Reflexões sobre os determinantes da competitividade da Agroindústria Processadora de Soja no Rio Grande Do Sul

Angélica Cristina Rhoden, Nilson Luiz Costa, Elisangela Gellati, Argemiro Luis Brum

Resumo


O objetivo do presente artigo foi analisar os determinantes da competitividade da agroindústria gaúcha processadora de soja, com base em suas percepções sobre os determinantes da competitividade sistêmica. O referencial teórico utilizado contemplou as contribuições sobre o Modelo de Competitividade Sistêmica. Os procedimentos empregados para atender aos objetivos da pesquisa contemplam a coleta de dados primária, realizada através de questionários semiestruturados, com questões fechadas e abertas. As técnicas empregadas para o tratamento dos dados foram as medidas de tendência central e de dispersão. Também foram calculados indicadores para sumarizar as respostas dos questionários aplicados para gestores das nove agroindústrias pesquisadas. Os resultados revelaram que os investimentos das processadoras entre 2013 a 2018 foram concentrados em inovações, gestão empresarial e variáveis vinculadas ao processo produtivo. A análise permitiu concluir que os fatores que fundamentam a atuação competitiva das empresas estão baseados na estrutura produtiva e na gestão empresarial.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDÚSTRIAS DE ÓLEOS VEGETAIS - ABIOVE. Pesquisa de Capacidade Instalada da Indústria de Óleos Vegetais. 2017. Disponível em:. Acesso em: 11 Jul. 2017.

BAUMANN, Renato; CANUTO, Otaviano; GONÇALVES, Reinaldo. Economia internacional – teoria e experiência brasileira. Rio de Janeiro: Campus, 2004

BRASIL, Ministério do Trabalho e Emprego. Programa de Disseminação das Estatísticas do Trabalho (PDET). Brasília, 2016. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2017.

BRUM, Argemiro Luís et al. (Orgs.). A economia mundial da soja: impactos na cadeia produtiva da oleaginosa no Rio Grande do Sul 1970-2000. Ijuí: UNIJUI, 1998. 52 p.

COSTA, Nilson Luiz; SANTANA, A. C. ; MATTOS, C. A. C. . Análise dos determinantes da produção agropecuária do Rio Grande do Sul. Ensaios FEE (Impresso), v. 36, p. 159-178, 2015a.

COSTA, Nilson Luiz; SANTANA, A. C. . Exports and market power of the soybean processing industry in Brazil between 1980 and 2010. African Journal of Agricultural Research, v. 10, p. 2590-2600, 2015b.

COSTA, Nilson Luiz; SANTANA, A. C. . Estudo da Concentração de Mercado ao Longo da Cadeia Produtiva da Soja no Brasil. REVISTA DE ESTUDOS SOCIAIS (UFMT), v. 16, p. 111, 2014.

COUTINHO, L; FERRAZ, J.C. Estudo da competitividade da indústria brasileira. Campinas: Papirus, 1994.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA - EMBRAPA. Avaliação econômica da produção de soja nos Estados do Paraná e Rio Grande do Sul na safra 2016/17. Londrina, Paraná. 2017. 14p.Disponível em:< https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/154843/1/CT126.pdf>. Acesso em: 10 out. 2017.

ESSER, Klaus et al. Competitividad Sistèmica: Competitividad internacional de las Empresas y políticas requeridas. Berlin: Instituto Aleman de Desarrollo – IAD, 1994, 96p.

FARINA, E.M.M.Q.; AZEVEDO, P.F.; SAES, M.S.M. Competitividade: Mercado, Estado e Organizações. São Paulo: Singular, 1997.

FAVERO, L. P.; BELFIORE, P.; Silva, F. L. da; Chan, B. Análise de dados – modelagem multivariada para tomada de decisões. São Paulo: Ed. Campus, 2009.

FERRAZ, J.C.; KUPFER, D.; HAGUENAUER, L. Desafios competitivos para a indústria. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

LAZZARINI, S. G.; NUNES, R. Competitividade do sistema agroindustrial da soja. São Paulo: PENSA/USP, 2000.

MATTOS, Carlos André Corrêa de. Organização agroindustrial e competitividade de empresas de laticínios no Estado do Pará. Embrapa Amazônia Oriental. Belém, 2012. 2016p.

PEREIRA, J. C. R. Análise de dados qualitativos: estratégias metodológicas para as ciências da saúde, humanas e sociais. São Paulo: Edusp, 2001.

PORTER, Michael E. Estratégia competitiva: técnicas para análise de indústrias e da concorrência. 16. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1986.

______. Vantagem Competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus, 1992.

______. Estratégia competitiva: técnicas para análise da concorrência. Rio de Janeiro: Elsevier, 1999.

POSSAS, M.L. Competitividade: fatores sistêmicos e política industrial – implicações para o Brasil. In: Castro, A.B. (org.), Possas, M.L. (org.), Proença, A. (org.) Estratégias empresariais na indústria brasileira: discutindo mudanças. Rio de Janeiro: Forense, 1996.

RHODEN, A. C. ; COSTA, N. L. ; SANTANA, A. C. ; GABBI, M. T. T. ; JANEQUE, R. A. . Analysis of the generation of formal employment by the soybeans production chain in the Rio Grande do Sul State/Brazil: 2002-2015. International Journal of Development Research, v. 7, p. 18062-18070, 2017.

SAMPIERI, R. H.; COLLADO, C. F.; LUCIO, P. B. Metodologia da pesquisa. 3. ed. São Paulo: McGraw-Hill, 2006

SANTANA, A. C. de. A competitividade sistêmica das empresas de madeira da região Norte. Belém: FCAP, 2002.

SANTANA, Antonio C.; SANTANA, Ádamo L. Mapeamento e análise de arranjos produtivos locais na Amazônia. Passo Fundo: UPF, v. 12, n. 22, p. 9-34, 2004.

SINDICATO DA INDÚSTRIA DE ÓLEOS VEGETAIS NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL - SIÓLEO. Indústria óleos vegetais no estado do Rio Grande do Sul. Disponível em:. Acesso em: 10 jul. 2017.

TEIXEIRA, Gustavo et al. Características da logística da soja brasileira: impactos e competitividade exportadora. In: VIII Sintagro – Simpósio Nacional de Tecnologia em Agronegócio. São Paulo, 2016. Disponível em: http://www.fatecjales.edu.br/sintagro/images/anais/tematica6/caracteristicas-da-logistica-da-soja-brasileira.pdf>. Acesso em: 10 jun. 2018.




DOI: https://doi.org/10.26767/coloquio.v17i1.1578

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.