Turismo e desenvolvimento rural no município de Quilombo-SC.

Autores

  • Leila Daiana Tardetti UNOCHAPECÓ.
  • Cristiane Tonezer Professora do Programa de Pós-Graduação em Políticas Sociais e Dinâmicas Regionais (UNOCHAPECÓ).
  • Rosana Maria Badalotti

Palavras-chave:

Desenvolvimento rural; Agricultura familiar; Turismo rural.

Resumo

O desenvolvimento de uma região depende de fatores naturais, sociais, econômicos e culturais que, por sua vez, configuram a dinâmica regional de uma determinada localidade. O turismo rural, por sua vez, pode contribuir para este desenvolvimento. Este artigo tem como objetivo analisar a Rota Encantos Rurais, situada no município de Quilombo-SC, na perspectiva do desenvolvimento rural. A metodologia de natureza qualitativa contou com uma pesquisa de campo com os seis empreendimentos rurais integrantes da Rota e quatro representantes de instituições que auxiliaram na sua implementação. Para a coleta dos dados, utilizou-se a entrevistas semiestruturadas e a observação com registro em um diário de campo. A análise dos dados foi de conteúdo. A partir dos dados de campo conclui-se que a Rota Encantos Rurais contribui para o desenvolvimento rural do município de Quilombo-SC, isso porque, além de proporcionar renda extra às famílias, auxilia para o maior protagonismo dos agricultores, valoriza a cultura local e possibilita uma relação mais harmoniosa com o meio ambiente.

Biografia do Autor

Leila Daiana Tardetti, UNOCHAPECÓ.

Mestrado em Políticas Sociais e Dinâmicas Regionais (UNOCHAPECÓ). 

Cristiane Tonezer, Professora do Programa de Pós-Graduação em Políticas Sociais e Dinâmicas Regionais (UNOCHAPECÓ).

Doutorado em Desenvolvimento Rural (UFRGS). 

Rosana Maria Badalotti

Doutorado em Ciências Humanas (UFSC). 

Referências

ABRAMOVAY, Ricardo. Agricultura familiar e desenvolvimento territorial Reforma Agrária – Revista da Associação Brasileira de Reforma Agrária – v. 28 n.º 1,2 3 e 29, nº1 – Jan/dez 1998 e jan/ago 1999.

AKERMAN, M. Saúde e desenvolvimento loca princípios, práticas e cooperação técnica. São Paulo: Hucitec, 2005.

ALMEIDA J. C. Turismo e legado cultural. Capinas: Papirus, 2000.

ARANTES, Augusto Arante (org.). Produzindo o passado, Estratégias de construção do patrimônio cultural. Brasiliense, 1984.

BOISIER, S. (1999). Nuevas Fronteiras para la política regional em América Latina. Ciudade y Terrritorio Estudios Territoriales, ( 122).

BARRETO, M. (Orgs.). Turismo e identidade local: uma visão antropológica. Campinas: Papirus. Coleção Turismo. 2001.

BRASIL. Ministério do Turismo, 2018. Disponível em: http://regionalizacao.turismo.gov.br/images/conteudo/CARTILHA_CONSELHOS_MUNICIPAIS_REVISADA_05_10_18.pdf. Acesso em: 20.10.21.

CAMPANHOLA, Clayton, SILVA, José Graziano. Panorama do Turismo no Espaço Rural Brasileiro: Nova Oportunidade para o Pequeno Agricultor. 1999. In: Anais do Congresso Brasileiro de Turismo Rural. Turismo no Espaço rural Brasileiro. Piracicaba. 1999.

DGADR. Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural. 2013. Disponível em: https://www.dgadr.gov.pt/diversificacao/turismo-rural. Acesso em: 23.10.21.

DORIGON, Clovis, RENK; Arlene. Juventude rural produtos coloniais e pluriatividade, Argos, 2013 – Chapecó.

DORIGON, Clovis. Mercados de produtos coloniais da Região Oeste de Santa Catarina: em construção, IV ENEC - Encontro Nacional de Estudos do Consumo 2008 - Rio de Janeiro/RJ.

