Cooperativismo: evolução histórica e contribuições para os processos organizativos de cooperativas de agricultores familiares praticantes da agroecologia

Denise Medianeira Mariotti Fernandes, Erica Karnopp

Resumo


O presente artigo tem por objetivo descrever processos organizativos de cooperação desenvolvidos em cooperativas de agricultores familiares que adotam e/ou incentivam práticas agroecológicas, a partir da organização de ações coletivas presentes em duas realidades distintas: a primeira, da Cooperativa Cooesperança, no município de Santa Maria, estado do Rio Grande do Sul, Brasil; e a segunda, da Cooperativa La Choza, no município de General Rodriguez, província de Buenos Aires, Argentina. Para atingi-lo, elaborou-se uma síntese sobre a evolução histórica e doutrinária do cooperativismo, a fim de propiciar a compreensão sobre a dinâmica da cooperação existente na agricultura familiar e a articulação promovida pelas cooperativas em prol de auxiliar no processo de inclusão social dos agricultores familiares no território. As experiências mostram que tanto a Cooesperança quanto a La Choza representam importantes formas de fomento para a mudança de comportamento dos agricultores familiares, no sentido de agir pensando no coletivo e de buscar modos de melhorar a renda de suas famílias, bem como de conscientizar e de incentivar a mudança de hábitos da sociedade, em relação ao consumo de alimentos saudáveis. Infere-se que, por meio das atividades desenvolvidas, dos processos organizativos de produção e de comercialização e da capacidade de articular os agricultores familiares, essas cooperativas transformam-se em estratégia para o fortalecimento desses agricultores, produtores de alimentos orgânicos e biodinâmicos, contribuindo para alavancar a produção sustentável, para revigorar as redes no sentido horizontal, para gerar novas formas de organização da agricultura familiar e para promover o desenvolvimento social, econômico, cultural e ambiental.

Texto completo:

PDF

Referências


ARQUIDIOCESE DE SANTA MARIA. Projeto Esperança/Cooesperança: uma experiência aprendente e ensinante. 25 anos construíndo cooperação, economia solidária e cidadania. Santa Maria: Pallotti, 2012.

BASUALDO, E. Sistema político y modelo de acumulación: tres ensayos sobre la Argentina actual. Buenos Aires: Atuel, 2011.

BÜTTENBENDER, Pedro Luiz. Doutrina e educação cooperativa. Ijuí: Unijuí, 2008.

CARRICART, P. Cooperativas rurales y territorios en la Región Pampeana Argentina: transformaciones sociales, económicas y organizacionales. Buenos

Aires: La Colmena, 2012.

CENZI, N. L. Cooperativismo: desde as origens ao projeto de lei de reforma do sistema cooperativo brasileiro. Curitiba: Juruá, 2012.

COOPERATIVAS DE LAS AMÉRICAS. Princípios y valores cooperativos. Disponível em: . Acesso em: 30 jan. 2017.

______. ¿Qué es la Alianza Cooperativa Internacional? Disponível em: . Acesso em: 2 nov. 2016.

______. ¿Quiénes somos? Disponível em: . Acesso em: 2 nov. 2016.

DEVOTO, F. J.; BORIS, F. Brasil e Argentina: um ensaio de história comparada. São Paulo: Editora 34, 2004.

FUNDACIÓN LA CHOZA. Actividades. Disponível em: . Acesso em: 28 out. 2016a.

______. Actividades agropecuarias al servicio de la vida social. Disponível em: . Acesso em: 28 out 2016b.

GERHARDT, T. H. et al. Estrutura do projeto de pesquisa. In: GERHARDT, T. H.;

SILVEIRA, D. T. (Orgs.). Métodos de pesquisa. Porto Alegre: UFRGS, 2009. p. 65-88.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GOHN, M. da G. Abordagens teóricas no estudo dos movimentos sociais na América Latina. Caderno CRH, Salvador, v. 21, n. 54, p. 439-455, set./dez. 2008. Disponível em: . Acesso em: 3 set. 2016.

LUDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

OBSCHATKO, E. S. de; BASAÑES C. C.; MARTINI G. D. Las cooperativas agropecuarias en la República Argentina: diagnóstico y propuestas. Buenos Aires: Ministerio de Agricultura, Ganadería y Pesca de la Nación/IICA Argentina, 2011.

PINHO, D. B. A doutrina cooperativa nos regimes capitalista e socialista: suas modificações e sua utilidade. 2. ed. São Paulo: Pioneira, 1966a.

______. Economia e cooperativismo. São Paulo: Saraiva, 1977.

______. Que é cooperativismo. São Paulo: São Paulo, 1966b.

RECH, D. Cooperativas: uma alternativa de organização popular. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

SAB. Sociedade Antroposófica no Brasil. Antroposofia. Disponível em: . Acesso em: 28 out. 2016.

SINGER, P. A economia solidária no governo federal. Mercado de trabalho: conjuntura e análise. Rio de Janeiro: IPEA, n. 24, p. 3-5, ago. 2004. Disponível em: . Acesso em: 12 set. 2016.

TRIVELATTO, M. D.; FREITAS, G. B. de. Panorama da agricultura orgânica. In: STRINGHETA, P. C.; MUNIZ, J. N. (Eds). Alimentos orgânicos: produção,

tecnologia e certificação. Viçosa: UFV, 2003. p. 9-35.

TÉVOÉDJRÉ, A. A Pobreza, riqueza dos povos: a transformação pela solidariedade. Petrópolis: Vozes, 2002.

VILCHEZ, J. O. Antologia ‘doctrina cooperativa’. San José: EUNED, 1986.




DOI: https://doi.org/10.26767/coloquio.v14i1.571

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.