O uso de um jogo digital na significação da aprendizagem no sertão central do Ceará

José Geovane Pinheiro e Silva, Sandro Olímpio Silva Vasconcelos, Normandia de Farias Mesquita Medeiros, Emmanuel Silva Marinho

Resumo


As tecnologias digitais da informação e comunicação (TDIC) são, hoje, grandes aliadas da Educação, principalmente devido a seu público de nativos digitais. Dentre essas tecnologias estão os jogos eletrônicos que, por intermédio da gamificação, desenvolvem processos cognitivos de aproximação, em especial simbólicos, do conhecimento para as informações já presentes nos alunos. Ou seja, promovem contribuições ao ensino, dando significado à aprendizagem. Assim sendo, de forma aplicada, desenvolvendo uma homepage através do WordPress para suportar um jogo da memória com informações sobre a tectônica de placas para os alunos de Ensino Médio de uma escola no interior do Ceará, foi possível perceber avanços significativos na obtenção do saber e, até mesmo, no comportamento dos alunos. Em suma, como resultado se entende que a gamificação, nesse viés educacional, desempenhou a função de quebrar barreiras comunicativas e de aprendizagem, contribuindo ainda na relação aluno-professor.


Texto completo:

PDF

Referências


AUSUBEL, D. P; NOVAK, J. D.; HANESIAN, H. Psicologia Educacional. Rio de Janeiro: Interamericana, 1980.

FARDO, Marcelo Luis. A Gamificação Aplicada em Ambientes de Aprendizagem. CINTED –UFRGS. Novas Tecnologias na Educação. v.11, n.1, 2013.

FREIRE, J. Fundamentos dos jogos. (Online). 2002. Disponível em: . Acesso em: 15 de dez. 2019.

HARVIAINEN, J.T.; MERILÄINEN, M; TOSSAVAINEN, T. The game educator’s handbook: revised international edition. (Online). [S.l]. 2015. Disponível em: . Acesso em: 13 de dez. 2019.

HERBST. A. M. N. O Uso Dos Jogos Eletrônicos Educacionais para o Processo de Ensino e Aprendizagem da Matemática. (Online). 2013. Disponível em: . Acesso em: 14 de dez. 2019.

LIBÂNEO, J.C. O processo de ensino e o estudo ativo. In: LIBÂNEO, J.C (Org.). Didática. São Paulo: Cortez Editora, p.103-118, 2006.

LÉVY, P. Cibercultura. (tradução de Carlos Irineu Costa). São Paulo: Editora 34, 2010.

MATLIN, M.W. Psicologia cognitiva. Rio de Janeiro: LTC, 2004.

MELO, I. R. P. O Uso de Jogos Eletrônicos como Ferramenta de Ensino: um estudo da suíte de jogos Gcompris (Especialização em Mídias na Educação). Macapá: Universidade Federal do Amapá (UFAP), 2012.

MENDES, C. Jogos eletrônicos: diversão, poder e subjetivação. Campinas: Papirus, 2006.

PEREIRA, E. G.; VIDAL, E.; FERREIRA, G.; MAIA. J.E. Computação: Estágio Supervisionado em Informática III. Fortaleza: UECE, 2017.

RAMOS, D. Jogos cognitivos eletrônicos: contribuições à aprendizagem no contexto escolar. Ciência & Cognição. Rio de Janeiro, v.18, n.1, p.19-32, abr., 2013.

RAMOS, D. Jogos eletrônicos e juízo moral: um estudo com adolescentes do ensino médio. Psicol. teor. Prat. São Paulo, v.14, n.1, p.97-112, abr., 2012.

SANTOS FILHO, J.W. Jogo eletrônico educacional como um objeto de aprendizagem visando a aprendizagem significativa: uma experiência com a análise combinatória. Dissertação (Mestrado em Educação). Núcleo de Pós-Graduação em Educação. Sergipe: Universidade Federal de Sergipe, 2010.

SILVA, J.B.; SALES, G.L.; CASTRO, J.B. Gamificação como estratégia de aprendizagem ativa no ensino de Física. Revista Brasileira de Ensino de Física. v.41, n. 4, 2019.

SILVA, J.G.P.; ANJOS, H.J.R.; MARINHO, M.M.; MARINHO, G.S.; MARINHO, E.S. Propostas de Ensino Para Lógica Proposicional – Bicondicional. Redin – Revista Educacional Interdisciplinar. Taquara, v.7, n.1, 2018.

STUDART, N. Simulação, games e gamificação no ensino de Física. In: Simpósio Nacional de Ensino de Física (SNEF). 2015. Disponível em: . Acesso em: 13 dez. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

________________________________________________

Redin - Revista Educacional Interdisciplinar

ISSN: 2594-4576