ESCHER, Fabiano. Os assaltos do moinho satânico nos campos e os contra movimentos da agricultura familiar, atores sociais, instituições e desenvolvimento rural no sudoeste do Paraná, Porto Alegre, 2011.

FONTANA, Rosislene de Fátima. As Políticas Públicas e Ações Privadas para o Turismo Rural a prática do turismo rural e suas implicações na cultura local. Instituto Superior e Centro Educacional Luterano Bom Jesus/Ielusc. IV Congresso Internacional sobre Turismo Rural e Desenvolvimento Sustentável. Joinville – 2004.

FROEHLICH, J. M. Turismo Rural e Agricultura Familiar: explorando (criticamente) o cruzamento de abordagens e estratégias para o desenvolvimento local. In: ALMEIDA, J.; RIEDL, M. (Orgs.). Turismo Rural: ecologia, lazer e desenvolvimento. Bauru: EDUSC, 2000. 263 p.

GODINHO, C. O Turismo em Espaço Rural (TER) em Portugal, problemas e desafios para o futuro, Revista Turismo e Desenvolvimento / Journal of Tourism and Development, N.º1, Vol. 1. 2004.

KAGEYAMA, Angela. Desenvolvimento Rural: Conceito e Medida Cadernos de Ciência & Tecnologia, Brasília, v. 21, n. 3, p. 379-408, set./dez. 2004.

KASTENHOLZ, E. The role and marketing implications of destination images on tourism behavior: the case of Northern Portugal. 2002. 392 f. Tese (Doutorado em Turismo), Universidade de Aveiro, Aveiro, 2002.

LAMARCHE, Hugues (coord.). Introdução geral. In: A agricultura familiar: comparação internacional. Vol. I: uma realidade multiforme. Campinas: Editora da Unicamp, 1993. p. 13-22.

LOPES, Marlene. Marketing no Turismo Estruturação de um Plano de Marketing Coimbra 2011, Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra 2010-2011.

LOTTICI KRAHL, Mara Flora. Turismo Rural: conceituação e características básicas. Dissertação de Mestrado. Brasília: GEA/IH/UnB, 2003: 30.

MARIANI, Milton Augusto Pasquotto et al. Planejamento participativo do turismo como estímulo ao desenvolvimento local: uma abordagem teórica, Belo Horizonte, V seminário AMPTUR, 2008.

MATTEI, Lauro. O papel e a importância da agricultura familiar no desenvolvimento rural brasileiro contemporâneo. Rev. Econ. NE, Fortaleza, v. 45, suplemento especial, p. 83-91, out./dez., 2014.

MICHELIN, Rita Lourdes. Turismo na Preservação dos Recursos Naturais: Vilão ou Solução? O caso do Parque Estadual de Itapuã – RS. Universidade de Caxias do Sul – UC. 2006. IV SeminTUR – Seminário de Pesquisa em Turismo do MERCOSUL.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (org.). Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. 18 ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

MORETTO, Samira Peruchi; BRANDT, Marlon. Das pequenas produções à agroindústria: suinocultura e transformações na paisagem rural em Chapecó, SC. Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 11, n. 26, p. 229 - 254, jan./abr. 2019.

NAJAFIZADEH, M., & MENNERICK, L. A. (2003). Gender and social entrepreneurship in societies in transition: the case of Azerbaijan. Journal of Third World Studies, Fall. Retirado de. Possati, I. C., & Dias M. R. (2002). Multiplicidade de papéis da mulher e seus efeitos para o bem-estar psicológico. Psicologia Reflexão e Crítica, 15 (2), 293-301.

OLIVEIRA, G. B.; LIMA, J. E. S. Elementos Endógenos do Desenvolvimento Regional: considerações sobre o papel da sociedade local no processo de desenvolvimento sustentável. Revista FAE. Curitiba, v. 6, n. 2, p. 29-37, mai/dez. 2003.

PICOLOTTO, Everton Lazzaretti. Os atores da construção da categoria agricultura familiar no Brasil. Rev. Econ. Sociol. Rural [online]. 2014, vol.52, suppl.1, pp.63-84. ISSN 0103-2003.

PLOEG, J. D. Van Der et al. Rural development: from practices and policies towards theory. Sociologia Ruralis, Oxford, UK, v. 40, n. 4, p. 391-408, out. 2000.

