HOLDING EM EMPRESAS FAMILIARES: ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA DAS PUBLICAÇÕES NACIONAIS

Gleyce Maryane Fagundes, Thaisa Renata dos Santos

Resumo


Este estudo tem por objetivo identificar quais as características das publicações nacionais no período de 2014 a 2019 sobre a constituição de uma Holding familiar, visto que as empresas familiares almejam prosperar e eternizar o patrimônio sobre várias gerações. Para tanto utiliza como método a análise bibliométrica por meio da base de artigos científicos Google Acadêmico. Os resultados evidenciaram que ao longo dos anos a região com maior predominância em relação ao tema proposto foi a região sul do país. Ressalte-se ainda que conforme a amostra deste estudo, o conteúdo das pesquisas referente a Holding familiar está relacionado com a sucessão, gestão e o processo tributário. A aplicação prática deste estudo para a literatura é de que o desempenho e a maximização dos resultados serão alcançados e distribuídos as partes relacionadas se houver o desenvolvimento de um planejamento estratégico em prol do êxito na continuação dos negócios no seio familiar atrelado a existência de um sistema gerencial e planejamento tributário nas Holdings familiares.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, V. Os desafios da empresa familiar: gestão e sucessão. SEBRAE, 2016. Disponível em: . Acesso em: 09 jul. 2020.

ALVES, S. S.; NINGELISKI, A. DE O. Holding familiar: uma alternativa programada de sucessão. Academia de Direito, v. 1, p. 234-254, 16 dez. 2019.

ANACLETO, Tamara do Nascimento. Uma abordagem conceitual sobre holding no planejamento sucessório patrimonial e de gestão: um estudo de caso evidenciado do conhecimento geral dos acadêmicos do Curso de Ciências Contábeis Unesc 2015. 2016.

ARAÚJO, Mateus Castilho de. Holding familiar e a possibilidade de desconsideração da personalidade jurídica quando ofendidos os direitos da personalidade dos sucedidos. 2018.

ARMANI, Eduarda Moreira et al. As holdings como alternativa viável para efetivar o planejamento sucessório das empresas familiares. 2018.

BARBOSA, João Eulálio Anchieta; BUENO, José Lauri de Jesus. Holding: uma alternativa de planejamento tributário e sucessório. Revista de Administração e Contabilidade, v. 14, n. 27, p. 71-96, 2015.

BARROS, Higor HS. Holding Familiar como ferramenta eficaz do planejamento sucessório. 2019.

BARRY, B,. The development of organisation structure in the family firm. Journal of general management, v. 3, n. 1, p. 42-60, 1975.

BATISTA, Juliana D.’Agostin et al. O processo de sucessão nas empresas familiares: um estudo feito em empresas familiares da Região do Sul de Santa Catarina. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, v. 4, n. 3, p. 62-86, 2015.

BAZI, Anellise Gonçalves et al. HOLDING FAMILIAR: um modelo de planejamento sucessório patrimonial e tributário. Anais da Jornada Jurídica do Curso de Direito da UniEVANGÉLICA, v. 2, n. 1, p. 15-19, 2019.

BLICHARSKI, Vanessa Melnilk. Holding Patrimonial–Planejamento Sucessório. Percurso, v. 1, n. 16, p. 138-168, 2015.

BRASIL. Constituição. Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Institui o Código Civil. Diário Oficial da União, n. 8, 2002. Disponível em: . Acesso em: 03 abr. 2020.

______. Lei nº 6.404/76 de 15 dezembro de 1976. Dispõe sobre as Sociedades por Ações. Disponível em: . Acesso em: 04 abr. 2020.

BRAVO, Francisco Moisés Arreola; ZATARAIN, Juan Cayetano Niebla; MARTÍNEZ, Guillermo Ramírez. Los factores socioemocionales y el proceso de sucesión en las empresas familiares. CIENCIA ergo-sum, Revista Científica Multidisciplinaria de Prospectiva, v. 22, n. 2, p. 103-115, 2015.

COTTA, Victor Oliveira. Análise da holding familiar como opção de planejamento sucessório, com enfâse nos aspectos tributários. 2017.

CROSS, Di; THOMSON Simon; SINCLAIR Alexandra. Research in Brazil - A report for CAPES by Clarivate Analytics. Clarivate Analytics. USP. 2018.

