Narrativas Discursivas das Empresas Fumageiras Instaladas no Vale do Rio Pardo (RS): um Estudo sobre Poder e Território

Ana Flávia Marques

Resumo


Enquanto empresas mais representativas em termos de geração de empregos e renda na Região do Vale do Rio Pardo (RS), as fumageiras constituem-se na personificação da ação territorializadora do capital sobre os espaços. Seus discursos oficiais são monólogos que fortalecem a dominação do capital sobre as sociedades, naturalizando injustiças socioambientais. A pesquisa desenvolvida ocupou-se em, por meio da metodologia da análise crítica do discurso, estudar as narrativas de quatorze empresas fumageiras, discutindo suas implicações no desenvolvimento da região, visando fornecer instrumentos para o fortalecimento dos atores locais e da escala regional, bem como das forças horizontais que garantem um contraponto à homogeneição globalizadora dos territórios. Conhecer as narrativas dessas empresas, que convertem os bens ambientais em recursos de produção monocultora voltada à exportação e que geram externalidades socioambientais negativas não contabilizadas nos balanços econômicos, é etapa fundamental para a emergência de vozes plurais, com léxico próprio e adequado à compreensão da realidade pelo conjunto de seus atores.

Texto completo:

PDF

Referências


ACSELRAD, H. As práticas espaciais e o campo dos conflitos ambientais. p. 13-35. In: _____. Conflitos Ambientais no Brasil. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2004a.

ACSELRAD, H.; HERCULANO, S.; PÁDUA, J.A. A Justiça Ambiental e a Dinâmica das Lutas Socioambientais no Brasil – uma Introdução. P. 9-20. In: ACSELRAD, H.; HERCULANO, S.;

PÁDUA, J. A. (org.). Justiça Ambiental e Cidadania. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2004-b.

AFUBRA – Associação de Fumicultores do Brasil. Evolução da Fumicultura na região Sul do

Brasil. Disponível em: https://afubra.com.br/fumicultura-brasil.html. Acesso em: 28 mar. 2018.

ETGES, V. E. Prefácio. P.07-08. In: SILVEIRA, R. L. L. da. (org.) Tabaco, Sociedade e Território: Relações e Contradições no Sul do Brasil. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2013.

FAIRCLOUGH, N. Critical Discourse Analysis as a Method in Social Scientific Research. In: WODAK and MEYER (org.). Methods of Critical Discourse Analysis. 2 ed. Londres: Sage, 2005. p. 121-138.

______. Discurso e Mudança Social. 2 ed. Brasília: UNB, 2016.

FEE – Fundação de Economia e Estatística do Rio Grande do Sul. Estatísticas Populacionais. Disponível em: http://www.fee.rs.gov.br/perfil- socioeconomico/coredes/detalhe/?corede=Vale+do+Rio+Pardo. Acesso em 20 dez. 2016.

FEE – Fundação de Economia e Estatística do Rio Grande do Sul. Estatísticas Populacionais. Disponível em: http://www.fee.rs.gov.br/perfil-socioeconomico/coredes/detalhe/?corede=Vale+do+Rio+Pardo. Acesso em 15 jul. 2018.

HAESBAERT, R. O Mito da Desterritorialização. Do “Fim dos Territórios” à Multiterritorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

HARVEY, D. A Produção Capitalista do Espaço. São Paulo: Annablume, 2005.

______. Espaços de Esperança. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

HARRIS, M. Teorías sobre la Cultura em la Era Posmoderna. Barcelona: Romanyà Press/Valls, 2004.

LATOUR, B. Crise. In: Jamais Fomos Modernos. Ensaio de Antropologia Simétrica. 3. Reimpressão. Rio de Janeiro: Editora 34, 2005. P. 7-17.

LEFF, E. Saber Ambiental. Sustentabilidade. Racionalidade. Complexidade. Poder. 3 ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2001.

MARQUES, A. F. BUBLITZ, T. A. Spaces, Processes and Vulnerability Relations. In: Santa Cruz do Sul (RS) City: Building Paths in Environmental Justice Field. p. 580−591. In: Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental. Santa Maria, v. 20, n. 1, jan. abr. 2016. Revista do Centro de Ciências Naturais e Exatas – UFSM.

RAMOS, M. P.; PAIVA, C. N. Á. Limitações e Possibilidades da Análise de Indicadores Regionais: O Caso do COREDE do Vale do Rio Pardo. P. 83-92. In: REDES. v. 10, n. 2, maio/ago. 2005.

SANTOS, B. de S. (org.). Semear Outras Soluções. Os Caminhos da Biodiversidade e dos Conhecimentos Rivais. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

SEN, A; KLIKSBERG, B. As Pessoas em Primeiro Lugar. A Ética do Desenvolvimento e os Problemas do Mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

SILVEIRA, R. L. L. da. Apresentação. In: SILVEIRA, R. L. L. da. (org.) Tabaco, Sociedade e Território: Relações e Contradições no Sul do Brasil. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2013. p. 9-15

SINDICATO INTERESTADUAL DA INDÚSTRIA DO TABACO – SindiTabaco. Empresas Associadas. Disponível em: http://www.sinditabaco.com.br/a-entidade/associadas/. Acesso: 23 maio, 2017.




DOI: https://doi.org/10.26767/coloquio.v16i3.1306

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.