A construção social dos mercados: confiança e reciprocidade em circuitos curtos de comercialização

Autores

Palavras-chave:

Feiras. Relações de confiança. Mercados Sociais.

Resumo

Este trabalho tem objetivo de analisar as relações sociais presentes nas feiras e as suas implicações para organizadores, agricultores familiares e consumidores. Inicia-se com uma contextualização histórica focada nos conceitos de regime agroalimentar e mercados socialmente construídos para compreender as dinâmicas do desenvolvimento rural centrado nas cadeias curtas de comercialização. Paralelamente, discutem-se os processos de institucionalização da confiança e relações interpessoais entre os sujeitos. Para tanto, a pesquisa empírica realizou-se através de um estudo de caso nas Feiras de Produtos Orgânicos e Artesanais dos Bairros de Pato Branco-PR, por meio da aplicação de questionário para 65 consumidores, dos quais selecionou-se 20 e com eles, organizadores e agricultores feirantes efetuou-se um roteiro de entrevista semiestruturado. Deste modo, possibilitou-se entender que as motivações que levam os atores a participarem das feiras são pautadas em questões individuais, como saúde e bem-estar familiar, e mercantis, porém as questões socioambientais e as coletivas firmadas nas relações de reciprocidade e confiança se sobressaem. Portanto, estas relações permitem a cooperação entre os participantes das feiras, resultando na fidelização do consumidor e geração de renda aos agricultores familiares de base orgânica/agroecológica, permitindo a continuidade das feiras.

Biografia do Autor

Cecilia Eduarda Gnoatto Tomazini, Bolsista de iniciação cientifica no Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-PR).

Graduanda em Agronomia (UTFPR).

Norma Kiyota , Pesquisadora da área de socioeconomia do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-PR).

Doutorado em Desenvolvimento Rural (UFRGS). 

Giovana Diniz Pinto Quinaglia, Bolsista de iniciação cientifica no Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-PR).

Graduanda em Agronomia (UTFPR). 

Referências

ABRAMOVAY, R. Entre Deus e o diabo: mercados e interação humana nas ciências sociais. Tempo Social [S.L.], v. 16, n. 2, p. 35-64, nov. 2004. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0103-20702004000200002.Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010320702004000200002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt . Acesso em: 27 dez. 2020.

ALTIERI, M. Agroecologia: a dinâmica produtiva da agricultura sustentável. 5. ed. Porto Alegre: UFRGS, 2004. 120 p.

DELGADO, G. C. Expansão e modernização do setor agropecuário no pós-guerra: um estudo da reflexão agrária. Estudos Avançados, [S.L.], v. 15, n. 43, p. 157-172, dez. 2001. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0103-40142001000300013.Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=s0103-40142001000300013&script=sci_arttext. Acesso em: 29 mar. 2021.

FRIEDMANN, H. The Political Economy of Food: the rise and fall of the postwar international food order. American Journal of Sociology, London, v. 88, p. 248-286, 1982. doi:10.1086/649258.

FRIEDMANN, H.; MCMICHAEL, P. Agriculture and the state system: the rise and fall of national agricultures, 1870 to the present. Sociologia Ruralis, v. 29, n. 2, p. 93-117, 1989.

GIDDENS, A. As consequências da modernidade.5. ed. São Paulo: Unesp, 1991. 156 p. Tradução de: Raul Fiker.

GIGLIO, E. M. O Comportamento do Consumidor. 3. ed. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2005. 245 p.

GOODMAN, D.; SORJ, B.; WILKINSON, J. Da lavoura às biotecnologias: agricultura e indústria no sistema internacional. Rio de Janeiro: Centro Edelstein, 2008. 204 p. Tradução de: Carlos Eduardo Baesse de Souza e Carlos Schlottfeldt. Disponível em: http://books.scielo.org/id/zyp2j. Acesso em: 06 jan. 2021.

GRANOVETTER, M. Ação econômica e estrutura social: o problema da imersão. Rae Eletrônica, [S.L.], v. 6, n. 1, p. 1-41, jun. 2007. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s1676-56482007000100006. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/raeel/v6n1/a06v6n1 . Acesso em: 21 dez. 2020.

HARARI, Y. N. Sapiens: uma breve história da humanidade. Israel: L&PM, 2015. 464 p.

KINJO, T.; IKEDA, A. A. Comportamento do consumidor em feiras livres. Brasília: SOBER, 2005. p. 1-19

KISCHENER, M. A. A sucessão geracional na agricultura familiar num contexto de mercantilização e modernização: um estudo em duas comunidades do sudoeste do Paraná. 2015. 175 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de História, O Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Pato Branco, 2015.

KIYOTA, N. et al. Relações de confiança nas feiras de produtos orgânicos e artesanais dos bairros de Pato Branco-PR. Revista Grifos, [S.L.], v. 30, n. 54, p. 244-266, 31 mar. 2021. Revista Grifos. http://dx.doi.org/10.22295/grifos.v30i54.5914.

