Arrendamento de terras e máquinas: contribuições para a tomada de decisão dos agricultores familiares

Autores

Palavras-chave:

Gestão rural. Custo de produção. Tomada de Decisão.

Biografia do Autor

Raquel Breitenbach, Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Doutorado em Extensão Rural (UFSM).

Ediclenio Dolne, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul.

Tecnólogo em Agronegócio.

Janaína Balk Brandão, Professora do Programa de Pós-Graduação em Extensão Rural da UNIPAMPA.

Doutorado em Extensão Rural (UFSM).

Menigui Spanevello Dalcin, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Acadêmica do Curso de Agronomia (UFSM). 

Referências

ALMEIDA, P. J.; BUAINAIN, A.M. (2013). Os contratos de arrendamento e parceria no Brasil.Revista Direito FGV, v. 91, p. 319-344.

ALMEIDA, P. J.; BUAINAIN, A. M. (2015).Arrendamento, Parceria e Governança deTerras no Brasil. Anais do I Seminário Desenvolvimento Econômico e Governança de Terras, p. 20. Disponível em: http://governancadeterras.com.br/2017/wp- content/uploads/2017/10/Arrendamento-Parceria-e-Governan%C3%A7a-.pdf> acesso em: 25, set, 2018.

BARROS, H.A. (1968). Empresa agrícola. Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa.

BOTEON, M. (2017).Custo de Produção Agropecuária Análise Econômica sob a ótica da sustentabilidade.Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” Departamento de Economia, Administração e Sociologia LES 0667 – Gestão dos Negócios Agroindustriais.

BRANDÃO, J. B., ANVERSA, A. C., DREBES, L. M. (2018). Terras arrendadas: suporte da produção de arroz irrigado no sul do brasil. Acta geográfica, v. 11, n. 27, p. 62-78.

BRASIL. (1996). Decreto no 59.566, de 14 de novembro de 1966. Regulamenta as Seções I, II e III do Capítulo IV do Título III da Lei no 4.504, de 30 de novembro de 1964, Estatuto da

Terra, o Capítulo III da Lei no 4.947, de 6 de abril de 1966, e dá outras providências. Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/Antigos/D59566.htm>. Acesso em: 10/09/2019.

BRASIL. LEI Nº 11.326, DE 24 DE JULHO DE 2006. Estabelece as diretrizes para a formulação da Política Nacional da Agricultura Familiar e Empreendimentos Familiares Rurais. Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11326.htm> Acesso em:15/04/2021.

CASTRO, L. F. P. (2017). Dimensões e lógicas do arrendamento rural na agricultura familiar: um estudo de caso. Revista em Agronegócio e Meio Ambiente, v. 10, n. 2, p. 437-457.

CASTRO, S. H. DE; REIS, R. P., LIMA, A. L. R. (2006). Custos de produção da soja cultivada sob sistema de plantio direto: estudo de multicasos no Oeste da Bahia. Ciência e Agrotecnologia. v. 30, n. 6, p. 1146-1153.

CONAB- Companhia Brasileira de Abastecimento. (2018). Custos de produção, 2018. Disponível em: https://www.conab.gov.br/info-agro/custos-de-producao. Acesso em: 12/11/2019.

CONAB- Companhia Brasileira de Abastecimento. (2019). Boletim brasileiro da safra de grãos 2019. Disponível em: https://www.conab.gov.br/info-agro/safras/graos/boletim-da- safra-de-graos. Acesso em: 12/11/2019.

EPAGRI - Empresa de Pesquisa Agropecuária e extensão rural de Santa Catarina. Infoagro- Acompanhamento da safra 2018. Disponível em: http://www.infoagro.sc.gov.br/index.php/safra/producao-vegetal. Acesso em: 10/09/2019.

EPAGRI- Empresa de Pesquisa Agropecuária e extensão rural de Santa Catarina. Custo de produção – Epagri/Cepa. Disponível em: Http://cepa.epagri.sc.gov.br/index.php/produtos/custos-de-producao/.Acesso em: 14/10/2019

FERREIRA, L. D. OLIVEIRA, N. D. A. P. D., R. (2015). Determinantes do preço da terra no Brasil. Revista de Política Agrícola, v. 23, n. 4, p. 58-75.

GARCIA, S. M., GARCIA, D. K. (2017). A proteção ao trabalhador em contratos de arrendamento e parceria rural utilizados para ocultar vínculo de emprego. Revista Eletrônica da Faculdade de Direito de Franca, v. 12, n. 2, p. 269-292.

IBGE- Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2007). Censo 2007.Disponível em: https://censo2007.ibge.gov.br/. Acesso em: 19/09/2019.

MARTINS,F.; SILVA, A. (2006).Contratos agrários de arrendamento e parceria. Boletim Jurídico.Disponível em: https://www.boletimjuridico.com.br/artigos/direito-agrario/1195/contratos-agrarios-arrendamento-parceria. Acesso em: 04/ maio/ 2018.

MATOS, E. B. S., MURCIA, F. D. R. (2019). Contabilidade e Arrendamento Mercantil/Leasing: Revisão da Literatura Nacional e Internacional (2000-2018). Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC), v. 13, n. 1.

PICCININ, Y. (2017).Resultado da exploração do cultivo da soja como produtor e como arrendador: uma análise comparativa em uma propriedade rural de Júlio de Castilhos – RS. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Ciências Contábeis). UFSM.

RADIES, C. A. W. (2019). Produção rural: plantar ou arrendar, qual a melhor opção? Trabalho de conclusão de curso. UFSM- Santa Maria.

RIBEIRO, R. R. M., DE LIMA, R. C., MATTIELLO, K., BORGES, I. M. T., DE CAMPOS

SOARES, A. C. (2019).Custeio variável e sua aplicação na agricultura: uma análise comparativa nas culturas de soja e milho. Congresso Brasileiro de Custos-ABC. In: Anais. Curitiba, PR.

RODRIGUES, A. R., ABREU M. L., OLIVEIRAE. S., VENCATO, A. Z., et

al.(2010).Anuário Brasileiro da Soja 2010. Santa Cruz do Sul:Ed. Gazeta Santa Cruz, p. 144.

SEGATTO, L. J., CAMARGO, B. F., DOS SANTOS, L. A., GUSE, J. C. (2018).

Contabilidade rural:um olhar para o cultivo de soja no interior do RS. Revista de contabilidade Dom Alberto, v. 7, n.13,p. 145-166.

SILVA, J. A. D.O Segredo do arrendamento rural. Disponível em:

<http://www.gmpr.com.br/midias/o-segredo-do-arrendamento-rural> Acesso em: 02/junho/2018.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

Downloads

Publicado

2022-03-15