Governança da política ambiental e o agronegócio brasileiro

Autores

Palavras-chave:

Agronegócio; Mudanças e Uso da Terra; Políticas Climáticas.

Resumo

Este artigo analisa os eventuais impactos que os descumprimentos das metas previstas nos acordos internacionais sobre política climática podem ter sobre o agronegócio brasileiro. Entre 2009 e 2019 a agricultura cresceu 46,85% no Bioma Cerrado e 11% no Bioma Amazônia, regiões da nova fronteira agrícola do país. Contudo, essa expansão sofre contestações devido ao aumento de cerca de 60% do desmatamento na Amazônia, que está associado ao setor de Mudanças e Uso da Terra. Além disso, as emissões nacionais de gases de efeito estufa (GEE) ficaram 5% acima da meta estipulada pela Política Nacional de Mudança do Clima (PNMC). A escalada do desmatamento gerou protestos de ordem nacional e internacional, com ameaças de desinvestimentos e não assinatura de tratados, como o Acordo Mercosul-União Europeia. A análise da PNMC resultou no diagnóstico de que a governança está fragmentada e necessita, por exemplo, do restabelecimento da representação técnica e científica dentro de seus conselhos. Iniciativas de políticas transversais entre a agropecuária e o setor de Mudanças e Uso da Terra podem contribuir para a reversão dos níveis de desmatamento nesses Biomas, resultando na redução das emissões. Além disso, o Brasil precisa avançar na revisão e finalização do Cadastro Ambiental Rural (CAR) e implementar um novo ciclo do Plano Setorial de Mitigação e de Adaptação às Mudanças Climáticas (Plano ABC). No entanto, caso a atual agenda ambiental seja mantida, a agropecuária continuará sendo responsabilizada pelos desmatamentos ilegais, que podem gerar prejuízos como barreiras comerciais, desinvestimentos e a redução da renda dos produtores rurais.

Biografia do Autor

Fábio Martins de Lima , Programa de Pós-Graduação em Agronegócios da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)

Mestrando em Agronegócios (UFGD).  

Roselaine Bonfim de Almeida , Professora do Programa de Pós-Graduação em Agronegócios da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).

Doutora em Economia Aplicada (ESALQ/USP).  

Jonathan Gonçalves da Silva , Professor do Programa de Pós-Graduação em Agronegócios da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).

Doutor em Economia Aplicada (ESALQ/USP).  

Leandro Vinícios Carvalho , Professor do Programa de Pós-Graduação em Agronegócios da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)

Doutor em Economia Aplicada (ESALQ/USP). 

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDÚSTRIAS EXPORTADORAS DE CARNE (ABIEC). 2020. Disponível em: http://abiec.com.br/publicacoes/beef-report-2020/. Acesso em: 8 de março de 2021.

AGROICONE. 2020. Plano ABC: Evidências do período 2010-2020 e propostas para uma nova fase 2021-2030. Disponível em: http://www.agroicone.com.br/wp-content/uploads/2020/10/Agroicone-Estudo-Plano-ABC-2020.pdf. Acesso em: 6 de abril de 2021.

AMSTERDAM DECLARATIONS PARTNERSHIP. 15 set. 2020. Disponível em: https://brasil.diplo.de/blob/2385170/4df777b4179c6e3b72d8573f76c592b4/%20open-letter---amsterdam-declarations-partnership--adp--data.pdf. Acesso em: 25 de março de 2021.

ANGELSEN, A. Policies for reduced deforestation and their impact on agricultural production. Proceedings of the National Academy of Sciences, [S. l.], v. 107, n. 46, p. 19639–19644, 16 nov. 2010. Disponível em: http://www.pnas.org/cgi/doi/10.1073/pnas.0912014107. Acesso em: 9 de março de 2021.

BARONA, E.; RAMANKUTTY, N.; HYMAN, G.; COOMES, O. T. The role of pasture and soybean in deforestation of the Brazilian Amazon. Environmental Research Letters, [S. l.], v. 5, n. 2, p. 024002, abr. 2010. Disponível em: https://iopscience.iop.org/article/10.1088/1748-9326/5/2/024002. Acesso em: 9 mar. 2021.

BLACKROCK. 2020. Disponível em: https://www.blackrock.com/corporate/sustainability/committed-to-sustainability. Acesso em: 22 de março de 2021.

BRASIL. Banco Central do Brasil. Resolução no 3.896 de 17 de agosto de 2010. Institui, no âmbito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o Programa para Redução da Emissão de Gases de Efeito Estufa na Agricultura (ProgramaABC). Brasília, DF, p. 4, 18 ago. 2010. Disponível em: https://www.bcb.gov.br/pre/normativos/busca/downloadNormativo.asp?arquivo=/Lists/Normativos/Attachments/49552/Res_3896_v1_O.pdf. Acesso em: 7 de abril de 2021.

