Índice de competitividade regional municipal: uma aplicação simplificada em municípios brasileiros

Autores

Palavras-chave:

Competitividade regional;, Municípios brasileiros;, Índice de competitividade.

Resumo

A competitividade regional, dada pela capacidade das regiões em gerar riquezas e revertê-la como melhoria da qualidade de vida para seus habitantes, é amplamente discutida por acadêmicos e decisores políticos. O artigo buscou aprofundar-se em como mensurar e classificar a competitividade regional em municípios brasileiros? Foi utilizada uma adaptação do Índice de Competitividade Regional Municipal (ICRM) proposto por Dresch (2021), denominada como ICRM-A, restringindo-se a 8 indicadores do ano de 2010, que foi aplicado em 5.565 municípios brasileiros. Os resultados apontam para uma heterogeneidade inter-regional significativa em relação a competitividade, com a região sul e sudeste possuindo a maior parte dos municípios classificados com ICRM Alto e Muito Alto, 76% e 91% respectivamente, enquanto nas regiões norte e nordeste estão concentrados 92,99% do total de municípios com Baixo ICRM-A.

Biografia do Autor

Leonardo de Oliveira Dresch, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS).

Doutorando em Administração no Programa de Pós-Graduação em Administração da UFMS.

Adriano Marcos Rodrigues Figueiredo, Professor do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS).

Doutorado e Pós-Doutorado em Economia Aplicada (UFV). 

 

Mayra Batista Bitencourt Fagundes, Professora do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS).Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS).

Doutorado em Economia Aplicada (UFV). 

Referências

AIGINGER, K. Competitiveness: from a dangerous obsession to a welfare creating ability with positive externalities. Journal of industry, competition and trade, v. 6, n. 2, p. 161-177, 2006.

ANNONI, P.; DIJKSTRA, L. Measuring and monitoring regional competitiveness in the European Union. In: HUGGINS, R.; THOMPSON, P. Handbook of regions and competitiveness, contemporary theories and perspectives on economic development. UK: Edward Elgar Publishing Limited, 2017. p. 49-79.

BOROZAN, Đ. Regional competitiveness: Some conceptual issues and policy implications. Interdisciplinary Management Research, v. 4, n. 1, p. 50-63, 2008.

BRASIL. planalto.gov.br/. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, 2021. Disponivel em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/ConstituicaoCompilado.htm>. Acesso em: 4 Abril 2021.

DRESCH, L. D. O. Competitividade Regional em municípios brasileiros: uma proposta metodológica de classificação e análise baseada na Design Science, 248 f. (Doutorado em Administração) – Curso de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2021.

HUGGINS, R.; THOMPSON, P. Introducing regional competitiveness and development: contemporary theories and perspectives. In: HUGGINS, R.; THOMPSON, P. Handbook of Regions and Competiveness: Contemporary Theories and Perspectives on Economic Development. Cheltenham: Edward Elgar, 2017. p. 1-31.

IBGE. www.ibge.gov.br/. IBGE Cidades e Estados, 2020. Disponivel em: <https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados.html>. Acesso em: 20 Abril 2021.

PNUD. Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil, 2010. Disponivel em: <http://atlasbrasil.org.br/2013/pt/>. Acesso em: 1 Abril 2021.

PORTER, M. The economic performance of regions. Regional studies, v. 37, n. 6-7, p. 549-578, 2003.

PORTER, M. On competition. [S.l.]: Harvard Business Press, 2008.

SPIEGEL, M. R. Estatística. São Paulo: Makron Books, 1993.

STORPER, M. The regional world: territorial development in a global economy. [S.l.]: Guilford press, 1997.

Downloads

Publicado

2021-12-30

Edição

Seção

Artigos