Os rankings acadêmicos e suas relações com os ODS: estudo de caso na Universidade Federal do Tocantins

Autores

  • Michele Silva Costa Sousa Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da Universidade Federal do Tocantins (UFT).
  • Waldecy Rodrigues Professor do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da Universidade Federal do Tocantins (UFT)
  • Airton Cançado Professor e Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da Universidade Federal do Tocantins (UFT)

Palavras-chave:

Indicadores. Ensino Superior. Internacionalização. Pós-graduação. Desenvolvimento Regional.

Resumo

Desde os anos 2000, proliferou a criação de rankings acadêmicos, cada qual com sua metodologia, uso de critérios e métricas na tentativa de direcionar o que se considera qualidade no ensino superior. No entanto, nem sempre é possível mensurar de forma equitativa as universidades. Uma alternativa criada foi o Times Higher Education Impact Rankings com a proposta de avaliar o impacto das universidades no combate à pobreza, o fomento a igualdade de gênero e ações de mitigação climática, dentre outras temáticas atreladas as metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Neste contexto, o objetivo deste estudo é analisar os rankings acadêmicos e suas relações com os ODS em um estudo de caso na Universidade Federal do Tocantins (UFT), localizada na região Norte brasileira, por meio da análise de documentos secundários. A conclusão que se chega é que mesmo diante da criação de um ranking atrelado aos ODS, a UFT e as universidades da região Norte continuam a serem excluídas. O resultado apresenta que estas instituições não conseguem ainda se enquadrar nos padrões propostos pelo ranking.

Biografia do Autor

Michele Silva Costa Sousa, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da Universidade Federal do Tocantins (UFT).

Doutoranda em Desenvolvimento Regional (PPGDR-UFT). 

Waldecy Rodrigues, Professor do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da Universidade Federal do Tocantins (UFT)

Doutorado em Sociologia (UnB) e Pós-Doutorado em Economia (UnB).

Airton Cançado, Professor e Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da Universidade Federal do Tocantins (UFT)

Doutor em Administração (UFLA). . Email: 

Referências

ALTBACH, P. The dilemmas of ranking. International Higher Education, n. 42, p. 23, 2015.

ATLAS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO. Ranking – IDH Educação. 2017. Disponível em: < http://www.atlasbrasil.org.br/ranking>. Acesso em 12 mar. 2021.

OULTON, G; LUCAS, C. What are universities for? Chinese Science Bulletin. v. 26, n.23, p.2506-2517, 2011.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996.

BRASIL. Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 15 abr. 2004.

FOPROP - Fórum Nacional de Pró-Reitores de Pesquisa e Pós-graduação das IES brasileiras – Regional Norte-Amazônia Legal. Carta da Amazônia 2020/2030. 2020. Disponível em: <http://www.foprop.org.br/uploads/downloads/2020_10_20/CARTA-2020-2030-FOPROP-NORTE.pdf>. Acesso em: 12 mar. 2021.

LEAL, F. G; STALLIVIERI, L; MORAES, M. C. B. Indicadores de internacionalização: o que os rankings acadêmicos medem? Revista Interacional de Educação Superior, v.4 [54], n.1 p.52-73, 2018.

GONÇALVES, A.; CALDERON, A. I. Academic rankings in higher education: trends of international scientific literature. Revista Diálogo Educacional, v. 17, p. 1125-1145, 2017.

INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Ministério da Educação. Notas estatísticas do Ensino Superior 2019. INEP: Brasília, 2019. 32p. Disponível em: https://bit.ly/3qXhQoH. Acesso em: 26 fev. 2021.

KING, R. Governing universities globally: organizations, regulation and rankings. Cheltenham, UK; Northampton, MA: Edward Elgar, 2009.

KNIGHT, J. International universities: misunderstandings and emerging models? Journal of Studies in International Education, v. 19, n. 2, p. 1-15. 2015.