BRASIL. Presidência da República. Decreto No 10.606, de 22 de janeiro de 2021. Institui o Sistema Integrado de Informações do Plano Setorial para Consolidação de uma Economia de Baixa Emissão de Carbono na Agricultura e o Comitê Técnico de Acompanhamento do Plano Setorial para Consolidação de uma Economia de Baixa Emissão de Carbono na Agricultura. Diário Oficial da União: 22 jan. 2021. Disponível em: https://www.in.gov.br/web/dou. Acesso em: 27 de setembro de 2021.

BRASIL. Presidência da República. Decreto No 10.431, de 20 de julho de 2020. Institui a Comissão Executiva Nacional do Plano Setorial para Consolidação de uma Economia de Baixa Emissão de Carbono na Agricultura. Diário Oficial da União: 21 jul. 2020. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/decreto/d10431.htm. Acesso em: 27 de setembro de 2021.

BRASIL. Presidência da República. Lei no 12.187, de 29 de dezembro de 2009. Institui a Política Nacional sobre Mudança do Clima - PNMC e dá outras providências. Diário Oficial da União: Brasília, DF, p. 5, 29 dez. 2009. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/lei/l12187.htm#:~:text=LEI%20N%C2%BA%2012.187%2C%20DE%2029%20DE%20DEZEMBRO%20DE%202009.&text=Institui%20a%20Pol%C3%ADtica%20Nacional%20sobre,Art. Acesso em: 16 de março de 2021.

BUAINAIN, A. M.; ALVES, E.; SILVEIRA, J. M.; NAVARRO, Z. O mundo rural no Brasil do século 21: a formação de um novo padrão agrário e agrícola. 1a edição. Brasília, DF: Embrapa, 2014.

BUSTAMANTE, M. et al. Terceiro inventário brasileiro de emissões e remoções antrópicas de gases de efeito estufa: relatório de referência: setor uso da terra. mudança do uso da terra e florestas. [S. l.]: Ministério da Ciência e Tecnologia, 2015. Disponível em: http:// redd.mma.gov.br/images/FREL/RR_LULUCF_Mudana-de-Uso-e-Floresta.pdf. Acesso em: 7 set. 2021.

CAMEX. 2019. Disponível em: http://www.camex.gov.br/noticias-da-camex/2229-mercosul-e-ue-fecham-maior-acordo-entre-blocos-do-mundo. Acesso em: 22 de março de 2021.

CENTRO DE ESTUDOS AVANÇADOS EM ECONOMIA APLICADA (CEPEA). Volume e faturamento com exportações do agro em 2020 são recordes. Piracicaba, 2021. Disponível em: https://cepea.esalq.usp.br/br/releases/export-cepea-volume-e-faturamento-com-exportacoes-do-agro-em-2020-sao-recordes.aspx. Acesso em: 6 de setembro de 2021.

COMISSÃO EUROPEIA. 2019. European Commission. Disponível em: https://ec.europa.eu/commission/presscorner/detail/pt/qanda_19_3375. Acesso em: 22 de março 2021.

COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO (CONAB). 2021. Boletim da Safra de Grãos. Disponível em: https://www.conab.gov.br/info-agro/safras/graos/boletim-da-safra-de-graos. Acesso em: 7 de setembro de 2021.

CONFEDERAÇÃO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA DO BRASIL (CNA). PIB do agronegócio alcança participação de 26,6% no PIB brasileiro em 2020. Brasília, 2021. Disponível em: https://www.cnabrasil.org.br/assets/arquivos/boletins/sut.pib_dez_2020.9mar2021.pdf. Acesso em: 29 de outubro de 2021.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA). 2021a. Brasil é o quarto maior produtor de grãos e o maior exportador de carne bovina do mundo, diz estudo. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/62619259/brasil-e-o-quarto-maior-produtor-de-graos-e-o-maior-exportador-de-carne-bovina-do-mundo-diz-estudo. Acesso em: 7 de setembro de 2021.

EMBRAPA. 2021b. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Disponível em: http://www.cnpgc.embrapa.br/publicacoes/doc/DOC210.pdf. Acesso em: 18 de março de 2021.

FEARNSIDE, P. M. Deforestation in Brazilian Amazonia: History, Rates, and Consequences. Conservation Biology, [S. l.], v. 19, n. 3, p. 680–688, jun. 2005. Disponível em: http://doi.wiley.com/10.1111/j.1523-1739.2005.00697.x. Acesso em: 9 de março de 2021.

GARRETT, R. D.; LAMBIN, E. F.; NAYLOR, R. L. The new economic geography of land use change: Supply chain configurations and land use in the Brazilian Amazon. Land Use Policy, [S. l.], v. 34, p. 265–275, set. 2013. Disponível em: https://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S0264837713000574. Acesso em: 9 de março de 2021.

GEIST, H. J.; LAMBIN, E. F. Proximate Causes and Underlying Driving Forces of Tropical Deforestation. BioScience, [S. l.], v. 52, n. 2, p. 143–150, 2002.

