SEGMENTAÇÃO DE CUSTOS SCM E SVA EM EMPRESA DE TELECOMUNICAÇÕES: ESTUDO DE CASO

Jairo Muniz da Silva, Querte Mehlecke

Resumo


O presente estudo tem como objetivo identificar e segmentar os custos e bens do ativo imobilizado, dentro de um provedor de serviços de internet, do tipo Provedor de Serviço de Conexão a Internet - PSCI, para separar entre Serviços de Comunicação Multimídia - SCM e Serviços de Valor Adicionado – SVA. Para tanto, foram analisados os conhecimentos dos entrevistados sobre conceitos básicos, como Custos e Imobilizado e seus controles na empresa. Para a realização deste estudo, buscou-se nos referenciais bibliográficos e na legislação vigente o aporte teórico necessário para o seu desenvolvimento. Utilizou-se a pesquisa qualitativa com abordagem descritiva, por meio de entrevista e análise de dados, juntamente com o gestor da organização e com o colaborador, responsável pelo departamento técnico de instalações e materiais. A partir da análise dos dados coletados, identificou-se que uma das maiores dificuldades no processo de separação e identificação dos custos entre SCM e SVA se deve à complexidade do assunto e, também, pelo fato de o tema ser bastante inovador, faltando, inclusive, legislação estadual para esclarecer algumas discussões que envolvem a separação dos custos em SCM e SVA. Aconselha-se a busca contínua do aprofundamento sobre esse tema, para que mais pessoas possam dominar o assunto, a fim de dar suporte ao gestor no processo de separação de SCM e SVA.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRINT - Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2018.

______. Serviço de Valor Adicionado – SVA: Estudo sobre SVA, SCM e Modelos de Operações. Disponível pela ABRINT aos sócios em 2017.

ALVES, Adler Anaximandro de Cruz e. A legalidade da fusão, cisão e incorporação de empresas como instrumentos de planejamento tributário. Revista Jus Navigandi, Teresina, ano 8, n. 61, 1 jan. 2003. Disponível em: . Acesso em: 1 mai. 2018.

BORGES, Eduardo de Carvalho (Coord.). Tributação nas Telecomunicações. – São Paulo: Quartier Latin, 2005.

BRASIL. Lei n° 9.472, de 16 de julho de 1997. Dispõe sobre a organização dos serviços de telecomunicações, a criação e funcionamento de um órgão regulador e outros aspectos institucionais, nos termos da Emenda Constitucional nº 8, de 1995. Diário Oficial da União, Brasília, 17 jul. 1997. Seção 1, p. 15081. Disponível em: . Acesso em: 1 mai. 2018.

______. Lei n° 11.638, de 28 de dezembro de 2007. Altera e revoga dispositivos da Lei no 6.404, de 15 de dezembro de 1976, e da Lei no 6.385, de 7 de dezembro de 1976, e estende às sociedades de grande porte disposições relativas à elaboração e divulgação de demonstrações financeiras. Diário Oficial da União, Brasília, 28 dez. 2007. Seção 1, p. 2 (Edição Extra). Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2018.

______. Resolução nº 614, de 28 de maio de 2013. Aprova o Regulamento do Serviço de Comunicação Multimídia e altera os Anexos I e III do Regulamento de Cobrança de Preço Público pelo Direito de Exploração de Serviços de Telecomunicações e pelo Direito de Exploração de Satélite. Diário Oficial da União, Brasília, 31. Mai. 2013. Disponível em: . Acesso em: 1 mai. 2018.

CALMON, Eliana. A Tributação dos Serviços Prestados pelas Provedoras da Internet. Informativo Jurídico da Biblioteca Ministro Oscar Saraiva, Brasília, v. 15, n. 2, p. 137-265, Jul./Dez. 2003. Disponível em: Acesso em: 30 jul. 2018.

COLLIS, Jil; HUSSEY, Roger. Pesquisa em Administração: um guia prático para alunos de graduação e pós-graduação. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS (CPC). Pronunciamento Técnico

CPC 27 Ativo Imobilizado. Brasília, 2009. Disponível em: . Acesso em: 1 mai. 2018.

EISENHARDT, K. Building theories from case study research. The academy

of Management Review, v. 14, n. 4, 1989. p. 532-550.

GRAÇAS, Elizabeth Mendes das. Pesquisa qualitativa e a perspectiva fenomenológica: fundamentos que norteiam sua trajetória. Rev. Min. Enf., Belo Horizonte, v. 4, jan./dez., 2000, p. 28-33. Disponível em: . Acesso em: 10 out. 2018.

INTERNETSUL. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2018.

KUROSE, James F; ROSS, Keith W. Redes de computadores e a Internet: uma abordagem top-down. 6. Ed. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2013.

LAUDON, Jane; KENNETH Laudon. Sistemas de Informações Gerenciais. 9. Ed. São Paulo: Pearson, Prentice Hall, 2010.

______.Sistemas de informação gerenciais / Kenneth C. Laudon, Jane P. Laudon; São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2014.

MARTINEZ, Manuel Perez. O Contador diante do Planejamento Tributário e da lei antielisiva. Curitiba: IBPT, 2002. NOGUEIRA, Ruy Barbosa. Curso de Direito Tributário. 5 Ed. São Paulo: Saraiva 1995.

MARTINS, Eliseu. Contabilidade de custos. 9. Ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MASCARENHAS, Sidnei Augusto. Metodologia Científica. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2012.

MEGLIORINI, Evandir. Custos: Análise e gestão. 3. Ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2011.

PEROVANO, Dalton Gean. Manual de metodologia da pesquisa científica [livro eletrônico]. Curitiba: InterSaberes, 2016.

REIS, Júlio A. F. dos; MIGUEL, Paulo Sergio; PROHMANN, José I. P. Formação de preços: mercado e estrutura de custos [livro eletrônico]. Curitiba: InterSaberes, 2012.

RIO GRANDE DO SUL. Decreto 37699, de 26 de agosto de 1997. Regulamento do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação. Diário Oficial do Estado - RS, Porto Alegre, 27 ago. 1997. Disponível em: . Acesso em: 1 mai. 2018.

SOUZA. L. R. B. de; PAVÃO. A. C. A Necessidade do Planejamento Tributário Visando a Redução dos Custos nas Organizações. Revista Eletrônica Saber. Inesul. 2013. Londrina, Vol. 19, n. 1, jan./mar. 2013, p. 1 - 22. Disponível em: . Acesso em: 03 mai.2018

STJ – Superior Tribunal de Justiça. Súmula 334. Revista Sumulas. Brasília, Ano 6, n. 28, abril 2012, p. 159 - 324. Disponível em: . Acesso em: 30 jul 2018.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.