LAGE, T. S. R. Políticas de internacionalização da educação superior na região norte do Brasil: uma análise do Programa Ciência sem Fronteiras. 183 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional), Universidade Federal do Tocantins (UFT), Palmas, Tocantins, 2015.

LÜDKE, M; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

NUNES, E; FERNANDES, I. Rankings internacionais: a irresistível polêmica em torno de seus sentidos e metodologias. Revista Ensino Superior, n.12, 2014.

OECD - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. What are the returns on higher education for individuals and countries? 2012. Disponível em:< https://www.oecd-ilibrary.org/education/what-are-the-returns-on-higher-education-for-individuals-and-countries_5k961l69d8tg-en>. Acesso em 19 mar. 2021.

PÉREZ-ESPARRELLS, C; LOPEZ, A, g. Rankings de instituciones de educación superior: panorama internacional. Calidad en la Educación, v. 30, p. 328-343, 2009.

UFT – Universidade Federal do Tocantins. Histórico da UFT. 2021. Disponível em: <https://ww2.uft.edu.br/index.php/acessoainformacao/institucional/historia>. Acesso em: 13 de mar. 2021.

RIGHETTI, S. Qual é a melhor? Origem, indicadores, limitações e impactos dos rankings universitários. 230f. Tese (doutorado em Política Científica e Tecnológica). Universidade de Campinas (Unicamp), Campinas, 2016.

__________. ODS aplicados à avaliação educacional reacendem debate: afinal, o que é uma boa universidade? COMCIÊNCIA (Unicamp), v. 208, p. 1, 2019.

RUF - Ranking Universitário Folha. Ranking de Universidades. 2019. Disponível em: <https://ruf.folha.uol.com.br/2019/ranking-de-universidades/principal/>. Acesso em: 19 mar. 2021.

SANTIN, D. M; VANZ, S. A. S; STUMPF, I. R. C. Internacionalização da produção científica em Ciências Biológicas da UFRGS: 2000-2011. TransInformação, Campinas, v.27, n.3, p. 209-218, 2015.

SANTOS, S. M; NORONHA, D. P. O desempenho das universidades brasileiras em rankings internacionais. Em Questão, Porto Alegre, v. 22, n. 2, p. 186-219, 2016.

SOUSA, M. S. C. Práticas de letramentos e o processo de internacionalização de Programas de Pós-graduação na UFT. 129 f. Dissertação (Mestrado em Letras). Universidade Federal do Tocantins, Porto Nacional – TO, 2019.

SOUSA, M. S. C; FUZA, A. F. A temática “internacionalização” e sua relação com o contexto acadêmico. Humanidades & Inovação, v.7, n. 8, p. 1-17, 2020.

SUMARES, G. Ranking de impacto social coloca USP entre as 20 melhores universidades do mundo. 2020. Disponível em: < https://www.estudarfora.org.br/ranking-the-metas-onu/>. Acesso em: 19 mar. 2021.

THE – Times Higher Education. THE Impact Rankings 2020: methodology. 2020. Disponível em: <https://www.timeshighereducation.com/impact-rankings-2020-methodology>. Acesso em: 13 mar. 2021.

UNESCO - Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Rankings and accountability in higher education uses and misuses. UNESCO, 2013. UFT - Universidade Federal Do Tocantins. UFT é listada em ranking internacional que avalia impacto das universidades com os ODS. 2021. Disponível em: <https://ww2.uft.edu.br/index.php/ultimas-noticias/29411-uft-e-listada-em-ranking-internacional-que-avalia-impacto-das-universidades>. Acesso em: 10 maio 2021.

INCKE, P. University rankings. In: DEHON, C; JACOBS, D; VERMANDELE, C. (orgs). Ranking universities. Editions de L’Universite de Bruxelles, 2009. p.11-26.

VIEIRA, R. C; LIMA, M. C. A busca pelo selo “universidade classe do mundo” e os rankings acadêmicos globais. Interfaces Brasil/Canadá, v.16, n.1, 97-116, 2016.

Downloads

Publicado

2021-12-30

Edição

Seção

Artigos