Gênero como perspectiva de análise no desenvolvimento regional

Autores

Palavras-chave:

Gênero, território, abordagem relacional.

Resumo

Este artigo teórico tem como foco uma abordagem analítica reflexiva que percebe o território e as relações de gênero como construções sociais inter-relacionadas e seu objetivo central é abordar as relações de gênero como categoria analítica nas pesquisas em Desenvolvimento Regional (DR). Assim, para esta análise, compreende-se a importância da abordagem territorial do desenvolvimento, não a partir de um enfoque normativo, mas a partir de uma abordagem relacional. E conclui que ao olhar o território não sob o ponto de vista das mulheres ou dos homens, mas a partir das relações que se estabelecem entre eles, acaba por ampliar os debates na área do DR,conferindo maior protagonismo ao território.

Biografia do Autor

Emanuele Mantovani, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)

Doutoranda em Desenvolvimento Regional na Universidade de Santa Cruz do Sul (PPGDR-UNISC). Bolsista CAPES (Prosuc).  

Silvia Virginia Coutinho Areosa , Professora do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNSC).

Doutorado em Serviço Social (PUC/RS). Pós-Doutorado em Serviço Social (PUC/RS). 

Referências

ABRAMOVAY, Ricardo. “Para uma teoria de Estudos Territoriais.” In: VIEIRA, Paulo F. et al. (Org.). Desenvolvimento territorial sustentável no Brasil. Subsídios para uma política de fomento. Florianópolis: Secco, 2010. p. 27-77. Disponível em https://rac.anpad.org.br/index.php/rac/article/view/970. Acessado em 18 de maio de 2020.

ABREU, Jânio Jorge Vieira de; ANDRADE, Thamyres Ramos de. “A compreensão do conceito e categoria gênero e sua contribuição para as relações de gênero na escola.” In: VI Encontro de Pesquisa em Educação da UFPI, 2010, Teresina (PI). O pensamento pedagógico na contemporaneidade: Teresina 01 a 03 de dezembro de 2010. p. 1-14.

BACELAR, Tânia. “Gestão social e Desenvolvimento Sustentável dos Territórios: os desafios da multiescalaridade - uma visão a partir do Brasil.” In: BACELAR, Tânia et al. Gestão social dos territórios. Brasília IICA, 2009. p. 35-52. Disponível em http://www.iicabr.iica.org.br/wp-content/uploads/2014/03/DRS-10.pdf

BEAUVOIR, Simone de. O segundo sexo. 2.ed. São Paulo: Difusão europeia do livro, 1967.

BECKER, Dinizar. “Desenvolvimento local-regional: determinantes e desafios contemporâneos.” In: BECKER, Dinizar.; BANDEIRA, Pedro Silveira (Org.). Desenvolvimento local-regional: determinantes e desafios contemporâneos. v. 1. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2000. Santa Cruz do Sul, 2000. P. 13-20.

BOISIER, Sergio et tal. Sociedad Civil, Actores Socielies y Desarrollo Regional. Santiago do Chile: Ilpes/Cepal, 1995. Disponível em https://repositorio.cepal.org/handle/11362/9663. Acesso em 03 de junho de 2020.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de

Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

CEPAL. 40 años de agenda regional de género. Santiago: Nações Unidas, 2017. Disponível em https://www.cepal.org/es/publicaciones/40333-40-anos-agenda-regional-genero. Acesso em 13 de maio de 2020.

CUSICANQUI, Silvia Rivera. Sociología de laimagen: ensayos. 1ª ed. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: Tinta Limón, 2015.

DIAS, Cleidson Nogueira. “Abordagens do desenvolvimento latino-americano: a análise de uma das principais políticas de desenvolvimento regional no Brasil.” In: ETGES, Virgínia Elisabeta; AREND, Silvio Cezar (orgs): CEPAL: Leituras sobre o desenvolvimento latino-americano. Santa Cruz do Sul, Edunisc: 2012.

ESTEVA, Gustavo. “Desenvolvimento”. In: SACHS, Wolfgan. Dicionário do desenvolvimento: guia para o conhecimento como poder. Rio de Janeiro: Vozes, 2000.

FAVARETO, Arilson. “As tentativas de adoção da abordagem territorial do Desenvolvimento rural – Lições para uma nova geração de políticas públicas.” Raízes, Campina Grande, v. 28, ns. 1 e 2 e v. 29, n.1, p. 52–62, jan./2009 a jun./2010. Disponível em http://www.ufcg.edu.br/~raizes/artigos/Artigo_217.pdf . Acesso em 17 de junho de 2020.

______et. al. “Territórios importam – Bases para uma abordagem relacional do desenvolvimento das regiões rurais ou interioranas no Brasil.” In: Revista em Gestão, Inovação e Sustentabilidade, Brasília, v. 1, n. 1, 2015. Disponível em https://favaretoufabc.files.wordpress.com/2018/07/2018_favareto_et_al_territoriosimportam_revista_regis-n-1.pdf. Acesso em 14 de julho de 2020.

