Agroecologia e Bem Viver como modo de vida e como modelo sustentável de produção agrícola e de consumo de alimentos

Gisele Elise Diedrich, Elaine Biondo, Flávia Muradas Bulhões

Resumo


O atual modelo convencional de Agricultura vem sendo questionado há muito tempo, especialmente pelos inúmeros impactos negativos que causam a natureza e aos seres humanos. Porém, existem alternativas a esse modelo, entre eles a Agroecologia e o Bem Viver. Neste sentido, o trabalho realizado em uma unidade de produção familiar agroecológica, no interior do município de Santa Clara do Sul/RS, buscou entender e discutir as motivações de uma família de agricultores em optar pela Agroecologia como modo de vida na busca do Bem Viver e os impactos dessa escolha na sua qualidade de vida. O estudo de caso foi realizado no período de janeiro a outubro de 2019, através de pesquisa qualitativa, utilizando o método de história de vida, combinado com entrevista semiestruturada com todos os integrantes da família, observação participante e visita guiada pela propriedade. Os resultados demonstram que a Agroecologia possibilitou à família, criar laços de pertencimento ao seu espaço de vida, com uma relação de respeito à natureza, assim como preconiza o Bem Viver. O modo de vida da família está voltado para a Agroecologia e o Bem Viver, pois busca uma agricultura alternativa, com o uso de técnicas de manejo e conservação que protegem a biodiversidade, através de uma nova relação com a natureza, com respeito a terra e aos recursos naturais, buscando qualidade de vida.


Texto completo:

PDF

Referências


ACOSTA, A. O bem viver: uma oportunidade para imaginar outros mundos. Tradução de Tadeu Breda. São Paulo: Autonomia Literária, Elefante, 2016.

ALCÂNTARA. L. C. S.; SAMPAIO, C. A. C. Bem Viver como paradigma de desenvolvimento: utopia ou alternativa possível? Desenvolvimento e Meio Ambiente, UFPR, v. 40, p. 231-251, 2017.

ALMEIDA, J. A construção social de uma nova agricultura: tecnologia agrícola e movimentos sociais no Sul do Brasil. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

ALTIERI, M. Agroecologia: a dinâmica produtiva da agricultura sustentável. 4.ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2004.

BALEM, T. A., SILVEIRA, P. R. C. Agroecologia: além de uma ciência, um modo de vida e uma política pública. V Simpósio Latino-americano sobre Investigação e Extensão em Pesquisa Agropecuária - IESA. V Encontro da Sociedade Brasileira de Sistemas de Produção - SBSP. 2002.

BECKER, H. S. Métodos de Pesquisa em Ciências Sociais. São Paulo: Ed. Pioneira, 1999.

BIONDO, E. FLECK, M. KOLCHINSKI, E.M.; SANT’ANNA, V.; POLESI, R.G. Diversidade e potencial de utilização de plantas alimentícias não convencionais no Vale do Taquari, RS. Revista Eletrônica Científica da Uergs, v.4, n.1, p.61-91, 2018.

BONIN, I. O Bem Viver Indígena e o futuro da humanidade. Encarte Pedagógico X , Jornal Porantim. Dezembro/2015. Disponível em https://cimi.org.br/o-bem-viver-indigena-e-o-futuro-da-humanidade/. Acesso em : 18 de outubro de 2019.

BONJORNO, I. I.; ZANETTI, C.; LEIDENS, G. Referências metodológicas para ações práticas em Agroecologia e Segurança e Soberania Alimentar no Vale do Taquari. In.: BIONDO, E.;ZANETTI,C. (Orgs.) Articulando a Agroecologia em Rede, São Leopoldo: Oikos, p. 243-258, 2021.

BRANDÃO, J. D., DELLAI, W. Bem viver e agroecologia: da emergência epistêmica à práxis descolonial. Cadernos de Agroecologia – ISSN 2236-7934 – Anais do VI CLAA, X CBA e V SEMDF – Vol. 13, N° 1, Jul. 2018.

CANAVESI, F. de C., MOURA, I. F. de, SOUZA, C. Agroecologia nas políticas públicas e promoção da segurança alimentar e nutricional. Segurança Alimentar e Nutricional, Campinas, v. 23, p.1019-1030, dez. 2016.

CAPORAL, F. R., AZEVEDO, E. O. de, (Orgs). Princípios e Perspectivas da Agroecologia. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Paraná – Educação a distância, 2011.

CONTERATO, M; SCHNEIDER, S.; WAQUIL, P. Estilos de agricultura: uma perspectiva para a análise da diversidade da agricultura familiar. Ensaios FEE, Porto Alegre, v. 31, n. 1, p. 149-186, 2010.

