Agroindústrias rurais e o desenvolvimento regional: uma análise comparativa entre os estados da Região Sul do Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26767/colóquio.v18i4.2216

Resumo

O trabalho analisa o perfil das agroindústrias rurais (AGRs) da Região Sul do Brasil, procedendo-se comparações com os dados brasileiros e, ainda, entre os três estados sulinos. Adicionalmente, procedem-se comparações de indicadores específicos entre os dois tipos de agriculturas, usando para tal a separação entre agricultura não familiar (ANF) e agricultura familiar (AF) com seus respectivos grupos (V, B e não Pronafianos). Esta pesquisa de cunho bibliográfico e com uso da estatística descritiva, se operacionaliza a partir dos dados contidos no Sistema de Recuperação Automática de Dados (SIDRA/IBGE) do Censo Agropecuário 2017. Os resultados demonstram que as agroindústrias rurais da Região Sul têm um perfil similar, mesmo havendo algumas disparidades entre os três Estados. As agroindústrias rurais Sul-brasileiras são alicerçadas na agricultura familiar, especialmente de maior faixa de renda para fins de enquadramento no PRONAF (grupo V) e beneficiam predominantemente alimentos e produtos típicos da gastronomia e culinária regionais. São responsáveis por expressivo Valor Bruto da Produção (VBP) em relação ao Brasil e as matérias primas são provenientes de lavouras temporárias e criações animais. As agroindústrias utilizam-se de instalações próprias para o beneficiamento dos alimentos e possuem áreas de terras também próprias, de até 50 hectares. Obtêm orientação técnica prevalecente de origem governamental, cooperativas e empresas integradoras, embora, parcela significativa não recebe nenhum serviço de ATER. Tais elementos e outros discutidos ao longo do texto, evidenciam as potencialidades que as AGRs oferecem para os processos de desenvolvimento rural e regional em territórios que elas estão situadas e imersas.

Biografia do Autor

Alexandre da Silva, Professor do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul.

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

Marcio Gazolla, Professor do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Doutor em Desenvolvimento Rural (UFRGS).

Referências

AQUINO, J. R.; GAZOLLA, M.; SCHNEIDER, S. Um retrato do lado pobre da agricultura familiar no Estado do Rio Grande do Sul. Redes. v. 21, no 3, p. 66 - 92, set./dez. 2016.

AQUINO, J. R.; GAZOLLA, M.; SCHNEIDER, S. Dualismo no campo e desigualdades internas na agricultura familiar brasileira. Revista de Economia e Sociologia Rural. Vol. 56, Nº 01, p. 123-142, 2018.

BRASIL. Decreto nº 9.064, de 31 de maio de 2017. Dispõe sobre a Unidade Familiar de Produção Agrária, institui o Cadastro Nacional da Agricultura Familiar e regulamenta a Lei nº 11.326, de 24 de julho de 2006 , que estabelece as diretrizes para a formulação da Política Nacional da Agricultura Familiar e empreendimentos familiares rurais. Brasília, 2017. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/decreto/d9064.htm Acessado em: 13 de março de 2021.

BASTIAN, Lillian, et. al. Agroindústrias rurais familiares e não-familiares: uma análise comparativa. REDES. Santa Cruz do Sul, v. 19, nº 3, p. 51 - 73, set./dez. 2014.

CABEDO, Carmen L.; CRIADO, Encarnación A. El fomento de la calidad agroalimentaria en los espacios rurales de Andalucía – España. In: FROEHLICH, José M. Desenvolvimento territorial: produção, identidade e consumo. Unijuí. Ijuí – RS, 2011.

CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino. Metodologia científica. 4ªed. Makron books. São Paulo – SP, 1996.

CHRISTOFFOLI, Pedro Ivan. Agroindústria. In: CALDART, Roseli. S.; PEREIRA, Isabel B.; ALENTEJANO, Paulo; FRIGOTTO, Gaudêncio. Dicionário da educação do campo. 3ª ed. Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio / Expressão popular. Rio de Janeiro, São Paulo: 2013.

DEPONTI, Cidonea M.; SCARTON, Luciana M.; SCHNEIDER, Sergio. O retrato da extensão rural a partir dos dados do Censo Agropecuário 2006. In: SCHNEIDER, Sergio; FERREIRA, Brancolina; ALVES, Fabio. (Orgs.). Aspectos multidimensionais da agricultura brasileira: diferentes visões do Censo Agropecuário 2006. IPEA. Brasília, 2014.

DORIGON, Clovis. Os mercados de produtos coloniais da Região Oeste de Santa Catarina. In: FROEHLICH, José M. Desenvolvimento territorial: produção, identidade e consumo. Unijuí. Ijuí – RS, 2011.

GAZOLLA, Marcio; NIEDERLE, Paulo A.; WAQUIL, Paulo D. Agregação de valor nas agroindústrias rurais: uma análise com base nos dados do censo agropecuário. Revista Paranaense de Desenvolvimento, Curitiba, n.122, p.241-262, jan./jun. 2012.

GAZOLLA, Marcio. Redefinindo as agroindústrias no Brasil: uma conceituação baseada em suas “condições alargadas” de reprodução social. Revista IDeAS, v. 7, n. 2, p. 62-95, 2013.