KRISCHKE, P. J.; TOMIELLO, N. O comportamento de compra dos consumidores de alimentos orgânicos: um estudo exploratório. Cadernos de Pesquisa Interdisciplinar em Ciências Humanas, Florianópolis, v. 10, n. 96, p. 27-43, 2009. Semestral. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/1984- 9851.2009v10n96p27. Acesso em: 13 jan. 2021.

LEPRE, T. R. F.; MELLO, J. A. S. de; LOPES, L. G. Comportamento do consumidor da geração “X” de acordo com as ferramentas de comunicação de marketing. Alomorfia, Presidente Prudente, v. 4, n. 3, p. 131-147, 29 dez. 2020. Disponível em: https://revistafatecppalomorfia.azurewebsites.net/index.php/alomorfia/article/view/84.Acesso em: 29 jun. 2021

LONG, N. Development sociology: actor perspectives. London: Routledge, 2001. 309 p.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas s.a., 2003. 311 p.

MAZOYER, M.; ROUDART, L. História das agriculturas no mundo: do neolítico á crise contemporânea. 3. ed. São Paulo: Unesp, 2010. 568 p.

McMICHAEL, P. A food regime genealogy.The Journal Of Peasant Studies, v. 36, n. 1, p. 139-169, jan. 2009. doi: http://dx.doi.org/10.1080/03066150902820354 . Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/03066150902820354. Acesso em: 19 nov. 2020.

MURDOCH, J. Networks: a new paradigm of rural development? Journal of Rural Studies, n. 16, p. 407-419, 2000.

MURDOCH, J.; MARSDEN, T.; BANKS, J. Quality, Nature, and Embeddedness: some theoretical considerations in the context of the food sector .Economic Geography, v. 76, n. 2, p. 107-125, 16 fev. 2009. doi: http://dx.doi.org/10.1111/j.1944-8287.2000.tb00136.x.

MUSATTO, R. M.; SAQUET, M. A. Território, redes curtas de comercialização e consumo de alimentos da agricultura camponesa – Francisco Beltrão, PR. Geoingá: Revista do Programa de Pós- graduação em Geografia, Maringá, v. 11, n. 2, p.72-99, 2019. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/Geoinga/article/view/49432/751375149082.Acesso em: 11 jan. 2021

PEREIRA, W. C. C. Movimento institucionalista: principais abordagens. Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro, v. 7, n. 1, p. 6-16, jun. 2007. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1808-42812007000100002. Acesso em: 04 jan. 2021.

PLOEG, J. D. van D. Camponeses e impérios alimentares: lutas por autonomia e sustentabilidade na era da globalizaçao. Porto Alegre: UFRGS, 2008. 376 p. Tradução de: Rita Pereira.

POLANYI, K. A grande transformação: as origens da nossa época. 7. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2000. 349 p. Tradução de: Fanny Wrobel.

POLLAN, M. O dilema do onívoro. São Paulo: Editora Intrínseca, 2007.

PORTILHO, F.; CASTAÑEDA, M. Certificação e confiança face-a-face na feira de produtos orgânicos. In: encontro da associação nacional de pesquisa e pós-graduação em ambiente e sociedade, 4., 2008, Brasília. Anais... .Brasília: Anppas, 2008. v. 4, p. 1 - 15. Disponível em: https://ciorganicos.com.br/wp-content/uploads/2013/09/0001.pdf .Acesso em: 22 jan. 2020.

RADONS, I. L.; BATTISTELLA, L. F.; GROHMANN, M. Z. Geração e gênero como moderadores no comportamento de compra pró-ambiental. Pensamiento & Gestión, Barranquilla, v. 1, n. 41, p. 150-173, 2016. Disponível em: http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1657-62762016000200007. Acesso em: 29 jun. 2021.

RENTING, H.; MARSDEN, T. K.; BANKS, J. Understanding Alternative Food Networks: exploring the role of short food supply chains in rural development. Environment and Planning a: Economy and Space, v. 35, n. 3, p. 393-411, mar. 2003. doi: http://dx.doi.org/10.1068/a3510 .

SABOURIN, E. Acesso aos mercados para a agricultura familiar: uma leitura pela reciprocidade e a economia solidaria. Revista Econômica do Nordeste, Fortaleza, v. 45, p. 18-30, 2014. Disponível em: https://www.bnb.gov.br/documents/80223/205365/ren_2014_2_sabourin_v2.pdf/fd3a079c-7c23-4dad-ace0-da2981a978fe . Acesso em: 27 dez. 2020.

SCHNEIDER, S.; SCHUBER, M.; ESCHER, F. Regimes agroalimentares e o lugar da agricultura familiar – uma apresentação ao debate. Revista Mundi Meio Ambiente e Agrárias, Curitiba, v. 1, n. 1, p. 3-20, 2016. Jan./jun. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/151166 . Acesso em: 30 nov. 2020.

WANDERLEY, M. de N. B. Raízes Históricas do Campesinato Brasileiro In: XX Encontro anual da ANPOCS, 20º. Caxambu/MG, 1996. Anais... Caxambu, Outubro 1996.

Downloads

Publicado

2022-03-15