Economia solidária: outro caminho é possível?

Palloma Rosa Ferreira, Diego Neves de Sousa

Resumo


Este artigo tem o objetivo de analisar a trajetória empreendida pela economia solidária no Brasil, lançando olhares sobre a sua gênese e como se apresenta na atualidade, no intuito de perceber quais são as propostas apresentadas por esta forma de organização econômica específica, principalmente no que concerne às categorias economia, de mercado e trabalho, sob a perspectiva da revisão da literatura. Conclui-se que uma “outra economia” é possível, se alicerçada em laços de reciprocidade, ajuda mútua e solidariedade. Além disso, a economia solidária está relacionada a um ‘novo cooperativismo’, com a prevalência da autogestão e do trabalho coletivo, com espaços para um maior florescimento dos princípios cooperativistas, principalmente a concretização da democracia, da solidariedade e da ajuda mútua.

Texto completo:

PDF

Referências


ARISTÓTELES. A Política. 3. ed. Brasília: UNB, 1997.

CAILLÉ, A. Nem holismo nem individualismo metodológicos - Marcel Mauss e o paradigma da dádiva. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 13, n. 38, 1998. p. 5-38.

CAILLÉ, A. Dádiva e associação. In: Paulo H. Martins (Org.). A dádiva entre os modernos: discussão sobre os fundamentos e as regras do social. Petrópolis: Vozes, 2002. p. 99-136.

CAMPOS, A. P. T. Conquista de terras em conjunto: redes sociais e confiança - a experiência dos agricultores e agricultoras familiares de Araponga-MG. 121 f. Dissertação (Mestrado – Extensão Rural) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2006.

CRUZ, A. A diferença da igualdade: a dinâmica da economia solidária em quatro cidades do Mercosul. 343 f. Tese (Doutorado – Instituto de Economia) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2006.

FERNANDES, R. A. U. Economia solidária, velhas idéias, novos sentidos: o caso da associação mãos mineiras – MG. 192 f. Dissertação (Mestrado – Extensão Rural) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2007.

FERREIRA, P. R; AMODEO, N. B. P; SOUSA, D. N. Os públicos atendidos e os conteúdos da educação cooperativista nas cooperativas agrárias. Revista Gestão e Desenvolvimento Regional, v. 9, n. 1, p. 67-90, 2013.

FRANÇA FILHO, G. C; DZIMIRA, S. Economia solidária e dádiva. Organizações & Sociedades, v. 6, n. 14, p. 141-183, 1999.

FRANÇA FILHO, G. C; LAVILLE, J. L. Economia solidária: uma abordagem internacional. Porto Alegre: UFRGS, 2004.

FUKUYAMA, F. Confiança: as virtudes sociais e a criação da prosperidade. Rio de Janeiro: Rocco, 1996.

GODBOUT, J. T. O espírito da dádiva. Rio de Janeiro: FGV, 1999.

GRANOVETTER, M. Economic action and social structure: the problem of embeddedness. American Journal of Sociology, v. 1, 1985, p. 69-102.

LISBOA, A. M. A crítica de Karl Polanyi à utopia do mercado. Florianópolis: UFSC, 2000.

MANCE, E. A. A revolução das redes: a colaboração solidária como uma alternativa pós-capitalista à globalização atual. Petrópolis: Vozes, 2001.

MARQUES, E. C. Redes sociais e instituições na construção do estado e da sua permeabilidade. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 14, n. 41, 1999.

MARTELETO, R. M; SILVA, A. B. de O. Redes e capital social: o enfoque da informação para o desenvolvimento local. Ciência da Informação, v. 33, n. 3, p. 41-49, 2004.

MAUSS, M. Ensaio sobre a dádiva: forma e a razão de trocas nas sociedades arcaicas. In: Sociologia e Antropologia. São Paulo: EPU, 1974, p. 163-184.

MOTTA, E. de S. G. A ‘outra economia’: um olhar etnográfico sobre a economia solidária. 110 f. Dissertação (Mestrado – Museu Nacional) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.

POLANYI, K. A grande transformação: as origens da nossa época. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

SINGER, P. Introdução à economia solidária. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2002.

VIENNEY, C. L’économie sociale. Paris: La Découverte, 1994.




DOI: http://dx.doi.org/10.26767/coloquio.v15i1.770

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.