GIANETTI, G. W.; FERREIRA FILHO, J. B. de S. O Plano e Programa ABC: uma análise da alocação dos recursos. Revista de Economia e Sociologia Rural, [S. l.], v. 59, n. 1, p. e216524, 2021. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20032021000100203&tlng=pt. Acesso em: 5 de abril de 2021.

GIBBS, H. K.; RAUSCH, L.; MUNGER, J.; SCHELLY, I.; MORTON, D. C.; NOOJIPADY, P.; SOARES-FILHO, B.; BARRETO, P.; MICOL, L.; WALKER, N. F. Brazil’s Soy Moratorium. Science, [S. l.], v. 347, n. 6220, p. 377–378, 23 jan. 2015. Disponível em: https://www.sciencemag.org/lookup/doi/10.1126/science.aaa0181. Acesso em: 4 de março de 2021.

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE). A taxa consolidada de desmatamento por corte raso para os nove estados da Amazônia Legal em 2020 foi de 10.851 km2. 2021a. Disponível em: http://www.inpe.br/noticias/noticia.php?Cod_Noticia=5811. Acesso em: 6 de setembro de 2021.

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE). 2021b. Disponível em: https://queimadas.dgi.inpe.br/queimadas/portal-static/estatisticas_estados/. Acesso em: 17 de fevereiro de 2021.

LIMA, A. M. N. et al. Modeling changes in organic carbon stocks for distinct soils in southeastern brazil after four eucalyptus rotations using the century model. Revista Brasileira de Ciência do Solo, [S. l.], v. 35, n. 3, p. 833–847, jun. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-06832011000300018&lng=en&tlng=en. Acesso em: 7 set. 2021.

MAPA. 2021. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Disponível em: https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/sustentabilidade/plano-abc/plano-abc-agricultura-de-baixa-emissao-de-carbono. Acesso em: 11 de março de 2021.

MAPBIOMAS BRASIL. Mapbiomas Brasil | Estatísticas. 2021a. Disponível em: https://mapbiomas.org/estatisticas. Acesso em: 6 de setembro de 2021.

MAPBIOMAS BRASIL. 2021b. Disponível em: https://mapbiomas.org/. Acesso em: 16 fev. 2021.

OBSERVATÓRIO DO CLIMA. 2020. Disponível em: https://www.oc.eco.br/bases-para-proposta-de-ndc-para-o-brasil-nota-tecnica/. Acesso em: 3 de março de 2021.

OLIVEIRA, P. V. de C. Manual de manejo e utilização dos dejetos de suínos, n. 27. Concórdia: EMBRAPA-CNPSA, 1993. Disponível em: http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/434003. Acesso em: 7 set. 2021.

PFAFF, A. S. P. What Drives Deforestation in the Brazilian Amazon? Journal of Environmental Economics and Management, [S. l.], v. 37, n. 1, p. 26–43, jan. 1999. Disponível em: https://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S0095069698910567. Acesso em: 9 de março de 2021.

RIVERO, S.; ALMEIDA, O.; ÁVILA, S.; OLIVEIRA, W. Pecuária e desmatamento: uma análise das principais causas diretas do desmatamento na Amazônia. Nova Economia, [S. l.], v. 19, n. 1, p. 41–66, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-63512009000100003&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 16 fev. 2021.

SANTA CATARINA. Instrução normativa no 65. [S. l.], 2014. Disponível em: https://www.ima.sc.gov.br/index.php/downloads/licenciamento-ambiental/instrucoes-normativas-1/in65/3207-in-65-2. Acesso em: 7 set. 2021.

SISTEMA DE ESTIMATIVA DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA (SEEG BRASIL). 2021. Disponível em: http://seeg.eco.br/. Acesso em: 11 de março de 2021.

TALANOA. 2020. A política nacional de mudança do clima em 2020. Disponível em: https://www.oc.eco.br/wp-content/uploads/2020/12/Politica-Nacional-de-Mudanc%CC%A7a-de-Clima.pdf. Acesso em: 2 de abril 2021.

TCU. 2009. Tribunal de Contas da União. Disponível em: https://contas.tcu.gov.br/ords/f?p=9577:32:1768408408380::NO::P32_ID_NOTICIA,P32_ID_CATEGORIA:121188,542. Acesso em: 8 de abril de 2021.

TERRABRASILIS. 2021. Disponível em: http://terrabrasilis.dpi.inpe.br/app/dashboard/deforestation/biomes/cerrado/increments. Acesso em: 1 de abril de 2021.

TOMBINI, A. Convergência pelo Brasil. 2020. Disponível em: http://convergenciapelobrasil.org.br/leia-a-carta-na-integra/. Acesso em: 22 mar. 2021.

VIEIRA FILHO, J. E. R. (Org.). Diagnóstico e desafios da agricultura brasileira. Rio de Janeiro: IPEA, 2019.

WWF BRASIL. 2017. Disponível em: https://www.wwf.org.br/?60844/Como-se-governa-a-poltica-nacional-de-mudana-do-clima-no-Brasil-hoje. Acesso em: 2 de abril de 2021.

Downloads

Publicado

2022-04-04

Edição

Seção

Artigos