Cooperativismo e o processo de desenvolvimento territorial da região Noroeste do Rio Grande do Sul

Autores

  • Nelson José Thesing Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ). https://orcid.org/0000-0001-7123-0717
  • Airton Rodrigues da Silva Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ).
  • Pedro Luís Büttenbender Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ). https://orcid.org/0000-0002-7011-8552
  • Sérgio Luis Allebrandt Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ).

Palavras-chave:

Território, Cooperativismo, Desenvolvimento Regional.

Resumo

O artigo aborda a contribuição das experiências cooperativistas, na formação e no desenvolvimento do território, na região Noroeste do Rio Grande do Sul. Parte do princípio de que essas experiências cooperativadas ocorreram de forma mais intensa em dois momentos históricos, nos séculos XVII e XVIII, com as Reduções Jesuítico-Guaranis e no século XX, com o processo de colonização dos descendentes de europeus. Desta forma, o objetivo geral da pesquisa consiste em analisar as contribuições do cooperativismo no processo de desenvolvimento da região, ao verificar os múltiplos olhares sobre o território e as territorialidades. Busca-se compreender os elementos que compõem as comunidades locais, a formação histórica dos sujeitos que transformam a região, contemplando as diferentes culturas: nativos, caboclos e europeus. Os fatores endógenos e exógenos no desenvolvimento possuem os aportes do cooperativismo. Para responder aos desafios, o estudo conta com a pesquisa bibliográfica, documental, descritiva, qualitativa, análise de conteúdo. Os achados da pesquisa indicam que os princípios do cooperativismo moderno, sistematizados pelos Pioneiros de Rochdale, são possíveis de serem identificados na cultura regional, séculos antes do movimento de Rochdale, em virtude das fortes influências jesuíticas. No entanto, a formação e o desenvolvimento da região, apresenta conflitos não só entre as culturas, mas fundamentalmente pelo processo da divisão social do trabalho, categoria que se move em todas as escalas, o que desafia a compreensão das heterogeneidades, hierarquias e especializações intra e inter escalas. Por outro lado, a pesquisa identificou as organizações de associações e cooperativas na região, como agentes de mediação entre a sociedade e a natureza, ente o mercado e o Estado, pela busca permanente do desenvolvimento regional.

Biografia do Autor

Nelson José Thesing, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ).

Doutorado em Integração Regional (UFPEL). Professor do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da UNIJUÍ.  

Airton Rodrigues da Silva, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ).

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da UNIJUÍ.

Pedro Luís Büttenbender, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ).

Doutorado em Administração. Professor do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da UNIJUÍ.  

Sérgio Luis Allebrandt, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ).

Doutorado em Desenvolvimento Regional (UNISC). Professor do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da UNIJUÍ. 

Referências

ALVES-MAZZOTTI, A. J.; GEWANDSZNAJDER, F. (1998) O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa. 2.ed. São Paulo: Pioneira.

ANDRADE, M.M. de. (2006). Introdução à Metodologia do Trabalho Científico. São Paulo: Atlas.

BARDIN, L. (2010). Análise de conteúdo. Edições 70, Lisboa – Portugal.

BECKER, D.f. (Org.). (2002) Pró-RS II – por uma organização social pró-desenvolvimento do Rio Grande do Sul. Santa Cruz do Sul (RS): EDUNISC.

BLUMERS, T. (1992) La contabilidad en las reducciones guaraníes. Centro de Estudios Antropológicos, Universidad Católica.

Botelho, L.L.R.; SCHERER, L.; SCHOMMER, J.A.; DIECHETI, H.; WUERGES, A. F. E. Catadores de Materiais Recicláveis no Município de Cerro Largo (RS): perspectivas através do trabalho e o papel da ITCEES - UFFS (Incubadora Tecnossocial de Cooperativas e Empreendimentos de Economia Solidária). COLÓQUIO – Revista do Desenvolvimento Regional - Faccat - Taquara/RS - v. 14, n. 1, jan./jun. 2017. p.59-77.

BRANDÃO, C. (2012). Território e Desenvolvimento: as múltiplas escalas entre o local e o global. Editora Unicamp, Campinas-SP.

