Sustentabilidade e energia eólica: percepções comunitárias no interior do Ceará - Brasil

Roseilda Nunes Moreira, Fabiana Pinto de Almeida Bizarria, Fábio Freitas Schilling Marquesan, Flávia Lorenne Sampaio Barbosa

Resumo


Este artigo trata do processo de implementação de empreendimentos de produção de energia eólica, bem como suas consequências em termos de sustentabilidade socioambiental e econômica. O objetivo do artigo é investigar os impactos socioambientais e econômicos na instalação e funcionamento de parques eólicos nos municípios de Itarema e Acaraú (Ceará), na perspectiva da comunidade. Configura-se como uma pesquisa exploratória e compreensiva, de natureza qualitativa, com suporte em dados coletados em entrevistas presenciais semiestruturadas, pesquisa bibliográfica e documental e registros de diário de campo. Para o tratamento dos dados, utilizou-se a técnica de análise de conteúdo, com auxílio do software Atlas.ti para categorização. Consideraram-se os dados com suporte no modelo de adaptação estratégica de Pettigrew (1987; 2012), que compreende a elaboração de análises com base na leitura de três conceitos - “conteúdo”, “contexto” e “processo”. Constata-se que da implantação dos parques resultou um importante impacto ambiental, que trouxe como consequência, dentre outras, a degradação de um ambiente - no caso, o manguezal - utilizado como fonte de renda por uma comunidade.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOWSKI, J.; POSORSKi, R. Wind energy in developing countries. DEWI Magazine, n. 16, p. 46-53, 2000.

DECE. Atração de Investimentos no Estado do Ceará – Mapa Territorial de Parques Eólicos. Fortaleza: ENGEMEP, 2010.

ANEEL. Energia Eólica. Disponível em: . Acesso em: 29 out. 2014.

______. Matriz energética do Brasil. Disponível em: . Acesso em: 29 out. 2014.

ARAÚJO, M.; FREITAS, M. Acceptance of renewable energy innovation in Brazil: case study of wind energy. Renewable and Sustainable Energy Reviews, n. 12, v. 2, p. 584-591, 2006.

BANDEIRA-DE-MELLO, R. Softwares em pesquisa qualitativa. In: GODOI, C. K.;

BANDEIRA-DE-MELLO, R.; SILVA, A. B. (Orgs.). Pesquisa Qualitativa em Estudos Organizacionais – Paradigmas, Estratégias e Métodos. São Paulo: Saraiva, 2006.

BANERJEE, S. B. Corporate Social Responsibility: The Good, the Bad and the Ugly. Critical Sociology, v. 34, n. 1, p. 51-79, 2008. Disponível em: . Acesso em: 4 dez. 2014.

BARBIERI, J. C. et al. Inovação e sustentabilidade: novos modelos e proposições. Revista de Administração de Empresas, n. 50, v. 2, p. 146- 154, 2010.

BARBOSA FILHO, W. P.; AZEVEDO, A. C. S. de. Impactos ambientais em usinas eólicas. Itajubá: Agrener, 2013.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Ediçõ es 70, 2011.

BAUER; M. W.; GASKELL, G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som - um manual prático. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

BRANDON, P. S. Sustainability in management and organization: the key issues? Building Research e Information, n. 27, p. 6, p. 390-396, 1999.

BRASIL. Ministério de Minas e Energia. Empresa de Pesquisa Energética. Plano Decenal de Expansão de Energia 2020. Brasília: MME/EPE, 2011.

BRYCE, R. The high cost of wind energy as a carbon-dioxide reduction method. Manhattan Institute for Policy Research, n. 11, p. 1-9, 2011.

CARRIERI, A. P. O meio ambiente: discurso consistente ou prática vazia? Uma reflexão sobre os discursos ambientais, a teoria organizacional e o caso brasileiro. Revista de Administração Pública, v. 37, n. 6, p. 1209-1231, 2003.

COSTA, F. J. da et al. Valores pessoais e gestão socioambiental: um estudo com estudantes de administração. RAM, Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 14, n. 3, jun. 2013. Disponível em: . Acesso em: 30 nov. 2014.

EINSENHARDT, K. M. Building Theories From Case Study Research. In: HUBER, G. P.; VAN de VEN, A. H. Longitudinal Field Research Methods – Studying Processes of Organizational Change. Thousand Oaks: Sage Publications, 1995.

FONeTENELE, R. E. S.; SOUZA, S. D. A Energia Eólica do Estado do Ceará e o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo do Protocolo de Quioto. In: XLII Congresso da Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural - SOBER, 2004, Cuiabá - MT. Dinâmicas Setoriais e Desenvolvimento Regional, 2004.

GOLDEMBERG, J.; LUCON, O. Energia e meio ambiente no Brasil. Estudos Avançados, v. 21, n. 59, p .7-20, 2007.

GONCALVES-DIAS, S. L. F.; HERRERA, C. B.; CRUZ, M. T. de S. Desafios (e dilemas) para inserir “Sustentabilidade” nos currículos de administração: um estudo de caso. RAM, Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 14, n. 3, jun. 2013. Disponível em: . Acesso em: 30 nov. 2014.

HOPKINS, C. Twenty years of education for sustainable development. Journal of Education for Sustainable Development, 2012, n. 6, v. 1. 2012. Disponível em: . Acesso em: 29 nov. 2014.

INATOMI, T. A. H.; UDAETA, M. E. M. Análise dos impactos ambientais na produção de energia dentro do planejamento integrado de recursos. São Paulo: USP, 2007. Disponível em: http://seeds.usp.br/portal/uploads/INATOMI_TAHI_IMPACTOS_AMBIENTAIS.pdf. Acesso em: 10 nov. 2014.

