. Gervásio Paulus. – Brasília, 2009.

CAPORAL, F. R; COSTABEBER, J. A.; PAULUS, G. Agroecologia: Matriz disciplinar ou novo paradigma para o desenvolvimento rural sustentável. Brasília, 2006.

CAPORAL, F. R.; COSTABEBER, J. A. Análise Multidimensional da Sustentabilidade: Uma proposta metodológica a partir da Agroecologia. Agroecol. e Desenv. Rur. Sustent., Porto Alegre, v.3, n.3, Jul/Set 2002.

CONTINI, Elisio et. al. Dinamismo da agricultura brasileira. Rev. de Política Agrícola. Ano XIX – Edição Especial de Aniversário do Mapa – 150 anos 42 jul. 2010. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/80771/1/Dinamismo-da-agricultura-brasileira.pdf Acesso em: 12 abr. 2021.

CORONA, H. M. P. O desenvolvimento rural e a agricultura familiar na RMC: da modernização à alternatividade à crise socioambiental. Informe Gepec, Toledo, v. 17, n. 1, p. 34-49, jan./jun. 2013.

DESA, G.; JIA, X. Sustainability transitions in the context of pandemic: an introduction to the focused issue on social innovation and systemic impact. Agriculture and Human Values, v. 37, p.1207–1215, 2020.

FERREIRA, Verona Borges et al. Estimativa de ingestão de agrotóxicos organofosforados pelo consumo de frutas e hortaliças. Cad. saúde colet. Rio de Janeiro, v. 26, n. 2, p. 216-221, jun. 2018.

FERGUSON, Bruce G. et. al. Masificación de la agroecología desde el huerto escolar. Cadernos de Agroecologia. Anais do VI CLAA, X CBA e V SEMDF – Vol. 13, N° 1, jul. 2018.

FLORIANI, D.; VERGARA, N. Hacia un pensamiento socioambiental: aproximaciones epistemológicas y sociológicas. Desenvolvimento e Meio Ambiente, v. 35, p. 11-27, dez. 2015.

FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS. Moving forward on food loss and waste reduction. 2019. 153p. Disponível em: <http://www.fao.org/3/ca6030en/ca6030en.pdf>. Acesso em:17/02/2021.

GEISSDOERFER, Martin. et al. The Circular Economy e A new sustainabilityparadigm? Journal of Cleaner Producon, v. 143, p. 757-768, 2017.

GIDDENS, A. As consequências da modernidade. São Paulo: ed. UNESP, 1991. 177p.

GIDDENS. A. O mundo em descontrole: o que a globalização está fazendo por nós. Rio de Janeiro: Editora Record, 2000.

GLIESSMAN, S. R. Agroecology. Roots of resistance to industrialized food systems. Agroecology: A transdisciplinary, participatory and action-oriented approach, p. 23-35, 2016.

GLIESSMAN, S. R. A vision for future food and agriculture systems. Journal Agroecology and Sustainable Food Systems. v. 44, P. Pages 137-138, 2019.

GLIESSMAN, S. R. Transforming food and agriculture systems with agroecology. Agriculture and human values, v. 37, p. 547-548, 2020.

GOMES, J. C. C. As bases epistemológicas da agroecologia. IN: CAPORAL, F.R.; AZEVEDO, E.O.de. Princípios e Perspectivas da Agroecologia. IFPR: Curitiba, 2011.

GONÇALVES, L. M. et al. Agrobiodiversidade, Agroecologia e Soberania alimentar: Considerações Acerca da Pandemia e o Alimento Sobre à Mesa. Cadernos de Agroecologia, v. 15, n. 4, 2020.

GONÇALVES, L. M. et al. Avaliação de um agroecossistema em transição agroecológica. 2020. Dissertação de Mestrado. Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

GONÇALVES, L. M. et al. Como agricultores familiares compreendem a agroecologia? Um estudo de caso em Vitorino-PR. Agricultura Familiar: Pesquisa, Formação e Desenvolvimento, v. 14, n. 2, p. 29-49, 2021.

HE, Z. et al. The emergy analysis of southern China agro-ecosystem and its relation with its regionais sustainable development. Global Ecology and Conservation, v. 20, p. e00721, 2019.

HIMANEN, P. Dignity as Development. In: CASTELLS, Manuel; HIMANEN, Pekka. Reconceptualizing development in the global informaon age. Oxford Press, 2014. Disponível em: . Acesso em: 18 de setembro de 2020.

IBGE, INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa de Orçamentos familiares 2017-2018. 2019. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/educacao/24786-pesquisa-de-orcamentos-familiares-2.html?edicao=28523&t=sobre Acesso em 08 set. 2020.

INSTITUDO NACIONAL DO CANCER (INCA). Agrotóxicos: causas e prevenção. 2020. Disponível em: < https://www.inca.gov.br/exposicao-no-trabalho-e-no-ambiente/agrotoxicos>. Acesso em:13/10/2020.

LEFF, E. Agroecologia e saber ambiental. Agroecologia e desenvolvimento rural sustentável, v. 3, n. 1, p. 36-51, 2002.

LEFF, E. Ecologia, capital e cultura: a territorialização da racionalidade ambiental. Editora Vozes, 2009.