BRANDÃO, C.R. (2004). Sobre a tradicionalidade rural que há em nós. In: OLIVEIRA, Ariovaldo Umbelino de; MARQUES, Marta Inez M. (Orgs). O campo do Século XXI: território de vida, de luta e de construção da justiça social. São Paulo: Casa Amarela e Paz e Terra.

BRANDÃO, H.P.; GUIMARÃES, T.A. (2001) Gestão de competências e gestão de desempenho: tecnologias distintas ou instrumentos de um mesmo constructo? Revista de Administração de Empresas, v. 41, n. 1.

BRULE, D.M.V.; FERREIRA, I.H.R.D.S.; NASCIMENTO, D.C.(2018) Reflexões sobre o conceito de desenvolvimento de uma perspectiva multidimensional. Revista Brasileira de Desenvolvimento Regional. FURB, Blumenau.

BÜTTENBENDER, P.L. (1995) Influência do Cooperativismo e Associativismo no Desenvolvimento da Região do Grande Santa Rosa. Revista Perspectiva Econômica/ Unisinos. nº 36, p.99 – 142.

BÜTTENBENDER, P.L.; HOFLER, C.E.; RIFFEL, A.C.; BÜTTENBENDER, B.N. (2016) Formação de liderança, gestão e desenvolvimento: testemunhos e legados de uma história no noroeste gaúcho In: Liderança na empresa e no empreendedorismo feminino. Porto Alegre, RS: Conceito, v.1, p. 70-118.

BÜTTENBENDER, P.L.; SAUSEN, J. O. (2020). Innovative development management practices in a border region: a constructproposal of innovative governance and territorial development. Revistabrasileira de gestão e desenvolvimento regional. v.16, p.446 - 458.

BÜTTENBENDER, P.L.; SAUSEN, J. O.; BÜTTENBENDER, B.N.; SPAREMBERGER, A. (2020). Alianzas estratégicas y prácticas cooperativas que promueven la inclusión y el desarrollo territorial: Propuesta de un constructo de gobernanza cooperativa y territorial. Revista REDES. v.25, p.1676 - 1697.

BÜTTENBENDER, P.L.; SILVA, A.R. (2018). Estudo sobre as práticas cooperativas, crescentes desafios e potencialidades na promoção da inclusão econômica e social e do desenvolvimento sustentável a partir de cooperativas de crédito. XXIII Jornada de Pesquisa, Salão do Conhecimento, UNIJUI.

BÜTTENBENDER, PL. (2010) Cooperativismo na Região Nordeste do Rio Grande do Sul: experiências de gestão cooperativa e de promoção do desenvolvimento. Porto Alegre/RS: Editora Sescoop/RS.

COLLIS, J.; HUSSEY, R. (2005) Pesquisa em administração 2.ed. Porto Alegre: Bookman.

DENZIN, N. K. e LINCOLN, Y. S. (2006) Introdução: a disciplina e a prática da pesquisa qualitativa. In: DENZIN, N. K. e LINCOLN, Y. S. (Orgs.). O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. 2. ed. Porto Alegre: Artmed.

FERNANDES, D.M.M. ; KARNOPP, E. Cooperativismo: evolução histórica e contribuições para os processos organizativos de cooperativas de agricultores familiares praticantes da agroecologia. COLÓQUIO – Revista do Desenvolvimento Regional - Faccat - Taquara/RS - v. 14, n. 1, jan./jun. 2017. p.133-155.

GHIDORSI, J.D.B.; MUELLER, A.A.; ALLEBRANDR, S.L.; RIBAS, T.A.M. Economia solidária no desenvolvimento: perspectivas a partir da importância da reciclagem de resíduos sólidos. COLÓQUIO – Revista do Desenvolvimento Regional - Faccat - Taquara/RS - v. 18, n. 4, out./dez. 2021. p. 94-118.

GIL, A. C. (2008) Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas.

GIL, A. C. (2010). Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas.

HOLYOAKE, G.J. (1933) Os 28 tecelões de Rochdale - História dos probos pioneiros de Rochdale, Rio de Janeiro; GB.

KREUTZ, L. (2004) O professor paroquial: magistério e imigração alemã. Seiva Publicações, Pelotas.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. (2007) Fundamentos de metodologia científica. 6. ed.5. reimp. São Paulo: Atlas.

