A dinâmica territorial dos deslocamentos pendulares na área urbana funcional de Santa Maria-RS, Brasil

Rogério Leandro Lima da Silveira, Carolina Rezende Faccin, Débora Frantz Krug, Nicolas Billig de Giacometti

Resumo


Os estudos sobre desenvolvimento urbano e regional e planejamento territorial têm valorizado o policentrismo como recurso metodológico na análise da dinâmica territorial na escala regional. Na região Central do Rio Grande do Sul, a cidade média de Santa Maria apresenta centralidade econômica e desempenha importante papel de intermediação e polarização dos principais fluxos no território regional. Objetiva-se analisar a constituição e dinâmica da área urbana funcional (FUA) de Santa Maria, e verificar as caraterísticas socioespaciais dos deslocamentos para trabalho e estudo entre as cidades da região e possíveis reflexos no desenvolvimento urbano e regional. Metodologicamente, ancora-se no referencial teórico sobre policentrismo urbano, cidades médias e sua relação com o desenvolvimento regional. Utiliza-se microdados sobre deslocamentos pendulares, e dados sobre a urbanização e economia municipais, do Censo Demográfico de 2010 do IBGE. Os resultados apontam que na FUA de Santa Maria predominam fluxos pendulares monodirecionais, e os de maior intensidade se destinam para Santa Maria. A centralidade econômica e de serviços de Santa Maria, a predominância da atividade primária nos demais municípios, e a acessibilidade e proximidade espacial entre a cidade média e os demais municípios da FUA, são variáveis relevantes na atual dinâmica territorial da região central do Rio Grande do Sul.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTIKAINEN, J. The concept of Functional Urban Area: Findings of the ESPON Project 1.1.1. Informationen zur Raumentwicklung. 7(1), 447-452, 2005.

BRENNER, N. Espaços da urbanização: o urbano a partir da teoria crítica. 1. ed. - Rio de Janeiro: Letra Capital: Observatório das Metrópoles, 2018.

CATTAN, N. (Org.). Cities and networks in Europe: a critical approach of polycentrism. Montrouge: John Libbey Eurotext, 2007.

DAVOUDI, S. Polycentricity: Panacea or pipedream? In: Cattan, N. (Ed.) Cities and networks in Europe. (p. 65-73). Montrouge: John Libbey Eurotext, 2007.

______. Polycentricity in European Spatial Planning: From na Analytical Tool to a Normative Agenda. European Planning Studies, 11(8), 979-999, 2003.

HALL, P. Delineating urban territories: Is this a relevant issue? In: Cattan, N. (Ed.) Cities and networks in Europe. (p. 03-14). Montrouge: John Libbey Eurotext, 2007.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Censo demográfico. Rio de Janeiro: IBGE, 2000. Disponível em: . Acesso em 06 jun. 2020.

______. Região de Influência das Cidades – REGIC 2007. Rio de Janeiro, IBGE, 2008. Disponível em: . Acesso em 06 jun. 2020.

______. Censo demográfico. Rio de Janeiro: IBGE, 2010. Disponível em: . Acesso em 06 jun. 2020.

______. Arranjos populacionais e Concentrações Urbanas do Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2015. Disponível em: . Acesso em 06 jun. 2020.

______. Grade estatística. Rio de Janeiro: IBGE, 2016. Disponível em: . Acesso em 06 jun. 2020.

______. Produto Interno Bruto dos Municípios 2002-2017: ano base 2012. Rio de Janeiro: IBGE, 2017. Disponível em: . Acesso em 06 jun. 2020.

______. Pesquisa de Informações Básicas Municipais - MUNIC. Rio de Janeiro: IBGE, 2018. Disponível em: . Acesso em 06 jun. 2020.

KARLSSON, C.; OLSSON, M. The identification of functional regions: theory, methods, and applications. Annals of Regional Science, 40(1), 1-18, 2006.

LLOP, J. M.; USÓN, E. (Org). Ciudades Intermedias. Dimensiones y definiciones. Lleida: Editorial Milenio, 2012.

RELAÇÃO ANUAL DE INFORMAÇÕES SOCIAIS - RAIS. Número de estabelecimentos e número de vínculos por setor do CNAE 2.0 Classe. Brasília: TEM, 2018. Disponível em: . Acesso em 06 jun. 2020.

PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO - PNUD. Atlas de Desenvolvimento Humano nos Municípios. Brasília: PNUD, 2010. Disponível em: . Acesso em 06 jun. 2020.

SASSEN, S. Sociologia da Globalização. Porto Alegre: Ed. Artmed, 2010.

SANTOS, MILTON. Por uma outra globalização. São Paulo: Ed. Record, 2000.

SANTOS, MILTON E SILVEIRA, MARIA LAURA. O Brasil: Território e Sociedade no início do Século XXI. Rio de Janeiro: Ed. Record, 2001

SECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO – SEPLAG; DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL - DEPLAN. Perfis Socioeconômicos Regiões Funcionais de Planejamento. Porto Alegre: SEPLAG/DEPLAN, 2015. Disponível em: . Acesso em 06 jun. 2020.

SECRETARIA DE PLANEJAMENTO, GOVERNANÇA E GESTÃO – SPGG. Plano Estratégico de Desenvolvimento Regional do COREDE Central 2015-2030. Porto Alegre: SPPG, 2017. Disponível em: . Acesso em 06 jun. 2020.

SILVEIRA, R. L. L., BRANDT, G. B., FACCIN, C. R., SILVEIRA, L. L., KUMMER, D. C. Policentrismo, Áreas Urbanas Funcionais (FUAs) e Dinâmica Territorial: Um estudo exploratório desde a região do Vale do Rio Pardo - RS - Brasil. In: Redes, 22(1), 184-217, 2017. Disponível em: . Acesso em: 10 mai. 2020.

SPÓSITO, M. E. B.; SILVA, W. R. Perspectivas da urbanização: Reestruturação urbana e das cidades. Rio de Janeiro: Editora Consequência, 2017.

SÝKORA, L..; MULÍČEK, O. The micro-regional nature of functional urban areas (FUAs): lessons from the analysis of the Czech urban and regional system. Urban Research & Practice, 2(3), 287-307, 2009.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM. UFSM em números: dados referentes ao período 1º Semestre de 2020. Disponível em: . Acesso em 06 jun. 2020.




DOI: https://doi.org/10.26767/coloquio.v18i1.1892

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.