Redes sociais e inserção da população pobre no mercado de trabalho: uma análise a partir de uma cidade média do Rio Grande do Sul

Marco André Cadoná, Cláudia Tirelli, Sílvia Virgínia Areosa

Resumo


O artigo trata dos resultados de uma pesquisa que teve como objetivo analisar a influência das redes sociais sobre as dinâmicas de inserção e de permanência de populações pobres no mercado de trabalho. As trajetórias de trabalho de indivíduos residentes em bairros periféricos da cidade de Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul, são tomadas como referências para a análise de como as redes sociais estão presentes tanto no momento da procura de uma ocupação quanto na criação de condições para que “que se possa trabalhar”. A análise dos dados levantados durante a pesquisa, através da aplicação de um formulário de pesquisa junto a 108 trabalhadores e trabalhadoras, indica a importância das redes de apoio familiar, constituindo-se em “lugares de ajuda” tanto para que se possa trabalhar quanto para que se possa enfrentar as dificuldades que decorrem de trajetórias descontínuas de trabalho, caracterizadas por períodos de ocupação que se intercalam com períodos de desemprego.


Texto completo:

PDF

Referências


CADONÁ, Marco A. Dinâmicas regionais de organização dos mercados urbanos de trabalho: uma análise a partir dos mercados de trabalho nas cidades da Microrregião de Santa Cruz do Sul (RS). Santa Cruz do Sul, Estudos do CEPE, v. 1, p. 87-102, 2015.

CADONÁ, Marco A.; TIRELLI, Cláudia; AREOSA, Sílvia C. Políticas habitacionais, segregação residencial e desigualdades no acesso às políticas públicas: uma análise a partir do acesso a serviços públicos de saúde. REDES, Santa Cruz do Sul, v. 22, p. 326-45, 2017.

DIESSE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos). A situação do trabalho no Brasil. São Paulo: DIEESE, 2012.

FONSECA, Claudia. Concepções de família e práticas de intervenção: uma contribuição antropológica. Saúde e Sociedade, v. 14, n. 2, p.50-59, 2005.

GUEIROS, Dalva. Família e trabalho social: intervenções no âmbito do Serviço Social. Revista Katál, Florianópolis, v. 13, n. 1, p. 126-132, jan./jun. 2010.

GRANOVETTER, Mark. The strength of weak tie”. American Journal of Sociology, v. 78, nº 6, 1973, pp. 1361 80.

_______. Getting a Job: A Study of contacts and careers. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1995. GRANOVETTER, M. Ação econômica e estrutura social: o problema da imersão. RAE Eletrônica, v.6, n.1, jan/jun, 2007.

GUIMARÃES, Naya Araujo. A sociologia dos mercados de trabalho, ontem e hoje. Novos Estudos CEBRAP, n. 85, p. 151-70, nov. 2009.

MARQUES, Eduardo. Pobreza, sociabilidade e tipos de redes sociais em São Paulo e Salvador. Visioni LatinoAmericane è la rivista del Centro Studi per l'America Latina, n. 8, p. 42.59, gennaio 2013.

OLIVEIRA, Adriana Lucinda de; SILVA, Luiz Everson da. As contribuições dos estudos de Granovetter para o debate sobre o processo de tessitura de laços e redes no contexto da inserção profissional de egressos do ensino superior. Revista Educação e Linguagens, Campo Mourão, v. 4, n. 7, p. 103-14, jul/dez 2015.

PEIXOTO, João; EGREJA, Catarina. A força dos laços fracos: estratégias de emprego entre os imigrantes brasileiros em Portugal. Tempo Social: Revista de Sociologia da USP, v. 24, n. 1, p. 263-81, jun. 2012.

STEINER, Philippe. A sociologia econômica. São Paulo: Atlas, 2006.

TIRELLI, Claudia; CADONÁ, Marco A.; AREOSA, Sílvia C. Redes familiares de apoio e inserção da população no mercado de trabalho: uma análise a partir de trabalhadores das periferias de Santa Cruz do Sul. Santa Cruz do Sul: UNISC, 2020. (Relatório de Pesquisa).




DOI: https://doi.org/10.26767/coloquio.v18i2.2033

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.