Localização dos Setores Produtivos na Geoeconomia da Microrregião do Rio Formoso, TO

Nilton Marques Oliveira, Ana Lucia de Medeiros, Gaspar Carmanhan da Silveira Neto, Elvis Ribeiro Lopes

Resumo


O objetivo deste artigo foi estimar e analisar os indicadores de análise regional dos ramos de atividades produtivas na microrregião do Rio Formoso, Tocantins, entre 2005 e 2015. O referencial teórico adotado foi o conceito de economia regional numa perspectiva sobre a teoria de localização dos setores produtivos. Foram estimados o quociente locacional, o coeficiente de associação geográfica e o multiplicador de emprego. Os dados de emprego formal foram coletados junto à Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Os principais resultados sugerem que, na distribuição percentual entre os treze municípios analisados, o ramo de atividades que mais emprega é a administração pública. Os principais ramos industriais são de origem agropecuária e extração mineral. O multiplicador de emprego para Rio Formoso era de 3,68 em 2005, caindo para 2,50 em 2015. Esse dado significa que a geração de um emprego de base implica duas vezes e meia na geração de atividade doméstica local para os municípios de toda a microrregião. Quanto à análise da associação geográfica dos ramos de atividades do Rio Formoso, no ano de 2015, o setor de indústria de transformação teve associação dinâmica com a construção civil, comércio e serviços. Esses setores, de certa forma, drenam e atraem as atividades produtivas da microrregião.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, L. R. Indicadores de localização, especialização e estruturação regional. In: PIACENTI, C. A.; FERRERA DE LIMA, J. (Orgs.). Análise regional: metodologias e indicadores. Curitiba: Camões, 2012.

BARBOSA, Y. M. Conflitos sociais na fronteira amazônica: Projeto Rio Formoso. São Paulo: Papirus; Goiânia: Elegê, 1996.

DINIZ, C. C.; CROCCO, M. A. (Orgs.). Economia regional e urbana: contribuições teóricas recentes. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

FERRERA DE LIMA, J.; ALVES, L. R. Localização, concentração e vantagem competitiva dos ramos produtivos na geoeconomia paranaense. Caderno de Geografia, Belo Horizonte, v. 18, n. 29, p. 98-124, 2008.

FRANÇA, A. A. O.; COSTA, K. G. A construção do território tocantinense por meio da cartografia das microrregiões. Revista Tocantinense de Geografia, 2016. Disponível em: . Acesso em: 2 fev. 2017.

HADDAD, P. R. (Org.). Economia regional: teoria e métodos de análise. Fortaleza: BNB/Etiene, 1989.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGE Cidades. 2015. Disponível em: . Acesso em: 20 mar. 2015.

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO (MTE). Relação anual de informações sociais. 2005 e 2015. Disponível em: . Acesso em: 18 ago. 2016.

NORTH, D. C. Location theory and regional economic growth. Journal of Political Economy, v. 63, Jun. 1955.

______. Teoria da localização e crescimento regional. In: SCHWARTZMAN, J. (Org.). Economia regional: textos escolhidos. Belo Horizonte: CEDEPLAR/CETEDRE–MINTER, 1977.

OLIVEIRA, N. M. Desenvolvimento regional do território do estado do Tocantins: implicações e alternativas. 2015. 224 f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Regional e Agronegócio) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNOESTE, Toledo, 2015.

OLIVEIRA, N. M.; NOBREGA, A. M.; MEDEIROS, M. R. Desenvolvimento econômico e regional segundo a Teoria de Base de Exportação. Revista Tocantinense de Geografia, v. 1, p. 76-96, 2012.

PIFFER, M. A Teoria da Base Econômica e o desenvolvimento regional do estado do Paraná no final do século XX. 2009. 167 f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Regional) – Universidade de Santa Cruz do Sul, Santa Cruz do Sul, 2009.

______. Indicadores de base econômica. In: PIACENTI, C. A.; FERRERA DE LIMA, J. (Orgs.). Análise regional: metodologias e indicadores. Curitiba: Camões, 2012.

RICHARDSON, H. W. Economia regional: teoria da localização, estrutura urbana e crescimento regional. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

SCHWARTZMAN, J. A teoria da base de exportação e o desenvolvimento regional. In: HADDAD, P. R. (Org.). Desequilíbrios regionais e descentralização industrial. Rio de Janeiro: IPEA/INPES, 1975.

SOUZA, N. J. Conceito e aplicação da teoria da base econômica. Perspectiva econômica, Unisinos, São Leopoldo, v. 10, n. 25, p. 117-130, mar. 1980.




DOI: http://dx.doi.org/10.26767/coloquio.v16i2.806

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.