Santuário do Caraça (MG): história, patrimônio natural, paradoxo ecológico e o seu valor ecossistêmico

Tiago Soares Barcelos, Pedro Luiz Teixeira Camargo, Loyslene de Freitas Mota

Resumo


Este trabalho tem como objetivo estimar o valor econômico do Santuário do Caraça em Minas Gerais/Brasil, através do Método de Costanza, et al (1997; 2014), que tem por escopo captar o valor recreacional de um ativo ambiental, colaborando assim para a compreensão do valor econômico efetivo de um sítio natural. Este método analisa os gastos feitos pelos visitantes, encontrando o excedente do consumidor, para auferir o seu valor econômico. A utilização de métodos de valoração econômica demonstra ser uma ferramenta de fundamental importância para a preservação/conservação dos bens e serviços gerados pelos ecossistemas. O valor econômico total, referente aos serviços ecossistêmicos, é de cerca de R$ 5.402.524.041,93. Este valor confirma a importância econômica do Santuário do Caraça para a região e a necessidade de sua preservação.

Texto completo:

PDF

Referências


ALKMIM, F. F. MARSHAK, S. Transamazonian Orogeny in the Southern São Francisco Craton Region, Minas Gerais, Brazil: evidence for Paleoproterozoic collision and collapse in the Quadrilátero Ferrífero. Precambrian Research, n.90, p.29-58, 1998.

BARCELOS, T. S; ROESER, H. M; TRINDADE, R. Valoração econômica do Santuário do Caraça em Minas Gerais/BR. Ciência e Natura, vol 38, núm 1, jan-abr, pp. 71-83, 2016.

BRASIL. Projeto de Lei 1610 de 1996 em tramitação no Senado Federal. Autor Senador Romero Jucá - PFL/RR. Disponível em http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=16969. Acesso em novembro de 2018.

BRUNDTLAND, Relatório de. Nosso Futuro Comum. 2ed. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1991.

CAVALCANTI, C. Concepções da economia ecológica: suas relações com a economia dominante e a economia ambiental. Estud. av., São Paulo, v. 24, n. 68, 2010.

CAVALCANTI, C. Uma tentativa de caracterização da economia ecológica. Ambiente. soc., Campinas, v. 7, n. 1, jun. 2004.

CECHIN, Andrei Domingues; VEIGA, José Eli da. O fundamento central da economia ecológica. In: MAY, Peter H (Org). Economia do meio ambiente: teoria e prática. 2.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010

CECHIN, A.; PACINI, H. Economia verde: porque o otimismo deve ser aliado ao ceticismo da razão. Estud. av., São Paulo, v. 26, n. 74, 2012.

COSTANZA, R. DE GROOT, R. S., SUTTON, P.; VAN DER PLOEG, S.; ANDERSON, S. J.;

KUBISZEWSKI, I.; FARBER, S.; KERRY TURNER, R. Changes in the global value of ecosystem services. Global Environmental Change, v. 26, p. 152-158, 2014.

COSTANZA, R., D’ARGE, R.; DE GROOT, R. S., FARBER, S., GRASSO, M., HANNON, B., LIMBURG, K., NAEEM, S., O’NEILL, R.V., PARUELO, J., RASKIN, R. G., SUTTON, P., VAN DEN BELT, M.. The value of the world’s ecosystem services and natural capital. Nature, v. 387, p. 253-260, 1997.

DE GROOT, R.; WILSON, M. A.; BOUMANS, R. M. J. A typology for the classification, description and valuation of ecosystem functions, goods and services. Ecological Economics 41, 2002. p. 393-408.

GEORGESCU-ROEGEN, N. O decrescimento: entropia, ecologia e economia. São Paulo: editora Senac, 2012.

GUEDES, F. B.; SEEHUSEN, S. E. Pagamentos por Serviços Ambientais na Mata Atlântica: lições aprendidas e desafios. Brasília: MMA, 2011.

HADDAD, P. Economia ecológica e ecologia integral. Edição Kindle. Amazon, 2017.

HARARI, Y. N. Sapiens: uma breve história da humanidade. L&PM Editores, São Paulo/SP, 2015.

MENDES, M. A. M. Influência antrópica nas características hidrossedimentológicas e geoquímicas da bacia do ribeirão Caraça, Quadrilátero Ferrífero, MG. 2007. 90 f. Dissertação (Mestrado em Evolução Crustal e Recursos Naturais) - Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2007.

MINAS GERAIS. Legislação Mineira. https://www.almg.gov.br/consulte/legislacao/completa/completa-nova-min.html?tipo=CON&num=1989&ano=1989 Acesso: novembro de 2018

MONTIBELLER FILHO, Gilberto. O Mito do Desenvolvimento Sustentável. Tese de Doutorado (Ciências Humanas/Sociedade e Meio Ambiente). Florianópolis, UFSC, 1999.

MORAES, O. J. M. Economia Ambiental: instrumentos econômicos para o desenvolvimento sustentável. São Paulo: Centauro, 2009.

MOREIRA, A.A.M E PEREIRA, C.C.A. Levantamento Topoclimático da RPPN Santuário do Caraça. Caderno de Geografia, v. 14, n. 23, p. 43-50, 2004.

MOTTA, R. S. Economia Ambiental. Rio de Janeiro: Editora FGV. 2006.

ORTIZ, R.A.; SEROA DA MOTA, R.; ORTIZ, C. Estimando o valor ambiental do Parque Nacional do Iguaçu: uma aplicação do método do custo de viagem. Texto para discussão no 777. Rio de Janeiro: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, IPEA, 2001.

ROMEIRO, A. R. Desenvolvimento sustentável: uma perspectiva econômico-ecológica. Estudos avançados. São Paulo, v. 26, n. 74, p. 65-92, 2012.

RUELLAN, F. Contribuição ao estudo da Serra do Caraça. Anais da Associação dos Geógrafos Brasileiros, Vol VI, tomo II, 1950.

SALGADO A.A.R., COLIN F., NALINI H.A, BRAUCHER R., VARAJÃO A.F.D.C, VARAJÃO C.A.C. Denudation rates of the Quadrilátero Ferrífero (Minas Gerais, Brazil): Preliminary results 235 Revista de Geografia. Recife: UFPE – DCG/NAPA, v. especial VIII SINAGEO, n. 1, Set. 2010 from measurements of solute fluxes in Rivers and in situ-produced cosmogenic 10Be. Journal of Geochemical Exploration, vol. 1, n.5, 2008.

SARNELIUS, P. S. Guia Sentimental do Caraça. Imprensa Oficial, Belo Horizonte. 1953.

SCHUMPETER, J.A. Teoria do Desenvolvimento Econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico. São Paulo: Nova Cultura, 1997. (Os Economistas).

THOMAS, Janet M; CALLAN, Scott. Economia ambiental: fundamentos, políticas e aplicações. São Paulo: Cengage Learning, 2012.

VEIGA NETO, F. C; MAY, P. H. Mercado para serviços ambientais. In: MAY, Peter H (Org). Economia do meio ambiente: teoria e prática. 2.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

ZICO, J. T. Caraça, Peregrinação - Cultura e Turismo. 2a Ed. Editora São Vicente, Belo Horizonte, 1978.

ZICO, J. T. Caraça: Ex-Alunos e Visitantes. Editora São Vicente, Belo Horizonte, 1979.

ZICO, J. T. Caraça, Parque Natural e Arquivo do Colégio. Editora O Lutador, Belo Horizonte, 1990.




DOI: https://doi.org/10.26767/coloquio.v17i3.1760

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.