Análise das trajetórias das exportações de Brasil e Argentina no comércio internacional do complexo soja (1990 - 2018)

Maiara Thaís Tolfo Gabbi, Nilson Luiz Costa, Gabriel Nunes de Oliveira, Elisangela Gelatti, Angélica Cristina Rhoden

Resumo


O estudo teve como objetivo analisar as trajetórias de exportações de Brasil e Argentina no comércio internacional de soja em grãos, farelo de soja e óleo de soja entre 1990 a 2018. Para tal utilizou-se um modelo econométrico de taxa de crescimento através da coleta de dados secundários no Department of Agriculture (USDA) para o período de 1990 a 2019. Os resultados mostram de forma comparada que a Argentina apresentou uma taxa de crescimento anual maior nas exportações de farelo de soja 7,05% e óleo de soja 6,16%, enquanto a taxa geométrica de crescimento das exportações para soja em grãos representou 5,15%, no consumo doméstico a Argentina obteve uma taxa de crescimento anual de 7,22%. Já o Brasil, obteve uma taxa de crescimento maior nas exportações de soja em grãos 12,12%, enquanto as exportações de farelo de soja e óleo de soja representaram respectivamente, 1,97% e 1,92%, e no consumo doméstico obteve uma taxa geométrica de crescimento de 3,91%. Por fim, o modelo econométrico de taxa de crescimento permitiu analisar o cenário de exportações de Brasil e Argentina e concluir que nas últimas décadas a Argentina se destacou pelo aumento nas exportações de farelo e óleo de soja, enquanto o Brasil pelo aumento nas exportações de soja em grãos, o que evidencia trajetórias de exportação antagônicas.

Texto completo:

PDF

Referências


CALDARELLI, C. E.; GABARDO DA CÂMARA, M. R.; SEREIA, V. J. O complexo agroindustrial da soja no Brasil e no Paraná: exportações e competitividade no período 1990 a 2007. Organizações Rurais & Agroindustriais, vol. 11, núm. 1, pp. 106-120, janeiro-abril, 2009.

CÁMERA DE LÁ INDÚSTRIA ACEITERA DE LA REPÚBLICA ARGENTINA (CIARA). Consulta de Evolución de los Aranceles de Exportación, 2020. Disponível em: Acesso em 27 de janeiro de 2020.

COSTA, N. L.; SANTANA, A. C. de. Poder de mercado e desenvolvimento de novas cultivares de soja transgênicas e convencionais: análise da experiência brasileira. Rev. Cienc. Agrar., v. 56, n. 1, p. 61-68, jan./mar. 2013.

FIGUEIREDO, A. M.; SANTOS, M. L. Evolução das vantagens comparativas do Brasil no comércio mundial de soja. Revista Política Agrícola, ano XIV, nº1, jan./fev./mar. 2005.

GUJARATI, D. Econometria básica. Rio de Janeiro: Elsevier. 3ª ed., 2006.

GUJARATI, D. N.; PORTER, D. C.. Econometria Básica. São Paulo, ed. AMGH Editora Ltda 5ºed. 2011.

HINRICHSEN, J. J. Annual Yearbook on Oilseeds Markets. Buenos Aires, 2013.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA PECUÁRIA E ABASTECIMENTO (MAPA). Estatísticas de Comércio Exterior do Agronegócio Brasileiro – Plataforma AGROSTAT. Disponível em: Acesso em 22 de janeiro de 2020.

RICHARDSON, N. P. Export-Oriented Populism: Commodities and Coalitions in Argentina. Journal Springer, St Comp Int Dev, 44:228–255, 2008.

SAMPAIO, L. M. B.; SAMPAIO, Y.; BERTRAND, J. P. Fatores determinantes da competitividade dos principais países exportadores do complexo soja no mercado internacional. Revista Organizações Rurais & Agroindustriais, Universidade Federal de Lavras Minas Gerais, Brasil, vol. 14, núm. 2, pp. 227-242, 2012.

SANTANA, A. C. de. Métodos quantitativos em economia: elementos e aplicações. Belém: UFRA, 2003.

UNITED STATES DEPARTMENT OF AGRICULTURE (USDA). Foreign Agricultural Service. Disponível em: Acesso em 15 de dezembro de 2019.

UNITED STATES DEPARTMENT OF AGRICULTURE (USDA). World Agricultural Supply and Demand Estimates, 2016. Disponível em: Acesso em 15 de dezembro de 2019.




DOI: https://doi.org/10.26767/colóquio.v17i4.1805

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.