CRUZ, Daniel Rodrigues. A figura da holding familiar e os benefícios trazidos ao detentor do patrimônio. 2012.

SILVA, Bruna Rodrigues da. Aspectos gerais sobre a holding familiar no planejamento sucessório. Revista Miríade Científica, v. 4, n. 1, 2019.

SILVA, Edna Lúcia da; MENEZES, Estera Muszkat. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. UFSC, Florianópolis, 4a. edição, v. 123, 2005.

DAVIES, J. Word Cloud Generator. Disponivel em: . Acesso em: 09 set. 2020.

DAVIS, John; TAGIURI, Renato. The influence of life stage on father-son work relationships in family companies. Family Business Review, Boston, v.II, n.1, p.47-74, Spring 1989

BONA, Gleicimir Lúcia de. Holding: planejamento sucessório familiar. 2018.

OLIVEIRA, Antonio Carlos de. Empresa Familiar-Sua Importância Econômica e Social. Idea, v. 8, n. 1, 2017.

OLIVEIRA, Nadiéle Ribeiro de; VEZOZZO, Emiliana. Estudo sobre o modelo de gestão para garantir a longevidade das empresas familiares. Revista Interatividade, v. 2, n. 1, p. 53-61, 2014.

OLIVEIRA PECANHA, Alicelia Rosa de; OLIVEIRA, Saulo Barbara de. Empresa familiar, sim! Mas qual o problema, se a gestão é profissional? NAVUS-Revista de Gestão e Tecnologia, v. 5, n. 3, p. 126-135, 2015.

SOUZA, Evandro Teixeira de; COLOMBO, Paulo COLOMBO Cesar. HOLDING COMO INSTRUMENTO SUCESSÓRIO EM EMPRESAS FAMILIARES. ANAIS DO FÓRUM DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO UNIFUNEC, v. 6, n. 6, 2015.

DONNELLEY, Robert G. A empresa familiar. Revista de administração de empresas, v. 7, n. 23, p. 161-198, 1967.

ESTOL, Kátia Maria Felipe; FERREIRA, Maria Cristina. O processo sucessório e a cultura organizacional em uma empresa familiar brasileira. Revista de administração contemporânea, v. 10, n. 4, p. 93-110, 2006.

FLORES JR, José Elias; GRISCI, Carmem Ligia Iochins. Dilemas de pais e filhos no processo sucessório de empresas familiares. Revista de Administração, v. 47, n. 2, p. 325-337, 2012.

FRANCISCO, Wagner de Cerqueria e. REGIÃO SUL. Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/brasil/a-regiao-sul.htm. Acesso em: 06 out. de 2020.

GALLO, M. A.; SVEEN, J.. Internationalizing the family business: Facilitating and restraining factors. Family Business Review, v. 4, n. 2, p. 181-190, 1991.

Gil, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. Vol. 4. São Paulo: Atlas, 2002.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. Ediitora Atlas SA, 2008.

GONÇALVES, Carlos R. Direito civil brasileiro. 8. ed. São Paulo: Saraiva, 2014. v. 7.

GONÇALVES, J. S. R. C. As empresas familiares no Brasil. Revista de Administração de empresas, v. 40, n. 1, p. 7-12, 2000.

GUERINI, AMANDA GOULART; MATTJE, CAROLINE DE OLIVEIRA. OS BENEFÍCIOS DA FORMALIZAÇÃO DE UMA HOLDING FAMILIAR. Trabalho de Conclusão de Curso. Centro Universitário Dinâmica das Cataratas – UDC. 2018

GRZYBOVSKI, Denize; TEDESCO, João Carlos. Empresa familiar x competitividade: tendências e racionalidades em conflito. Revista Teoria e Evidência Econômica, v. 6, n. 11, 1998.

HUNGARO, Fernando Martinez. A figura das empresas holding como forma de proteção patrimonial, planejamento sucessório e controle de grupos empresariais. ETIC-ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA-ISSN 21-76-8498, v. 5, n. 5, 2009.

JESUS, Karina Silva de. Sucessão familiar e gestão profissionalizada nas organizações familiares. 2015.

JUNGBLUTH, Carla; FRÍES, Laurí Natalício. Holding como estratégia de negócios familiar. Revista Eletrônica do Curso de Ciências Contábeis, v. 4, n. 7, p. 214-241, 2015.