MARTINI, M. L. (1993) Sobre o caboclo-camponês, “um gaúcho a pé”. 1993. Dissertação (Programa de Pós-graduação em Sociologia). Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS. Porto Alegre (RS).

MASY, R.C.; LEVINTON, N. (2010) Un pueblo llamado Jesús. Editora: Fundación Paracuaria.

PERIUS, V.F. (2020). As origens do cooperativismo, Editora Sescoop, Porto Alegre.

QUAINI, M. (2010) Marxismo e Geografia. Paz e Terra, Rio de Janeiro.

RAFFESTIN, C. (1993). Por uma geografia do Poder. São Paulo: Ática.

RAFFESTIN, C. (2004) Immagini e identità territoriali. In: Dematteis, G. e Ferlaino, F. Il mondo e i luoghi: geografie delle identità e del cambiamento. Torino: IRES.

RAFFESTIN, C. (2008) A produção das estruturas territoriais e sua representação. In: Saquet, M. e Sposito, E. (Org.). Territórios e territorialidades: teorias, processos e conflitos. São Paulo: Expressão Popular.

ROTTA, E. (1999) A construção do Desenvolvimento: análise de um modelo de integração entre regional e Global. Ed. Unijuí, Ijuí.

ROTTA, E.; BÜTTENBENDER, P.L.; HOFLER, C.E. (2016) A presença dos princípios do cooperativismo no Noroeste do Rio Grande do Sul: revisitando a tradição histórica. In: Fronteira Sul: Olhares e Perspectivas. Porto Alegre: Insular, p. 62-86.

SACK, R. (1986) Human territoriality: its theory and history. Cambridge: Cambridge University Press.

SANTOS, H.F. (2016) Modernização seletiva da agricultura brasileira e a expropriação socioeconômica do campo. Revista CAMPO-TERRITÓRIO: revista de geografia agrária, v. 11, n. 24, p. 231-261, ago.

SANTOS, M. (1980). Por uma geografia nova. SP: Hucitec.

SANTOS, M. (1996a) Metamorfoses do espaço habitado. SP: Hucitec.

SANTOS, M. (1996b) A natureza do espaço: técnica e tempo. Razão e emoção. São Paulo: Hucitec.

SANTOS, M. (1997) A natureza do espaço. SP: Hucitec.

SAQUET, M.A. (2003) Os tempos e os territórios da colonização italiana. Porto Alegre: EST Edições, 2003 (2001).

SAQUET, M.A. (2004) O território: diferentes interpretações na literatura italiana. In: Saquet, M.A.; Sposito, E.R.; Ribas, A. Território e desenvolvimento: diferentes abordagens. Francisco Beltrão/PR: UNIOESTE.

SAQUET, M.A., SPOSITO, E.S. (2008). Territórios e territorialidades: teorias, processos e conflitos (organizadores) São Paulo: Expressão Popular: UNESP.

SIEDENBERG, D.R. (Org.) (2012). Desenvolvimento sob múltiplos olhares. Editora Unijuí, Ijuí.

SILVA, A.; GAZOLLA, Márcio. Agroindústrias rurais e o desenvolvimento regional: uma análise comparativa entre os estados da Região Sul do Brasil. COLÓQUIO – Revista do Desenvolvimento Regional - Faccat - Taquara/RS - v. 18, n. 4, out./dez. 2021. p. 231-255.

SPAREMBERGER, A.; BÜTTENBENDER.B.N.; PERDONSINI, D.; ZAMBERLAN, L.; BÜTTENBENDER, P.L. (2020). Ativos e aportes do cooperativismo ao desenvolvimento regional: um olhar regional, do local para o global. Revista de Gestão e Organizações Cooperativas. v.7, p.230 - 242.

TURRI, E. (2002) La conoscenza del territorio. Metodologia per un’analise storico-geografica. Venezia: Marsilio.

Yin, R. K. (2001) Estudo de caso: planejamento e métodos. Trad. Daniel Grassi - 2.ed.- Porto Alegre: Bookman.

ZARTH, P. História agrária do planalto gaúcho 1850-1920. Ijuí (RS): UNIJUI, 1999.

Downloads

Publicado

2022-07-01

Edição

Seção

Artigos