Formação de professores para o uso de tecnologia assistiva no ambiente computacional

Mariza Gorette Seeger, Eliane Aparecida Galvão dos Santos, Fernanda Figueira Marquezan

Resumo


O respectivo artigo traz uma reflexão acerca da formação para professores a partir do uso de Tecnologia Assistiva em ambiente computacional, bem como uma sugestão prática para esses, com o apoio de Software de autoria, chamado Hot Patatoes. A partir da introdução, o texto está estruturado da seguinte forma: primeiramente, aborda-se os aspectos metodológicos do estudo, passando ao referencial bibliográfico, que trata das Políticas Públicas Educacionais de Tecnologias Assistivas (TA) e Formação de Professores sob a perspectiva da Tecnologia Assistiva; Na sequência, propõe-se uma prática de ensino para o uso de TA em ambiente computacional a fim de contribuir à formação de professores para uma Educação Inclusiva. Com este estudo, espera-se que os professores conheçam e criem novas alternativas para o desenvolvimento de atividades inovadoras e interativas, ampliando, assim, suas habilidades em TA, incluindo-as como parte da prática docente, com vistas à melhoria no desenvolvimento do ensino-aprendizagem de alunos com deficiência. Ficou evidente, a partir do exposto, que se faz necessário uma formação docente que estimule e desenvolva práticas inovadoras para o contexto educacional, em especial, as que se utilizem de Tecnologias Assistivas para inclusão digital de todos.


Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

ADA - American With Disabilities act, 1994. Disponível em: Acesso em: 11 de junho de 2017.

AKKARI, A. Internacionalização das políticas educacionais: transformações e desafios. Petrópolis: Vozes, 2011.

BEHRENS, M. A. O paradigma emergente e a prática pedagógica. Curitiba: champagnat, 1999.

BERSCH, R. Introdução à tecnologia assistiva. CEDI – Centro Especializado em Desenvolvimento Infantil, Porto Alegre, 2008. Disponível em: . Acesso em: 11 de junho de 2017.

BRASIL. Comitê de Ajudas Técnicas. Portaria n° 142, de 16 de novembro de 2006. Disponível em: http://portal.mj.gov.br/corde/arquivos/doc/PORTARIA%20institui%20comit%C3%AA%20de%20ajudas%20t%C3%A9cnicas%20-%20revisada31.doc Acesso em: 11 de junho de 2017.

______. Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da Educação nacional. Brasília: Ministério da Educação e do Desporto, 1996. Disponível em: Acesso em: 17 de junho de 2017.

______. Conselho Nacional de Educação. Resolução n. 2, de 11 de setembro de 2001. Estabelece as diretrizes nacionais para a educação especial na educação básica. Brasília: Ministério da Educação, 2001. Disponível em: Acesso em: 14 de junho de 2017.

BRASIL. Subsecretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Comitê de Ajudas Técnicas. Tecnologia Assistiva . – Brasília: CORDE, 2009. 138 p.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis:

Vozes, 2001.

NÓVOA, A. Os professores e sua formação. Lisboa: Publicações. Dom Quixote, 1999.

SANTAROSA, L. M. C. Formação de tecnologias digitais acessíveis. Porto Alegre: Evangraf, 2012.

SOUZA, C. Políticas públicas: questões temáticas e de pesquisa. Caderno CRH, Salvador, n. 39, jul./dez. 2003. Disponível em: Acesso em: 11 de junho de 2017.

SOUZA, E. P. Tutorial Hot Potatoes. NTE 16, Vitória da Conquista, 2007. Disponível em: Acesso em: 1 de junho de 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

________________________________________________

Redin - Revista Educacional Interdisciplinar

ISSN: 2594-4576