LANSBERG, I.; PERROW, E. L.; ROGOLSKY, S.. Editors' Notes. Family Business Review, v. 1, n. 1, p. 1-8, 1988.

LANZANA, A., CONSTANZI, R. As empresas familiares brasileiras diante do atual panorama econômico mundial. In: MARTINS, J. (Coord.). Empresas familiares brasileiras: perfil e perspectivas. São Paulo: Negócio Editora, 1999.

LIMA, Adilson Celestino; VASCONCELOS, Gabriela. Análise Bibliométrica da Produção Científica acerca da Controladoria. Management Control Review, v. 2, n. 1, p. 31-49, 2017.

LODI, J. B. O fortalecimento da empresa familiar. 3. ed. São Paulo: Pioneira, 1989.

______. A empresa familiar. 5. ed. São Paulo: Pioneira, 1998.

MACHADO, Flávia Costa. A empresa familiar: desafios e soluções jurídicas. Revista da AJURIS, v. 41, n. 136, 2014.

MACHADO, Sheron. Holding familiar: como forma de planejamento sucessório patrimonial e seus reflexos tributários. 2018.

MAMEDE, Gladston; MAMEDE, Eduarda Cotta. Holding familiar e suas vantagens: planejamento jurídico e econômico do patrimônio e da sucessão familiar. São Paulo, SP: Atlas, 2017.

MANENTI, Fabrício. Planejamento sucessório em empresas familiares: uma abordagem geral. 2014.

MANGANELLI, Diogo Luís. Holding familiar como estrutura de planejamento sucessório em empresas familiares. Revista de Direito, v. 8, n. 02, p. 95-118, 2016.

Martins, José C., (1999). Empresas Familiares, Ed. GEPE-Gabinete de Estudos e Prospectiva Económica.

MICHELIN, Fabio. Holding: uma análise de suas peculiaridades jurídicas em relação à proteção patrimonial e planejamento sucessório das empresas familiares. (RE) PENSANDO DIREITO, v. 8, n. 15, p. 71-80, 2018.

MOTA, Edimilso Antonio; TESSMANN, Dakari Fernandes; FABRIS, Renato.

HOLDING FAMILIAR: planejamento patrimonial e sucessão familiar. Judicare, v. 13, n. 2, p. 38-53, 2018.

PETRONCINI, Camila et al. planejamento sucessório por meio da constituição de holding familiar. 2018.

POZZETTI, Valmir César et al. PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO: UMA ABORDAGEM TRIBUTÁRIA E EMPRESARIAL. Revista Juridica, v. 4, n. 53, p. 324-352, 2018.

REINERT, Monique. Sucessão familiar: diagnóstico e proposta de um plano de ação. Revista da FAE, v. 22, n. 2, p. 63-76, 2019.

RICCA, Domingos. Sucessão na empresa familiar. Editora CLA, 2007.

RCCS. Revista Crítica de Ciências Sociais. 2016. Disponível em: . Acesso em: 15 set. 2020.

RORIZ, Marina Santos. Holding: uma ferramenta para planejamento tributário no processo sucessório. 2018.

SANTOS, Renata Cristina Alves Ferreira. Quais as vantangens tributárias e sucessórias com a constituição da holding familiar. 2019.

SANTOS, Thaisa Renata dos et al. Avaliação de desempenho e remuneração de executivos em empresas familiares brasileiras. 2018.

SHARMA, Pramodita; CHRISMAN, James J .; CHUA, Jess H. Planejamento de sucessão como comportamento planejado: alguns resultados empíricos. Family Business Review , v. 16, n. 1, p. 1-15, 2003.

SILVA, Paula Dreon Gomes Corrêa da. Riqueza sócio Emocional e práticas intraempreendedoras: uma análise teórica e empírica sobre distintas estratégias organizacionais, e seus efeitos na competitividade de empresas brasileiras. 2014.

TEIXEIRA, Daniele C. Planejamento sucessório: pressupostos e limites. Belo Horizonte: Fórum, 2017.

ZACCA, Laiz Pereira. Processo sucessório em uma empresa familiar: um estudo de caso. 2016.

ZUFFO, Morgana Grossi. A holding como instrumento de governança em empresas familiares. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.