INGOLD, T. Perceptions of environment: essays on livelihood, dwelling and skill. Londres; Nova Iorque: Routledge, 2000.

LAGE, A. C.; BARBIERI, J. C. Avaliação de projetos para o desenvolvimento sustentável: uma análise do Projeto de Energia Eólica do Estado do Ceará com base nas dimensões da sustentabilidade. Anais do Encontro Anual da Associação Nacional dos Programas de pós-graduação em Administração, XXV EnANPAD. Campinas: ANPAD, 2001.

LASH, J. WELLINGTON, F. Competitive advantage on a warming planet. Harvad Business Review, março, 2007. Disponível em: http://www.climateactionproject.com/docs/Competitive_Advantage_Warming_Planet.pdf>. Acesso em: 22 nov. 2014.

MARCONATTO, D. A. B. et al. Saindo da trincheira do desenvolvimento sustentável: uma nova perspectiva para a análise e a decisão em sustentabilidade. RAM, Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 14, n. 1, fev. 2013. Disponível em: . Acesso em: 30 nov. 2014.

MEBRATU, D. Sustainability and sustainable development: historical and conceptual review. Environ Impact Asses Rev. n. 18, p. 493-520, 1998. Disponível em: . Acesso em: 21 nov. 2014.

MEIRELES, A. J. de A. Danos socioambientais originados pelas usinas eólicas nos campos de dunas do Nordeste Brasileiro e critérios para definição de alternativas locacionais. Confins. Revue franco-brésilienne de géographie/Revista franco-brasilera de geografia, n. 11, 2011.

______. Impactos ambientais decorrentes da ocupação de áreas reguladoras do aporte de areia: a planície Costeira da Caponga, município de Cascavel, litoral leste cearense. Confins. Revue franco-brésilienne de géographie/Revista franco-brasilera de geografia, n. 2, 2008.

MEIRELES, A. J. A., SILVA, E. V.; THIERS, P. R. L. Os campos de dunas móveis: fundamentos dinâmicos para um modelo integrado de planejamento e gestão da zona costeira. Espaço e Tempo, São Paulo, n. 20, p. 101-119, 2006.

MELO, E. Fonte eólica de energia: aspectos de inserção, tecnologia e competitividade. Estudos Avançados, São Paulo, v. 27, n. 77, 2013. Disponível em: . Acesso em: 29 out. 2014.

MINAYO, M. C. de S. O desafio do conhecimento – Pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec, 2007.

MOREIRA, R. N. et al. Energia eólica no quintal da nossa casa?! Percepção ambiental dos impactos socioambientais na instalação e operação de uma usina na comunidade de sítio do Cumbe em Aracati – CE. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade – GeAS, São Paulo, v. 2, n. 1, p. 47-74, jan./jun. 2013. Disponível em: . Acesso em: 4 nov. 2014.

NASCIMENTO, T. C., MENDONÇA, A. T. B. de; CUNHA, S. K. da. Inovação e sustentabilidade na produção de energia: o caso do sistema setorial de energia eólica no Brasil. Cadernos EBAPE.BR, v. 10, n. 3, p. 630-651, 2012.

OLIVEIRA, Y. C. L.. Estudo da geração de energia elétrica através do parque eólico do Ceará. Monografia (Curso de Engenharia Elétrica) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2011.

PATTON, M. Q. Qualitative Research and Evaluation Methods. 3. ed. Thousand Oaks: Sage, 2002.

PEARSON EDUCATION DO BRASIL. Gestão Ambiental. São Paulo. Pearson Prentice Hall, 2011.

PETTIGREW, A. Context and action in the transformation of the firm. Journal of Management Studies, v. 24, n. 6, p. 649-670, 1987. Disponível em: . Acesso em: 2 fev. 2013.

______. Context and action in the transformation of the firm: A Reprise. Journal of Management Studies, v. 49, n. 7, p. 1304-1328, nov. 2012. Disponível em: . Acesso em: 3 fev. 2013.

REDCLIFT, M. R. Sustainable development (1987-2005): an oxymoron comes of age. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, v. 3, Selected Edition, 2006.Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2014.

SACHS, I. Caminhos para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: Garamond, 2000.

SAHLINS, M. Stone Age Economics. London: Tavistock Publications, 1978.

SAMPIERI, R. H.; COLLADO, C. F.; LUCIO, P. B. Metodologia de Pesquisa. São Paulo: McGraw Hill, 2006.

SIMAS, M.; PACCA, S. Energia eólica, geração de empregos e desenvolvimento sustentável. Estudos Avançados, São Paulo, v. 27, n. 77, 2013. Disponível em: . Acesso em: 29 out. 2014.

SINAY, M. C. F. de et al. Ensino e pesquisa em gestão ambiental nos programas brasileiros de pós-graduação em administração. RAM, Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 14, n. 3, jun. 2013. Disponível em: . Acesso em: 21 nov. 2014.

STRAUSS, A.; CORBIN, J. Pesquisa Qualitativa: Técnicas e procedimentos para o desenvolvimento da teoria fundamentada. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

SULAIMAN, S. N. Educação ambiental, sustentabilidade e ciência: o papel da mídia na difusão de conhecimentos científicos. Ciência e Educação, Bauru, v. 17, n. 3, 2011. Disponível em: . Acesso em: 29 nov. 2014.




DOI: https://doi.org/10.26767/coloquio.v14i1.568

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.