Índice de saneamento básico em áreas urbanizadas: estudo de caso no município de Tarrafas/CE

Autores

  • Alvaro Araujo de Moraes Universidade Federal do Ceará (UFC).
  • Anielle dos Santos Brito Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil (Saneamento Ambiental) da Universidade Federal do Ceará (UFC)

DOI:

https://doi.org/10.26767/colóquio.v18i4.2209

Resumo

Com o desenvolvimento urbano e a necessidade de infraestrutura de saneamento básico, surgem as legislações ambientais, assegurando os direitos de toda a população de viverem em um local que esteja ecologicamente estável e que proporcione o bem-estar social de todos. Com isso, a existência de indicadores que auxiliem na avaliação do ambiente é uma ferramenta de grande eficiência, pois esta é imparcial. O objetivo geral deste trabalho é verificar as condições socioambientais em áreas urbanizadas no município de Tarrafas–CE, com o auxílio de indicadores de saneamento básico, como objetivos específicos realizar o levantamento da população de cada bairro, desenvolver o cálculo do Índice de Saneamento Básico, apontar as principais deficiências encontradas nos bairros e realizar o cálculo do ISB com dados fornecidos por outras fontes. Portanto, foi realizado a delimitação de cada bairro, em seguida o cálculo da amostra por bairro, o cálculo do ISB e por fim o cálculo do ISB teórico. O resultado final do ISB todos os bairros analisados apresentaram valores que os colocaram na condição “Básica”, consequentemente colocando a zona urbana nessa mesma condição. No cálculo do ISB teórico, o município também se encontra na condição “Básica”, o colocando em igual condição aos municípios vizinhos.

Biografia do Autor

Alvaro Araujo de Moraes, Universidade Federal do Ceará (UFC).

Engenheiro Civil. Especialização em Gerenciamento da Construção Civil na Faculdade Paraíso do Ceará.

 

Anielle dos Santos Brito, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil (Saneamento Ambiental) da Universidade Federal do Ceará (UFC)

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil (Saneamento Ambiental) na Universidade Federal do Ceará (UFC).

Referências

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Estudo de concepção de demais sistemas de esgoto. Rio de Janeiro, 1986.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em:http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/18078.htm. Acesso em: 18 abr. 2019.

________. Lei n° 11445, de 5 de janeiro de 2007. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/lei/l11445.htm. Acesso em: 28 de fev. 2019.

________. IBGE. Censo Demográfico 2010. Disponível em:<http://www.ibge.gov.br>. Acesso em: 24 fev. 2019.

BOS, R. et al. Manual sobre os direitos humanos à água potável e saneamento para profissionais. 2017. Disponível em: https://iwa-network.org/wp-content/uploads/2017/12/9781780408750.full_.pdf. Acesso em: 20 maio 2019.

DIAS, Marion Cunha. Índice de salubridade ambiental em áreas de ocupação espontânea: estudo em Salvador, Bahia. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/21690/1/dis_marion_c_dias.pdf. Acesso em: 23 abr. 2019.

FILHO, O. S. et al. Projeto Estiva: uma iniciativa de gestão de resíduos sólidos urbanos em comunidades de baixa renda. 2017. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/ojs/elo/article/view/1206/643. Acesso em: 21 maio 2019.

G1-CE. Ceará tem 81% das casas com água disponível diariamente e 44% com saneamento. 2018. Disponível em: http://g1.globo.com/ce/ceara/noticia/ceara-tem-81-das-casas-com-agua-disponivel-diariamente-e-44-com-saneamento.ghtml. Acesso em: 01 fev. 2019.

IPECE – INSTITUTO DE PESQUISA E ESTRATÉGIA ECONÔMICA DO CEARÁ. Perfil Básico Municipal 2017 - Tarrafas. Ceará, 2018.

INFOSANBAS. Portal em desenvolvimento para visualização de dados abertos sobre saneamento. 2018. Disponível em:< http://infosanbas.org.br/municipio/tarrafas-ce/>. Acesso em: 20 maio de 2019.

MARINHO, I. R. S.; NASCIMENTO, I. G. Avaliação do saneamento urbano de Macapá através do índice de qualidade do saneamento ambiental. Disponível em:http://www2.unifap.br/cambientais/files/2014/08/AVALIA%C3%87%C3%83O-DO-SANEAMENTO-URBANO-DE-MACAP%C3%81-ATRAV%C3%89S-DO-%C3%8DNDICE-DE-QUALIDADE-DO-SANEAMENTO-AMBIENTAL.pdf. Acesso em: 05 abr. 2019.

MARTINS, Gilberto de Andrade. Estatística Geral e Aplicada. 3 ed. São Paulo: Atlas, 2006.

MENDONÇA, M. P.; FRANCESCHINELI, M. Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente de Valença-BA. Disponível em: http://codemava.blogspot.com/p/membros.html. Acesso em: 28 abr. 2019.

NUNES, E.S.; FERREIRA, F. D. G; SOUSA, E. P. Desempenho da provisão dos serviços de saneamento básico no Ceará. Revista Estudo e Debate, Lajeado, v. 25, n.1, abril. 2018.

SAIANI, C. C. S.; JÚNIOR, R. T. Restrições à expansão dos investimentos no saneamento básico brasileiro. Revista Econômica do Nordeste, Fortaleza, v. 37, n. 4, out/dez. 2006.

SILVA, N. V. S. As condições de salubridade ambiental nas comunidades periurbanas da bacia do Baixo Gramame: diagnóstico e proposições de benefícios. Disponível em: http://hidro.ufcg.edu.br/twiki/pub/Rehisa0/DocPublicacoes/Dissertao_Nayra_Setembro2006. pdf. Acesso em: 15 abr. 2019.

SOUSA, A. K. L. Sustentabilidade Rural: estudo de caso no município de Crato, Ceará. 2015. 36 f. TCC (Graduação) - Curso de Engenharia Civil, Universidade Federal do Cariri, Juazeiro do Norte, 2015.

TARRAFAS. Prefeitura Municipal de Tarrafas. 2019 Disponível em: http://tarrafas.ce.gov.br. Acesso em: 22 abr. 2019.

TARRAFAS. Prefeitura Municipal de Tarrafas. Lei Municipal Nº 245, de 3 de dezembro de 2007. Cria o Conselho Municipal de conservação, Defesa e Desenvolvimento do Meio Ambiente – CODEMA. 2007. Disponível em: https://files1.ciebit.com/tarrafas/b15f61763e6f0e61f305ee5c1ee8e8db.pdf. Acesso em: 22 abr. 2019.

Downloads

Publicado

2021-10-01

Edição

Seção

Artigos