Empreendimentos econômicos solidários acompanhados pela Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares de uma instituição de Ensino Superior em Minas Gerais

Pablo Luiz Martins, Daniela Aparecida Sandim, Maria do Carmo Santos Neta

Resumo


Embora cada vez mais presente na sociedade, a economia solidária, que serve de base para as Incubadoras Tecnológicas de Cooperativas Populares (ITCP’s) desenvolverem seus trabalhos e auxiliarem diversos Empreendimentos Econômicos Solidários (EES), é um tema ainda pouco debatido. A ITCP/UFSJ conta com discentes de cursos variados da UFSJ. Dentre estes cursos está o de Ciências Contábeis. Desta forma, dois empreendimentos foram escolhidos para ser estudados neste trabalho: a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis de São João Del–Rei (ASCAS) e a Associação dos Artesãos e Empreendedores de Economia Familiar (ASAENFA). Os empreendimentos têm obrigações legais e fiscais a serem cumpridas, porém poucos são os que possuem conhecimento sobre esse fato. O presente trabalho tem como objetivo identificar a importância da ITCP/UFSJ, dos discentes da graduação de Ciências Contábeis e da contabilidade nos empreendimentos estudados, além de tratar um pouco mais sobre Economia Solidária e sobre as obrigações legais e fiscais desses empreendimentos. A fim de atingir tal objetivo, utilizou-se um referencial teórico e aplicou-se um questionário para os associados, o contador da ASCAS e para o coordenador da ASAENFA. De fato, perceber-se-á que a Economia Solidária é um tema que traz dúvidas, mas é praticada dentro das associações, e que, apesar da contabilidade trazer dificuldades para os associados, ela foi avaliada como sendo fundamental para o desenvolvimento dessas associações. Além disso, foi constatado que as obrigações fiscais e legais não são do conhecimento de todos, mas que as associações estão com os documentos em dia, exceto as demonstrações contábeis.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Jânio Caetano de. Cooperativismo Popular e Redes Solidárias (Org.) São Paulo: All Print, 2007.

ALMEIDA, Edir Antônia de. Contabilidade e Autogestão - um estudo sobre a dimensão contábil nos processos de autogestão dos empreendimentos de economia solidária. 2006. Dissertação (Mestrado em Contabilidade) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

BOCAYUVA, P. Incubadora tecnológica de cooperativas populares da COPPE/UFRJ. In:CAMAROTTI, I.; PETER, S. (Orgs). Redução da pobreza e dinâmica locais. Rio de Janeiro: FGV. 2001. p. 235-261.

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Disponível em . Acesso em: 15 dez. 2016.

CAMPIGLIA, Américo Oswaldo. Introdução à hermenêutica das demonstrações contábeis. São Paulo: Atlas, 1997.

CTNSRF. Secretaria da Receita Federal. Código Tributário Nacional Disponível em: . Acesso em: 16 dez. 2016.

IUDÍCIBUS, Sérgio de; MARION, José Carlos. Introdução à teoria da contabilidade: para o nível de graduação. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

MARION, José Carlos. Contabilidade empresarial. São Paulo: Atlas, 1998.

NASCIMENTO, Diogo T. do; OLAK, Paulo Arnaldo. As entidades sem fins lucrativos (terceirosetor) e as normas brasileiras de contabilidade aplicadas. In: XVI CONGRESSO BRASILEIRO DE CONTABILDADE. Goiânia: CFC, 2000.

OLIVEIRA, B. A. M.; ALVES, F. K. N.; PONTELO, T. C. As contribuições das incubadoras tecnológicas de cooperativas populares para o desenvolvimento da economia solidária e para a construção de um novo modelo de extensão universitária. In: Abreu, J. C. Cooperativismo popular e redes solidárias. São Paulo: All Print, 2007.

SINGER, P. Introdução a economia solidária. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.26767/coloquio.v16i2.796

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.