LEFF, E. A aposta pela vida: imaginação sociológica e imaginários sociais nos territórios ambientais do Sul. Editora Vozes Limitada, 2018.

LEFF, E. Racionalidad ambiental. Aprendiendo a vivir en las condiciones de la vida1. Viraje hacia la vida: debates y reflexiones en torno a la sustentabilidad, p. 15, 2020.

MARTINELLI, S. S.; CORTESE, R. D. M.; CAVALLI, S. B. Contribuições de guias alimentares para uma alimentação saudável e sustentável. A Contribuição Brasileira à Segurança Alimentar e Nutricional sustentável. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2020.

MARTINELLI, S. S.; CAVALLI, S. B. Alimentação saudável e sustentável: uma revisão narrativa sobre desafios e perspectivas. Ciência & Saúde Coletiva, v. 24, n. 11, p. 4251-4261, 2019.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. MDS - SUS. Nutricionista indica alimentos que fortalecem o sistema imunológico. Disponível em: < https://www.unasus.gov.br/noticia/nutricionista-indica-alimentos-que-fortalecem-o-sistema-imunologico >. Acesso em: 08/03/2010.

MPOFU, E. COVID-19 crisis: time to reflect on how we live and interact with nature. Agriculture and Human Values, p. 1-2, 2020.

NOVAES, H. T. Reestruturação do campo e o fetichismo da “revolução verde”. Revista Ciências do Trabalho, v. 9, p.15-28, 2017.

NICHOLLS, C. I.; ALTIERI, M. A.; VAZQUEZ, L. Agroecology: principles for the conversion and redesign of farming systems. Journal of Ecosystems and Ecography S, v. 5, 2016.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A ALIMENTAÇÃO E A AGRICULTURA. ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DE SAÚDE. América Latina e Caribe Panorama da segurança alimentar e nutricional. Sistemas alimentares sustentáveis para acabar com a fome e a má nutrição. Chile. 2017. Disponível em: http://www.fao.org/3/ai6977o.pdf Acesso em: 12 de janeiro de 2021.

WHO. World Health Organization. Global Strategy on Diet, Physical Activity and Health. Geneva: WHO; 2004. [Eighth plenary meeting, Committee A, third report]. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.1177/156482650402500310 Acesso em: 01 abr. 2021.

PEREIRA, V. C.; KAUFMANN, M.P.; KUBO, R.R. As sementes crioulas e a agroecologia no âmbito da Segurança Alimentar e Nutricional. In: A Contribuição brasileira à segurança alimentar e nutricional sustentável [recurso eletrônico] / organizadores Potira V. Preiss, Sergio Schneider [e] Gabriela Coelho-de-Souza. – Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2020.

PROKOPY, L. S. et al. The urgency of transforming the Midwestern US landscape into more than corn and soybean. Agriculture and Human Values, p. 1, 2020.

PINTO, M. G. B. A constituição do sistema agroalimentar moderno e a emergência da agroecologia. O Público e o Privado. N. 32, jul/dez, 2018.

PLOEG, J. D. Van der. Camponeses e impérios alimentares: lutas por autonomia e sustentabilidade na era da globalização. Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 2008. 372 p. (Estudos Rurais).

ROCHA, J. D.; BURSZTYN, M. A. A importância da participação social na sustentabilidade do desenvolvimento local. Interações (Campo Grande), v. 7, n. 11, set. 2005.

ROCHA, C. Impactos à saúde humana causados pelos sistemas alimentares. p. 27 -56. In: A Contribuição brasileira à segurança alimentar e nutricional sustentável [recurso eletrônico] – Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2020.

ROSE, N.; LOURIVAL, I. Hegemony, counter-hegemony and food systems literacy: transforming the global industrial food system. Australian Journal of Environmental Education, v. 35, n. 2, p. 110-122, 2019.

SHILOMBOLENI, H. COVID-19 and food security in Africa: Building more resilient food systems. AAS open research, v. 3, 2020.

SCHNEIDER, S.; ESCHER, F. A contribuição de Karl Polanyi para a sociologia do desenvolvimento rural. In: Sociologias. Porto Alegre, ano 13, n.27. mai-ago. 2011, p.180-219.

TAQUES, R. C. V.; NEUMANN, P.; SOLAK, T. F. C. O consumo de carne, a crise climática e a saúde mundial pela perspectiva da Educação Ambiental complexa. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), v. 15, n. 4, p. 55-69, 2020.

TILMAN, D.; CLARK, M. Global diets link environmental sustainability and human health. Nature, v. 515, n. 7528, p. 518-522, 2014.

TRICHES, R. M. Reconectando a produção ao consumo: a aquisição de gêneros alimentícios da agricultura familiar para o Programa de Alimentação Escolar. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Rural) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Ciências Econômicas, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural, Porto Alegre, 2010.

UPADHAYAY, J. et al. Impact of Pesticide Exposure and Associated Health Effects. Pesticides in Crop Production: Physiological and Biochemical Action, p. 69-88, 2020.

ZANONI, M. A questão ambiental e o rural contemporâneo. Desenvolvi¬mento e Meio Ambiente, n. 10, p. 101-110, 2004. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/made/article/view/3098 Acesso em 08 jan. 2021.

Downloads

Publicado

2022-03-15