COSTA, A.M.; KUHN, D. Bien Vivir/Buen Viver/Bem Viver: uma proposta de pós-desenvolvimento nas Epistemologias do Sul. Revista IDeAS, v.11, n.1-2,p.34-66, 2017. Disponível em < https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/196/226>. Acesso 13 jul. 2020.

DE MARI, L. C., TAVARES, P. D. V. B., FONSECA, V. M. Alimentos, saberes e educação para o “bem viver”: os camponeses um passo adiante. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental. Rio Grande, v. 34, n. 3, p. 37-54, set./dez. 2017.

FEE. Fundação de Economia e Estatística. Perfil Socioeconômico – Vale do Rio Taquari. 2018. Disponível em: Acesso em 22 out. 2019.

FREITAS, W. R. S.; JABBOUR C. J. C. Utilizando estudo de caso(s) como estratégia de pesquisa qualitativa: boas práticas e sugestões. ESTUDO & DEBATE, Lajeado, v. 18, n. 2, p. 07-22, 2011.

FROTA, M. T. B. Araujo e SIQUEIRA, Carlos Eduardo. Agrotóxicos: os venenos ocultos na nossa mesa. Cadernos de Saúde Pública [online]. v. 37, n. 2 [Acessado 18 Fevereiro 2021] , 00004321. Disponível em: . ISSN 1678-4464. https://doi.org/10.1590/0102-311X00004321.

GEORGESCU-ROEGEN, N. The Entropy Law and the Economic Process. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1971

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GLIESSMAN, S. R. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 2000. 653p.

GONÇALVES, S., ENGELMANN, S. A. A agroecologia e a reestruturação do desenvolvimento rural. CAMPO-TERRITÓRIO: Revista de Geografia Agrária, v.4, n. 8, p. 29-51, ago. 2009.

IBGE. Censo Agropecuário 2017 - Resultados definitivos. 2019. Disponível em: Acesso em: 22 out. 2019.

IBGE. Censo Demográfico 2010. Disponível em: Acesso em: 22 out. 2019.

ITELVINO, L. S. et al . Formação do empreendedor social e a educação formal e não formal: um estudo a partir de narrativas de história de vida. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 26, n. 99, p. 471-504, Junho, 2018.

KOLCHINSKI, E. M.; ZANETTI, C. (Orgs.) Plano territorial de desenvolvimento rural sustentável do Vale do Taquari/RS. – Encantado: UERGS; CODETER VT, 2017.

KINUPP, V.F.; LORENZI, H. Plantas Alimentícias Não-Convencionais (PAN’C) no Brasil: guia de identificação, aspectos nutricionais e receitas ilustradas. Nova Odessa: Ed. Plantarum, 768p. 2014.

KRONBAUER, E.A.; BERNARDO, M.A.T.; ZANETTI, C.; BIONDO, E. Organização de Controle Social Defensores da Natureza: Relato de Experiência Sobre Regulação da Produção Orgânica em Arroio do Meio, RS. Revista Geonordeste, São Cristovão, ANO XXX, n.2, Edição Especial, p.104-118, jul-dez, 2019.

LEIDENS,G.; ZANETTI,C.; BIONDO, E.; KOLCHINSKI,E.M.; BONJORNO, I. I. Olhares sobre a Agrobiodiversidade na Produção Agroecológica em Santa Clara do Sul. Cadernos e Agroecologia ISSN 2236-7934 - Anais do 1º Congresso Online Internacional de Sementes Crioulas e Agrobiodiversidade - Dourados, Mato Grosso do Sul- v. 15, nº. 4, 2020.

LOPES, C. V. A. e ALBUQUERQUE, G. S. C. de. Desafios e avanços no controle de resíduos de agrotóxicos no Brasil: 15 anos do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos. Cadernos de Saúde Pública [online]. v. 37, n. 2 [Acessado 18 Fevereiro 2021] , e00116219. Disponível em: . ISSN 1678-4464. https://doi.org/10.1590/0102-311X00116219.

LOPES, P. R. et al. Importância da agrobiodiversidade: conservação on farm ou conservação na roça? In: SORRENTINO et al. (Orgs). Educação, agroecologia e bem viver: transição ambientalista para sociedades sustentáveis. Piracicaba, SP: MH-Ambiente Natural, 2017.

MORAES, F. C. de; SORRENTINO, M. Agroecologia, movimentos sociais e Bem Viver. In: SORRENTINO et al. (Orgs). Educação, agroecologia e bem viver: transição ambientalista para sociedades sustentáveis. Piracicaba, SP: MH-Ambiente Natural, 2017.

