Turismo Rural na Agricultura Familiar (TRAF): estudo de caso no Circuito de Turismo Sabiá, Matelândia/PR

Graciela Caroline Gregolin, Caroline Monique Tietz Soares, Cristiano Luiz Metzner, Larice Vazata Becker, Elio Jacob Henrich Júnior, Giovana Riva Maggi, Wilson João Zonin

Resumo


Os proprietários rurais estão sendo encorajados, cada dia mais, a buscar fontes alternativas de renda, visando viabilizar sua permanência no campo. Por meio do turismo rural na agricultura familiar, é possível utilizar ativos econômicos que até então não produziam nenhum efeito financeiro direto, conciliando-os com as atividades já desenvolvidas na propriedade. O objetivo deste trabalho foi compreender o desenvolvimento da atividade do turismo rural na agricultura familiar na comunidade Circuito Sabiá, localizada no município de Matelândia, na região oeste do Paraná. A pesquisa caracterizou-se como um estudo de caso de caráter quali-quantitativo e foi desenvolvida em três etapas. A primeira consistiu na visita e observação do local em estudo; a segunda caracterizou-se por entrevista aos proprietários; e, a terceira etapa foi a aplicação de um questionário semiestruturado aos turistas que já visitaram o circuito, e, por fim, a tabulação e análise dos dados. O turismo rural, no Circuito Sabiá, é uma boa alternativa para manter as famílias no campo; contudo, ainda é necessário um maior planejamento e organização, visando ressaltar as potencialidades e minimizar as fragilidades do local.

Texto completo:

PDF

Referências


ALLEN, I.E.; SEAMAN, C.A. Likert Scales and Data Analyses. 2007. Disponível em: . Acesso em: 18 maio 2014.

BONETTI, L.A.; CANDIOTTO, L.Z.P. Políticas públicas federais de turismo rural e o turismo rural na agricultura familiar (TRAF). In: XXI Encontro Nacional de Geografia Agrária. Uberlândia, 2012.

BRASIL. Lei n o 11.326, de 24 de julho de 2006. Estabelece as diretrizes para a formulação da Política Nacional de Agricultura Familiar e Empreendimentos

Familiares Rurais. Brasília: Diário Oficial da União, 2006.

______. Ministério do Turismo. Diretrizes para o Desenvolvimento do Turismo Rural no Brasil. Brasília: Ministério do Turismo, 2004.

______. SAF/MDA Secretaria de Agricultura Familiar/Ministério Desenvolvimento Agrária. Programa de Turismo Rural na Agricultura Familiar. Brasil, 2003.

CARNEIRO, M.J. Ruralidade: novas identidades em construção. Estudos: Sociedade e Agricultura, n. 11, out. 1998. Disponível em: . Acesso em: 7 jun. 2014.

ENSSLIN, L.; ENSSLIN, S.R.; VIANNA, W.B. O design na pesquisa quali-quantitativa em engenharia de produção - Questões a considerar. Revista Gestão Industrial. Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR Campus Ponta Grossa - Paraná Brasil. v. 3, n. 3: p. 172-185, 2007.

GOVEIA, E.F.; FERNANDES, D.L.; MAGANHOTTO, R.F. Análise sobre infraestrutura de acesso das propriedades rurais dos jovens vinculados ao CEDEJOR, da região Centro Sul do Paraná. In: VII ENPPEX - Encontro Paranaense de Pesquisa e Extensão em Ciências Sociais Aplicadas e II Seminário dos Cursos de Ciências Sociais Aplicadas da Fecilcam. 2011.

KUMMER, L. Metodologia participativa no meio rural: uma visão interdisciplinar. Conceitos, ferramentas e vivência. Salvador: GTZ, 2007.

LIMA, J.J.S. Turismo sustentável, alternativa de desenvolvimento local e conservação ambiental. Uma análise interdisciplinar do PRODETUR - CE. 2003. 212 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2003.

LUNA, S.M.M. Manual práctico para el diseño de la Escala Likert. Xihmai - Revista de Investigación de la Universidad La Salle Pachuca. v. 2. n. 4. 2007. Disponível em: . Acesso em: 18 maio 2014.

MOTTA, E.R.G. Turismo no espaço rural: as transformações socioambientais no Caminho do Vinho em São José dos Pinhais/PR. 2013. 133f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes da Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2013.

OLIVEIRA, T.M.V. Escalas de mensuração de Atitudes: Thurstone, Osgood, Stapel, Likert, Guttman, Alpert. Revista Administração online. v. 2, n. 2. 2001. Disponível em: . Acesso em: 17 maio 2014.

PARANÁ. Lei n. 15.143, de 31 de maio de 2006. Define as atividades turísticas que especifica, como atividades de “Turismo Rural na Agricultura Familiar”. Curitiba: Diário Oficial, 2006.

RENK, V.E. Turismo e cultura: um diálogo interdisciplinar. Caderno de Estudos e Pesquisas do Turismo. Curitiba, v. 2, p. 63-79, jan./dez. 2013.

SENAR. Serviço Nacional de Aprendizagem Rural. Formação Profissional Rural - O que é? Disponível em: . Acesso em: 15 maio 2014.

SILVA, B.E. Turismo Rural e Agricultura Familiar: um estudo sobre a efetividade do Programa Turismo Rural na Agricultura Familiar na comunidade Pedra Redonda, Araponga-MG. 2010. 95 f. Monografia (Bacharel em Turismo) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010.

SOUZA, L. S. Turismo e desenvolvimento local sustentável na Paraíba. Campina Grande-Paraíba, 2006. Disponível em: . Acesso em: 13 maio 2014.

TALANCÓN, H.P. La Matriz FODA: Alternativa de diagnóstico y determinación de estrategias de intervención en diversas organizaciones. Enseñanza e Investigación en Psicologia, v. 12, n. 1: 113-130 jan./jun., 2007.

WANDERLEY, M.N.B. A valorização da agricultura familiar e a reivindicação da ruralidade no Brasil. Desenvolvimento e Meio Ambiente, n. 2, p. 29-37. jul./dez., 2000.

WHITACKER, G.M. (Re)produção do espaço rural a partir da inovação técnica. Considerações sob a perspectiva da ecologia política. Revista Digital para Estudiantes de Geografía y Ciencias Sociales, GeoGraphos. p. 1-30. 2012.

YIN, R.K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2010.

ZIGER, V. O Crédito Rural e a Agricultura Familiar: desafios, estratégias e perspectivas. 2014. Disponível em: . Acesso em: 15 maio 2014.




DOI: https://doi.org/10.26767/coloquio.v13i1.384

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.