Economia solidária no desenvolvimento: perspectivas a partir da importância da reciclagem de resíduos sólidos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26767/colóquio.v18i4.2219

Resumo

Objetiva-se com este estudo, apresentar aspectos relevantes das dinâmicas da Economia Solidária (ES) para o desenvolvimento socioeconômico, focado no processo de coleta e tratamento de resíduos sólidos, trazendo a discussão sobre a transformação de resíduos em insumos como soluções importantes para o desenvolvimento, com geração de emprego e renda, educação ambiental e evolução social. A pesquisa está ancorada no enfoque da Teoria Crítica, de abordagem Quantitativa/qualitativa, de natureza descritiva, embasado na revisão de literatura narrativa. Verificou-se que a ES é relevante para o processo de desenvolvimento socioeconômico, no entanto, precisa avançar, visto que apenas 23,07% dos municípios brasileiros apresentam programas de coleta seletiva.

Biografia do Autor

Josiane Dilor Brugnera Ghidorsi, Professora do Centro Universitário UNIFACVEST.

Doutoranda em Desenvolvimento Regional (PPGDR-UNIJUÍ).

Airton Adelar Mueller, Professor do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da UNIJUI.

Doutorado em Sociologia (Freie Universität Berlin, Alemanha).

Sérgio Luís Allebrandt, Professor e Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da UNIJUÍ.

Doutorado em Desenvolvimento Regional (UNISC).

Taciana Angélica Moraes Ribas, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da UNIJUÍ.

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da UNIJUÍ.

Referências

ALLEBRANDT, Sérgio Luís. Cidadania e gestão do processo de desenvolvimento: um estudo sobre a atuação dos conselhos regionais e municipais de desenvolvimento do Rio Grande do Sul, de 1990 a 2009. Santa Cruz do Sul. 2010. 312f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Regional) -Universidade de Santa Cruz do Sul – UNISC.

ALVES-MAZZOTTI, Alda Judith; GEWANDSZNAJDER, Fernando. O Método nas Ciências Naturais e Sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2004.

AR. Anuário de Reciclagem (AR): Relatório de Atuação da Associação Nacional dos Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis (ANCAT) 2017-2018. Disponível: https://cempre.org.br/wp-content/uploads/2020/11/2-Anu%C3%A1rio-da-Reciclagem.pdf. Acesso em: 04 jun 2021.

BARDIN, Lawrence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 1997. 176 p.

BRASIL. Leis e Decretos. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br. Acesso em: 10/ago/ 2019.

BRASIL. Lei nº 12.305/10 Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998. Disponível em: http://www.planalto.gov.br. Acesso em: 10/ago/2019.

BRASIL. Lei nº 11.445, de 05 de janeiro de 2007. Disponível em: http://www.planalto.gov.br. Acesso em: 20/11/2020.

BRASIL, Ministério do Meio Ambiente. Dados estatísticos sobre reciclagem no Brasil. Disponível em: www.mma.gov. Acesso em 10 de agosto de 2019.

BRASIL, Ministério do meio ambiente. Legislação. Disponível em: http://www.mma.gov.br. Acesso em: 16/jun/2019.

BRANDÃO, Carlos. Desenvolvimento, territórios e escalas espaciais: levar na devida conta as contribuições da economia política e da geografia crítica para construir a abordagem interdisciplinar. In: RIBEIRO, Maria Teresa Franco; MILANI, Carlos R. S. Compreendendo a complexidade socioespacial contemporânea: o território como categoria de diálogo interdisciplinar. Salvador: Editora da UFBA, p. 150-185. 2008.

CARVALHO, Délton Winter de. Dano ambiental futuro: a responsabilização civil pelo risco ambiental. 2. ed. rev., atual e ampl. – Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora, 2013.

CASTELLS, Manuel; BORJA, Jordi. As cidades como atores políticos. Novos Estudos CEBRAP, n. 45, jul. 1997, p. 152-166.

CAVALCANTI, L. L.; NOGUEIRA, M. S. Futurismo, Inovação e Logística 4.0: desafios e oportunidades. VII Congresso Brasileiro de Engenharia de Produção, da Associação Paranaense de Engenharia de Produção (APREPRO). Ponta Grossa – PR. 2017. 10p.

CEMPRE. Compromisso empresarial com a reciclagem. Disponível em: http://cempre.org.br/. Acessado em 10 de agosto de 2019.

CEMPRE. Compromisso Empresarial para Reciclagem: Pesquisa Ciclosoft 2018, radiografando a coleta seletiva. Disponível em:https://cempre.org.br/wp-content/uploads/2020/08/Pesquisa-Ciclosoft-2018.pdf. Acesso em 04 jun 2021.

CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa - métodos qualitativo, quantitativo e misto: Métodos Qualitativo, 2008.