NICHOLLS, C.; ALTIERI, M. Diseños Agroecológicos Para Incrementar la Biodiversidad de Entomofauna Benefica em Agroecosistemas. Colômbia, Medelín: SOCLA, 2013. 80p.

PASQUALOTTO, N.; KAUFMANN, M.P.; WIZNIEWKY, J. G. Agricultura familiar e Desenvolvimento Rural Sustentável [Recurso Eletrônico]. 1ed. Santa Maria: UFSM, NTE, 2019. 115P.

PINHEIRO, G. S. R. Agricultor familiar e projeto agroecológico de vida. 2004. Dissertação (Mestrado em Sociologia das Organizações) - Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2004.

PLOEG, J.D. Camponeses e os Impérios Alimentares. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008.

RIGON, S. do A. et al. A Alimentação como Forma de Mediação da Relação Sociedade Natureza: Um Estudo de Caso sobre a Agricultura Ecológica e o Auto-consumo em Turvo – PR. III Encontro da ANPPAS, Brasília – DF, 23 a 26 de maio de 2006.

RIO GRANDE DO SUL. Perfil Socioeconômico: COREDE Vale do Taquari. Porto Alegre, 2015. Disponível em: Acesso em 13 out. 2019.

SEMA. Secretaria Estadual do Meio Ambiente. Certificação para Uso Sustentável da Flora Nativa. Disponível em https://www.sema.rs.gov.br/sistemas-agroflorestais. Acesso em 25 nov. 2020.

SANTA CLARA DO SUL. Lei Nº 2.206, de 29 de junho de 2017. Dispõe sobre incentivos ao Programa de Produção de Alimentos Orgânicos e Agroecológicos, e dá outras providências. Disponível em: < https://leismunicipais.com.br/a/rs/s/santa-clara-do-sul/lei-ordinaria/2017/220/2206/lei-ordinaria-n-2206-2017-dispoe-sobre-incentivos-ao-programa-de-producao-de-alimentos-organicos-e-agroecologicos-e-da-outras-providencias> Acesso em: 19 out. 2019.

SANTOS, L. C. R dos, et al. Agroecologia: saberes e práticas locais como componentes do Bem Viver. Revista Latino-Americana de Estudos em Cultura e Sociedade. v. 03, ed. especial, dez. 2017.

SANTOS, A. et al. Interdisciplinaridade, agroecologia e o homem com sujeito ativo na relação com a natureza. Brazilian Journal of Development , Curitiba, v.6, n.9, p69208 -69225, 2020.

SEVILLA GUZMÁN, E. Uma estratégia de sustentabilidade a partir da Agroecologia. Agricultura e Desenvolvimento Rural Sustentável, Porto Alegre, v.1, n.1, p. 35-45, jan./mar. 2001.

SILIPRANDI, E. C. Mulheres e Agroecologia: a construção de novos sujeitos políticos na agricultura familiar. 291f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Sustentável) – Centro de Desenvolvimento Sustentável. Universidade de Brasília, Brasília - DF, 2009.

SILVA, A.P. et al. “Conte-me sua história”: reflexões sobre o método de História de Vida. Mosaico: estudos em psicologia. (1):25-35. 2007

SILVA, M. Z. T.. A segurança e a soberania alimentares: conceitos e possibilidades de combate à fome no Brasil. Configurações, 25.-1, p. 97-111., 2020

STOPPELLI, I. M. de B. S.; MAGALHAES, C. P.. Saúde e segurança alimentar: a questão dos agrotóxicos. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro , v. 10, supl. p. 91-100, Dec. 2005.

TORRES, A. V. da S.; SILVA L. A. G. C. Agricultura familiar em destaque. In: Câmara dos Deputados. Legislação sobre agricultura familiar [recurso eletrônico]: dispositivos constitucionais, leis e decretos relacionados a agricultura familiar. Brasília: 2016.

VOGTMANN, H; WAGNER, R. Agricultura ecológica: teoria e prática. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1987.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2001.

ZANETTI,C.; BIONDO,E. Introdução: Constituição do Núcleo de Estudos em Agroecologia e Produção Orgânicano Território Rural Vale do Taquari, RS, Brasil. In.: BIONDO, E.;ZANETTI,C. (Orgs.) Articulando a Agroecologia em Rede, São Leopoldo: Oikos, 2021, p.19-33.




DOI: https://doi.org/10.26767/coloquio.v18i3.2128

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.