Tendências das exportações do complexo soja sul-americano (1990 a 2019)

Autores

  • Maiara Thaís Tolfo Gabbi Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ/USP)
  • Nilson Luiz Costa Professor do Programa de Pós-Graduação em Agronegócio da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
  • Elisangela Gelatti Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ/USP)
  • Gabriel Nunes de Oliveira Professor da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

Palavras-chave:

Soja, Comércio, Brasil, Argentina e Paraguai.

Resumo

Ao longo dos anos o complexo soja cresceu expressivamente no comércio internacional por seu importante uso como matéria prima para a indústria de processamento. Neste contexto, o presente estudo se propõe a analisar as tendências e diferentes perfis de exportação de produtos do complexo soja de Argentina, Brasil e Paraguai no período de 1990 a 2019. O método empregado contempla a análise quantitativa através do modelo de tendência e taxa de crescimento log-linear, a partir de dados secundários obtidos junto ao United States Department of Agriculture (USDA). Entre os principais resultados encontrados constatou-se as taxas geométricas de crescimento foram maiores para a exportação de soja em grãos por parte do Brasil (12,02%), importação de soja em grãos pela Argentina (16,74%) e esmagamento doméstico pelo Paraguai (8,07%). No farelo de soja, as taxas geométricas de crescimento destacadas foram para a produção (8,04%) e exportação (8,80%) do Paraguai. E por último, no óleo de soja, a produção (8,14%), exportação (9,08%) e importação (9,08%) do Paraguai. O Paraguai é o país com menor produção de grãos, consequentemente, menor exportação, importação e consumo doméstico, mas com maiores taxas de crescimento nos dados de consumo de grãos, produção de farelo e produção, exportação e importação de óleo. Por fim, os fatores que motivaram a esses perfis de exportação na Argentina foram principalmente devido a política de processamento interno, no Brasil foi resultado de incentivos governamentais na exportação de grãos e no Paraguai foi a partir de estratégias de agregação de valor.

Biografia do Autor

Maiara Thaís Tolfo Gabbi, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ/USP)

Doutoranda em Economia Aplicada na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ/USP). 

Nilson Luiz Costa , Professor do Programa de Pós-Graduação em Agronegócio da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

Doutorado em Ciências Agrárias (UFRA).  

Elisangela Gelatti, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ/USP)

Doutoranda em Economia Aplicada na ESALQ/USP.   

Gabriel Nunes de Oliveira, Professor da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

Doutorado em Extensão Rural (UFSM).  

Referências

AGROSTAT - Estatísticas de Comercio Exterior do Agronegócio Brasileiro. Indicadores da agricultura. Disponível em: http://indicadores.agricultura.gov.br/agrostat/index.htm. Acesso em: 2 abril 2021.

CONTINI, E. GAZZONI, D.; ARAGÃO, A.; MOTA, M.; MARRA, R. Parte 1: Complexo soja - caracterização e desafios tecnológicos. 2018. Embrapa - Série desafios do agronegócio brasileiro (NT1).

EMBRAPA - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Visão 2030: O Futuro da Agricultura Brasileira. Brasília, DF: Embrapa, 2018, p.212.

GABBI, M. T. T.; COSTA, N. L.; OLIVEIRA, G. N. de; GELATTI, E.; RHODEN, A. C. Análise das trajetórias das exportações de Brasil e Argentina no comércio internacional do complexo soja (1990 - 2018). COLÓQUIO – Revista do Desenvolvimento Regional - Faccat - Taquara/RS - v. 17, n. 4, out./dez. 2020. DOI: 10.26767/coloquio.v17i4

GUJARATI, D. Econometria básica. Rio de Janeiro: Elsevier. 3ª ed., 2006

GUJARATI, D. N.; PORTER, D. C.. Econometria Básica. São Paulo, ed. AMGH Editora Ltda 5ºed. 2011.

HIRAKURI, M. H.; CONTE, O.; PRANDO, A. M.; CASTRO, C. D.; BALBINOT JUNIOR, A. A.; CAMPOS, L. J. M. 2018. A cultura da soja no Brasil e metodologia utilizada para o diagnóstico. Embrapa Soja-Capítulo em livro científico (ALICE).

MAIS SOJA. Paraguai: Uma economia impulsionada pela agricultura (parte 2). 2019. Disponível em: https://maissoja.com.br/paraguai-uma-economia-impulsionada-pela-agricultura-parte-2. Acesso em 15 de abril de 2021.

OEC - Observatory of Economic Complexity. Countries, Exports and Imports. Disponível em: https://atlas.media.mit.edu/en/profile/country/chn/. Acesso em 10 abril 2021.

RHODEN, A. C.; COSTA, N. L.; SANTANA, A. C. de; OLIVEIRA, G. N. de; GABBI, M. T. T. Análise das Tendências de Oferta e Demanda para o Grão, Farelo e Óleo de Soja no Brasil e nos Principais Mercados Globais. Revista Desenvolvimento em Questão. Editora Unijuí, ano 16, n. 45, out./dez, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.21527/2237-6453.2020.51.93-112.

RICHARDSON, N. P. Export-Oriented Populism: Commodities and Coalitions in Argentina. Journal Springer, St Comp Int Dev, 44:228–255, 2008.

SANTANA, A. C. de. Métodos quantitativos em economia: elementos e aplicações. Belém: UFRA, 2003

SILVA, E. L. da; MENEZES, E. M. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 4. ed. rev. atual. – Florianópolis: UFSC, 2005. 138p

USDA. United States Department of Agriculture. Foreign Agricultural Service. Disponível em: https://apps.fas.usda.gov/psdonline/app/index.html#/app/home. Acesso em 15/01/2021.

WESZ JUNIOR, V. J. O mercado da soja no Paraguai: Expansão, consolidação e momento atual. 2019. In: APARICIO, et al. (Coord.). Desarrollo rural y cuestión agraria. ALAS - Asociación Latinoamericana de sociología. 2019.

Downloads

Publicado

2022-04-04

Edição

Seção

Artigos