GAZOLLA, Marcio. Cadeias curtas agroalimentares na agroindústria familiar: dinâmicas e atores sociais envolvidos. In: GAZOLLA, Marcio; SCHNEIDER, Sergio (Orgs.). Cadeias curtas e redes agroalimentares alternativas: negócios e mercados da agricultura familiar. Ed. UFRGS. Porto Alegre – RS, 2017.

GAZOLLA, M.; AQUINO, J. R.; SIMONETTI, A. Análise das Condições Socioeconômicas e Vulnerabilidades Produtivas dos Agricultores Familiares Pobres do Paraná. Revista Paranaense de Desenvolvimento. Curitiba, v.38, n.133, p.177-196, jul./dez. 2017.

GRISA, Catia; GAZOLLA, Marcio; SCHNEIDER, Sergio. A "produção invisível" na agricultura familiar: autoconsumo, segurança alimentar e políticas públicas de desenvolvimento rural. Agroalimentaria. 2010, vol.16, n.31, p. 65-79.

GRISA, Catia; CONTERATO, Marcelo A. A produção para o autoconsumo no Brasil: entre a importância econômica e o reconhecimento social. In: Anais... 49º Congresso Brasileiro de Economia, Administração e Sociologia Rural, Belo Horizonte/MG: SOBER, 2011.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo Agropecuário 2017. Brasília, 2017. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/agricultura-e-pecuaria/21814-2017-censo-agropecuario.html?=&t=o-que-e Acesso em: 10 de outubro de 2020.

__________ . Sistema da Recuperação Automática de Dados (SIDRA). Censo Agropecuário 2017. Brasília, 2019a. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/censo-agropecuario/censo-agropecuario-2017 . Acesso em: 13 de outubro de 2020.

_________ . Censo agropecuário 2017 – resultados definitivos. Rio de Janeiro, v. 8, p.1-105, 2019b.

__________ . Censo Agro 2017 – retratando a realidade do Brasil agrário. Apresentação resumo. Rio de Janeiro, 2019c. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/media/com_mediaibge/arquivos/d37d30efd337a9b66852d60148695df1.pdf Acesso em 11 de março de 2021.

LANG, Tim; HEASMAN, Michael. Food wars: the global battle for mouths, minds and markets. London: Earthscan. 2009.

MALUF, Renato Sergio. Mercados agroalimentares e a agricultura familiar no Brasil: agregação de valor, cadeias integradas e circuitos regionais. Ensaios FEE. Porto Alegre, v. 25, n. 1, p. 299-322, abr. 2004.

MARCONI, Maria de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de Metodologia Científica 5ªed. Atlas. São Paulo – SP, 2003.

MATTEI, Lauro. A política agrária e os retrocessos do governo Temer. OKARA: Geografia em debate, v.12, n.2, p. 293-307. João Pessoa – PB, 2018.

MIOR, Luiz Carlos. Agricultores familiares, agroindústrias e redes de desenvolvimento rural. Argos. Chapecó, 2005.

PELEGRINI, Gelson; GAZOLLA, Marcio. A agroindústria familiar no Rio Grande do Sul: limites e potencialidades a sua reprodução social. Frederico Westphalen – RS: Editora da URI, 2008.

PLOEG, Jan Dowe V. Camponeses e impérios alimentares: lutas por autonomia e sustentabilidade na era da globalização. Ed. UFRGS. Porto Alegre - RS, 2008.

POLANYI, Karl. The great transformation: the political and economic origins of our time. 2001.

SANTOS, Antonio Raimundo dos. Metodologia Científica – a construção do conhecimento. 7ªed. Lamparina. Rio de Janeiro – RJ, 2007.

SCHNEIDER, Sergio; FERREIRA, Brancolina; ALVES, Fabio. (Orgs.). Aspectos multidimensionais da agricultura brasileira: diferentes visões do Censo Agropecuário 2006. Brasília: IPEA. 2014.

SILVA, Carlos A. da.; MHLANGA, Nomathemba. Introduction: Innovative policies and institutions to support agro-industries development. In: FAO – Food and Agriculture Organization. Innovative policies and institutions to support agro-industries development. Roma, 2011.

WAQUIL, Paulo D. et. al. O perfil da agroindústria rural no brasil: uma análise com base nos dados do censo agropecuário 2006. In: SCHNEIDER, Sergio; FERREIRA, Brancolina; ALVES, Fabio. (Orgs.). Aspectos multidimensionais da agricultura brasileira: diferentes visões do Censo Agropecuário 2006. IPEA. Brasília, 2014.

WESZ JUNIOR, Valdemar J. Políticas públicas de agregação de valor e as cadeias curtas: um olhar sobre o PRONAF-Agroindústria. In: GAZOLLA, Marcio; SCHNEIDER, Sergio (Orgs.). Cadeias curtas e redes agroalimentares alternativas: negócios e mercados da agricultura familiar. Ed. UFRGS. Porto Alegre – RS, 2017.

WILKINSON, John; MIOR, Luiz Carlos. Setor informal, produção familiar e pequena agroindústria: interfaces. Estudos Sociedade e Agricultura. UFRRJ. Rio de Janeiro. n.13, p. 29 – 45, 1999.

WILKINSON, John. Mercados, redes e valores: o novo mundo da agricultura familiar. Ed. UFRGS/PGDR. Porto Alegre, 2008.

Downloads

Publicado

2021-10-01

Edição

Seção

Artigos