Influenciadores Digitais: Um Estudo de Caso sobre o perfil de Gabriela Pugliesi no Instagram.

Juliane Wimmer, Mônica Greggianin

Resumo


O presente trabalho consiste em analisar o perfil de Gabriela Pugliesi no Instagram e de que maneira o conteúdo compartilhado por ela estimula a interação dos seus seguidores dentro da rede social. Na esfera metodológica, escolheu-se além do estudo de caso e observação exploratória, a análise de conteúdo, por meio de um recorte temporal específico no perfil do objeto de estudo. A partir do levantamento dos dados, pode-se realizar um diálogo entre os conceitos abordados pelos autores e os dados obtidos, possibilitando algumas concepções acerca do tema em questão.

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, Livia. Moda e estilo de vida. Revista da ESPM, Porto Alegre, v. 15, n. 5, p. 16-23, 2008.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BOORSTIN, Daniel J. From hero to celebrity: the human pseudo-event. In: The celebrity culture reader. New York: Routledge, p. 72-90, 2006. Disponível em: . Acesso em: 15 maio 2017.

BOYD, Danah M.; ELLISON, Nicole B. Social network sites: Definition, History, and Scholarship. Journal of Computer-Mediated Communication, v. 13, n. 1, p. 210-230, 2007. Disponível em: . Acesso em: 01 maio 2017.

BRAGA, Adriana. Microcelebridades: entre meios digitais e massivos. In: Revista Contracampo, Niterói. N. 21, p. 39-53, 2010. Disponível em: . Acesso em: 16 maio 2017.

CASTELLS, Manuel. A galáxia da internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

CASTRO, Ana Lúcia de. Culto ao corpo: identidades e estilos de vida. VIII Congresso Luso-Afro-Brasileiro de Ciências Sociais, 2004. Disponível em: . Acesso em: 24 maio 2017.

CRANE, Diana. A moda e seu papel social: classe, gênero e identidade das roupas. São Paulo: Editora Senac, 2006.

DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Trad. Estela dos Santos Abreu. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: História da violência nas prisões. 20. ed. Petrópolis: Vozes, 1999. Disponível em: . Acesso em: 09 abr. 2017.

FRANÇA, Vera. Celebridades no século XXI: transformações no estatuto da fama. Porto Alegre: Sulina, 2014.

GABLER, Neal. Life the Movie: How entertainment conquered reality. New York: Alfred A. Knopf, 1999.

GIGLIO, Ernesto Michelangelo. O comportamento do consumidor. 4. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2010.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 11. ed. – 1. reimpr. Rio de Janeiro: DP&A, 2011.

HILLER, Marcos. Camarotização da vida. Administradores, 2015. Disponível em: . Acesso em: 22 maio 2017.

ILLOUZ, Eva. O amor nos tempos do capitalismo. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

KARSAKLIAN, Eliane. Comportamento do consumidor. 2. ed. – 4. reimpr. São Paulo: Atlas, 2009.

LEMOS, André. Cibercultura: tecnologia e vida social na cultura contemporânea. 7. ed. Porto Alegre: Sulina, 2002.

LEMOS, André; LÉVY, Pierre. O futuro da internet: em direção a uma ciberdemocracia. São Paulo: Paulus, 2010.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. 3. ed. São Paulo: Editora 34, 2010.

LIPOVETSKY, Gilles. Da leveza: rumo a uma civilização sem peso. Barueri: Manole, 2016.

MORIN, Edgar. As estrelas: mito e educação no cinema. Rio de Janeiro: José Olympio, 1989.

PALUDO, Ticiano R. Da mitologia ancestral à mitologia musical: Reflexos do espetacular e do hiperespetacular em videoclipes de David Bowie, Kiss e Lady Gaga. 329 p. Tese (Doutorado) Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social – PUCRS. Porto Alegre, 2017.

PRIMO, Alex. Existem celebridades da e na blogosfera? Reputação e renome em blogs. In: Líbero, São Paulo, v. 12, n. 24, p. 107-116, 2009. Disponível em: . Acesso em: 19 maio 2017.

RECUERO, Raquel. Comunidades em redes sociais na Internet: um estudo de caso dos fotologs brasileiros. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v.4, n.1, 2008. Disponível em: . Acesso em: 09 abr. 2017.

RECUERO, Raquel. Redes sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.

ROCHA, Aline M. M. Público e privado: notas conceituais sobre a transformação da intimidade na Internet. In: Revista Intratextos, v. 4, n. 1, p. 103-125, 2012. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2017.

ROCHA, Roseani. Vivendo e aprendendo. Meio & Mensagem. 1749. ed. 2017. ROJEK, Chris. Celebridade. Rio de Janeiro: Rocco, 2008.

RÜDIGER, Francisco. Roberto Carlos, Xuxa e os barões da mídia: estudos sobre fama, sucesso e celebridade no Brasil. Porto Alegre: Gattopardo, 2008.

SANTANA, Camila L.; COUTO, Edvaldo S. A publicização da vida privada no Twitter. In: Revista Fronteiras – estudos midiáticos, São Leopoldo, v. 14, n. 1, p. 31- 39, 2012. Disponível em: . Acesso em: 15 maio 2017.

SENFT, Theresa. Camgirls: celebrity and community in the age of social networks. New York: Peter Lang, 2008.

SIBILIA, Paula. O show do eu: a intimidade como espetáculo. Nova Fronteira, 2008.

SILVA, Polyana Inácio Rezende. Dinâmicas comunicacionais na representação da vida cotidiana – Instagram: um modo de narrar sobre si, fotografar ou de olhar para se ver. In: Intercom 2012 - XVII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste, 2012. Disponível em: . Acesso em: 14 maio 2017.

SILVA, Simone Genuino da. 2013. Entre filtros e hashtags: Instagram, o novo espelho de Narciso. 52 p. Monografia (Graduação) Curso de Publicidade e Propaganda da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Mossoró, 2013. Disponível em: . Acesso em: 13 maio 2017.

SIQUEIRA, Ethevaldo. Para compreender o mundo digital. São Paulo: Globo, 2008.

THOMPSON, John B. A Mídia e a Modernidade. Uma teoria social da mídia. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 1998.

TORRES, Cláudio. A bíblia do marketing digital: Tudo o que você queria saber sobre marketing e publicidade na internet e não tinha a quem perguntar. São Paulo: Novatec Editora, 2009.

VAZ, Conrado Adolfo. Google marketing: o guia definitivo de marketing digital. 3. ed. São Paulo: Novatec Editora, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.