HARAWAY, Donna. Ciencia, cybergs y mujeres. La reinvención de la naturaleza. Madrid, Cátedra, 1995.

KETZER, Patrícia. “Como pensar uma Epistemologia Feminista? Surgimento, repercussões e problematizações.” Argumentos, Fortaleza, ano 9, n. 18, p. 95-106, jul./dez. 2017

LAURETIS, Teresa de. Alicia ya no. Madrid, Cátedra, 1992.

LEÓN, Magdalena, “Mujer, género y desarrollo. Concepciones, instituciones y debates en América Latina”, In: Estudios Básicos de Derechos Humanos IV, Instituto Interamericano de Derechos Humanos, San José de Costa Rica, 1996.

LOURO, G.L. “Gênero, História e Educação: construção e desconstrução.” Educação e Realidade. Porto Alegre, v.20, n.2, p.101-132, jul/dez, 1995. Disponível em https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/71722. Acesso em 13 de julho de 2020.

MacDOWELL, Linda. Género, Identidad y Lugar. Madrid, Cátedra, 2000.

MENDOZA, Breny. “La epistemologia del sur, la colonialidad del género y el feminismo latinoamericano.” In: MIÑOSO, Yuderkys Espinosa (coord). Aproximaciones críticas a las prácticas teórico-políticas del feminismo latinoamericano – Vol.1: 19-36, Buenos Aires: Em la Frontera, 2010. Disponível em https://www.academia.edu/37696822/Breny_Mendoza_La_epistemologia_del_sur_la_colonialidad_de_genero_y_el_feminismo_latinoamericano. Acessado em 12 de julho de 2020.

MONTECINO, Sonia. REBOLLEDO, Loreto. Conceptos de Genero y Desarrollo. 1.ed. Santiago: Universidad de Chile, 1996.

RATHGEBER, Eva M. WID, WAD, GAD: Trends in research and pratice. Meetings of the Canadian Institute for the Advancement of Women. Held in Quebec City. International Development Research Centre, Ottawa, 1989.

REIS, José. “Uma epistemologia do território.” Estudos Sociedade e Agricultura, Rio de Janeiro, vol. 13, no. 1, p.51-74, 2005. Disponível em https://www.ces.uc.pt/publicacoes/oficina/226/226.pdf. Acessado em 02 de agosto de 2020.

SACHS, Ignacy. Desenvolvimento includente, sustentável, sustentado. Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

SÁNCHEZ, Eramis B., RODRÍGUEZ, Gloria M. V. “Género y desarrollo: Um desafío para las políticas públicas.” In: América Latina y el Caribe: Retos Sociodemográficos em el Tercer Milenio. La Habana, fev. 2007. Disponível em: http://cpscetec.com.br/brasil_cuba/material_cuba/genero_y_desarrollo.doc. Acesso em 12 de maio de 2020.

SANTOS, Milton; SILVEIRA, Maria Laura. “A questão: o uso do território”. In: SANTOS, Milton; SILVEIRA, M. L.O Brasil: Território e Sociedade no início do século XXI. 9. ed. Rio de Janeiro: Record, 2006. cap. 1. p. 19-22.

SCOTT, Joan. “Gênero: uma categoria útil de análise histórica”, Educação e Realidade, Porto Alegre, 20 (2), p. 71-99, jul.-dez. 1995

SEN, Amartya. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

SILVA, Susana Veleda da. “Os estudos de gênero no Brasil: algumas considerações”, Revista Bibliográfica de Geografía y Ciencias Sociales. Universidad de Barcelona, N. 262, 15 de novembro de 2000. Disponível em http://repositorio.furg.br/bitstream/handle/1/1212/Os%20estudos%20de%20g%C3%AAnero%20no%20BRasil%20algumas%20considera%C3%A7%C3%B5es.pdf?sequence=1. Acesso em 02 de agosto de 2020.

SMITH, Neil. “Contornos de uma política espacializada: veículos dos sem-teto e produção da escala geográfica.” In ARANTES, A (org) O espaço da diferença. Campinas, Papirus, 2000.

STADUTO, Jefferson A. R.; KRETER, Ana C. Gênero e território: um documento balizador para o Oeste do Paraná. Foz do Iguaçu: Parque Itaipu, 2017. – 20 p. il. https://www.pti.org.br/pt-br/content/g%C3%AAnero-e-territ%C3%B3rio-um-documento-balizador-para-o-oeste-do-paran%C3%A1. Acesso em 20 de abril de 2020.

ZABALA, Idoye. Estrategias alternativas em los debates sobre género y desarrollo. Dpto. Economía Aplicada I. Universidad del País Vasco/Euskal Herriko Unibertsitatea, 2010. Disponível em http://revistaeconomiacritica.org/sites/default/files/revistas/n9/4_Idoie_Zabala.pdf. Acesso em 12 de maio de 2020.

Downloads

Publicado

2022-04-04

Edição

Seção

Artigos