CULTI, Maria Nezilda. Economia Solidária: Geração de Renda, Mitos e Dilemas. Unitrabalho. 2006. Acesso 09/11/2020. Disponível em: http://unitrabalho.org.br/paginas/noticias/artigos/pdf/E.Solid%C3%A1ria%20%20Gera%C3% A7%C3%A3o%20de%20renda,%20mitos%20e% 20dilemas.pdf.

CUNHA, Mateus Almeida. A gestão municipal dos resíduos sólidos: cenários e desafios. In MARCHI, Cristina Maria Dacach Fernandez (Org.). Gestão dos Resíduos Sólidos: conceitos e perspectivas de atuação. 1ª ed. Curitiba: Appris, 2018. p. 19-41.

DA SILVA, José Luís Alves; DA SILVA, Sandra Isabel Reis da Silva. A economia solidária como base do desenvolvimento local. E-Cadernos CES [On-line], V. 02, p. 01-15, 2008.

DE FREITAS, Manolo Cleiton Costa et al. Diagnóstico da Gestão de Resíduos Sólidos no Transporte Hidroviário do Município de Breves (Pa). Revbea, São Paulo, V. 14, Nº1:222-244, 2019.

DIEHL, A. A. Pesquisa em ciências sociais aplicadas: métodos e técnicas. São Paulo: Prentice Hall, 2004.

FERREIRA, Cândido Guerra. A economia popular solidária em Belo Horizonte: um estudo exploratório. Texto de discussão n. 255. Belo Horizonte: UFMG/Cedeplar, 2005.

GAIGER, Luiz Inácio. A economia solidária e o projeto de outra mundialização. Revista de Ciências Sociais. Rio de Janeiro, v. 47, n. 4, 2004, p. 799-834.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GOMES, Fabiana Pereira et al. Economia Solidária e Desenvolvimento Local e Sustentável. Projecto Casa Brasil: MTE, SENAES. 2007.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA (IPEA). Relatório da situação social material reciclável Brasil. Disponível em: www.ipea.gov . Acessado em 10 de agosto de 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍTICA (IBGE). Estimativas da população residente no Brasil e unidades da federação com data de referência em 1 de julho de 2020. Disponível em: ftp://ftp.ibge.gov.br/Estimativas_de_Populacao/Estimativas_2020/estimativa_dou_2020.pdf. Acessado em 18 de junho de 2021.

LOZANO, R. Towards better embedding sustainability into companies’ systems: an analysis of voluntary corporate initiatives. Journal of Cleaner Production, v.25, n.0, p.14-26, 2012.

MARCHI, Cristina Maria Dacach Fernandez (Org.). Gestão dos Resíduos Sólidos: conceitos e perspectivas de atuação. 1ª ed. Curitiba: Appris, 2018. 223p.

MARCHI, Cristina Maria Dacach Fernandez; SILVA, Mayara Luize Rebouças Nascimento. A elaboração dos planos de gerenciamento de resíduos sólidos: apoio à Gestão Pública. In MARCHI, Cristina Maria Dacach Fernandez (Org.). Gestão dos Resíduos Sólidos: conceitos e perspectivas de atuação. 1ª ed. Curitiba: Appris, 2018. p. 57-69.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (org.). Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. 18º ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

OLIVEIRA, Luciana Vargas Netto. Economia solidária e conjuntura neoliberal: desafios para as políticas públicas no Brasil. Dissertação (Mestrado). Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 2005.

POCHMANN, Mário (organizador). Reestruturação produtiva: perspectiva de desenvolvimento local com inclusão social. Petrópolis: Vozes, 2004.

RAZETO, L. Economia de solidariedade e organização popular. In: GADOTTI, M; GUTIERREZ F. (Org). Educação comunitária e economia popular. São Paulo: Cortez, 1993. p.34-58.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

SACHS, Ignacy. Estratégias de transição para o século XXI: desenvolvimento e meio ambiente. São Paulo: Nobel, 1993.

SANTOS, Luiz Antonio de Castro. Um Século de Cólera: Itinerário do Medo. Physis - Revista de Saúde Coletiva. V. 4, Nº 1, p. 79-110, 1994.

SINGER, Paul. Introdução à Economia Solidária. Introdução à Economia.1ª ed. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2002.

TETRA PAK. Ciclosoft 2020 aponta crescimento de 186% na coleta seletiva desde a publicação da PNRS: Pesquisa Ciclosoft 2020. Public. 15 mar 2021. Disponível em: https://www.tetrapak.com/pt-br/about-tetra-pak/news-and-events/newsarchive/ciclosoft-2020-aponta-crescimento-na-coleta-seletiva. Acesso em: 05 jun 2021.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

UNESP. Tipos de Revisão de Literatura. 2015. Disponível em: file:///E:/tipos-de-revisao-de-literatura.pdf. Acessado em 26/07/2020.

Downloads

Publicado

2021-10-01

Edição

Seção

Artigos