PLOEG, J. D. van der. Camponeses e a arte da agricultura: um manifesto chayanoviano. Porto Alegre/São Paulo, Ed. UFRGS/UNESP, 2016. 196p.

POZZEBON, L., RAMBO, A., & GAZOLLA, M. As Cadeias Curtas das Feiras Coloniais e Agroecológicas: Autoconsumo e Segurança Alimentar e Nutricional. Desenvolvimento Em Questão, 2016 (42), 405-441.Disponível em: https://www.revistas.unijui.edu.br/index.php/desenvolvimentoemquestao/article/view/6057. Acesso em: 20.10.21

QUILOMBO (Município). Estado de Santa Catarina, Prefeitura Municipal de Quilombo. Lei Municipal n°. 1.362/98 - de 07 de maio de 1998.

RENK, Arlene. A colonização do oeste catarinense: as representações dos brasileiros. Cadernos do CEOM - Ano 19, n. 23 - CEOM: 20 anos de memórias e histórias no oeste de Santa Catarina. 2019.

REZENDE, C. L., FARINA, E. M. Assimetria informacional do mercado de alimentos orgânicos. In: II Seminário Brasileiro da Nova Economia Institucional, 2001, Campinas. II Seminário Brasileiro da Nova Economia Institucional, 2001.

RUSCHMANN, Doris. Turismo e planejamento sustentável: A proteção do meio ambiente. 9.ed. Campinas: Papirus, 2000.

SCHNEIDER, Sergio A PLURIATIVIDADE E O DESENVOLVIMENTO RURAL BRASILEIRO. Texto apresentado no II Seminário Internacional sobre Desenvolvimento Regional - UNISC - Universidade de Santa Cruz do Sul, 28 Set.-01 Out., 2004.

SCHNEIDER, Sergio. A Presença e as Potencialidades da Agricultura Familiar na América Latina e no Caribe, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Porto Alegre – RS – Brasil, Redes (St. Cruz Sul, Online), v. 21, nº 3, p. 11 - 33, set./dez. 2016.

SCHNEIDER, Sergio. La pluriactividad en el medio rural brasileño: características y perspectivas para la investigación, In: GRAMONT, Hubert de (Org.) La Pluriactividad en el campo latinoamericano. Ed. Foro de FLACSO-Ecuador, Quito, 2009.

SCHNEIDER, Sergio; CASSOL, Abel. Diversidade e heterogeneidade da agricultura familiar no brasil e algumas implicações para políticas públicas. Cadernos de Ciência & Tecnologia, Brasília, v. 31, n. 2, p. 227-263, maio/ago. 2014.

SEN, Amartya. Desenvolvimento como Liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2000. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/19539/mod_resource/content/2/CHY%20-%20Sen%20-%20Aula%208.pdf. Acesso em: 17.10.21.

SOUZA, Marcelino de. DOLCI, Tissiane Schmist. Turismo rural: fundamentos e reflexões [recurso eletrônico] / Marcelino de Souza e Tissiane Schmidt Dolci ; coordenado pela SEAD/UFRGS. – Dados eletrônicos – Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2019. 118 p.

TONINI, H. & DOLCI, T. S. Turismo rural e novos mercados para produtos alimentares agroecológicos: estudo de caso da Rota Via Orgânica. Rosa dos Ventos Turismo e Hospitalidade, 12(3), pp. 537-554, DOI: http://dx.doi.org/10.18226/21789061.v12i3p537. 2020.

VASQUES, Samuel T. Dinâmicas socioeconômicas nas práticas dos feirantes de agricultores familiares de Chapecó -SC. 2016. 93 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional – Área de Concentração: Ambiente e Sustentabilidade. Campus Pato Branco - PR.) Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional, Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Pato Branco, 2016.

WANDERLEY Maria De Nazareth. Baudel raízes históricas do campesinato brasileiro. XX encontro anual da ANPOCS. gt 17. Processos sociais agrários. Caxambu, MG. Outubro, 1996.

WANDERLEY, Maria, N. B. O mundo rural como espaço de vida: reflexões sobre a propriedade da terra, agricultura familiar e ruralidade. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 2009.

Downloads

Publicado

2022-03-15