Suinocultura no Planalto Norte Catarinense: transformações históricas e panorama

Letícia Paludo Vargas, Daniela Pedrassani

Resumo


A presente pesquisa abordou as principais transformações relacionadas a suinocultura, ocorridas no Planalto Norte catarinense, considerando que não era uma atividade agropecuária tradicionalmente desenvolvida pelos produtores rurais. Dentro dessa perspectiva, o objetivo foi analisar as percepções dos envolvidos na atividade em relação às transformações no sistema de produção suinícola ocorridas nessa região. A pesquisa qualitativa foi realizada com amostragem não probabilística por julgamento, com dados coletados junto aos informantes qualificados da região, representantes da área de abrangência, nos meses de junho e julho de 2019, por meio de um roteiro de entrevista semiestruturado. Os dados da pesquisa demonstraram que, na percepção dos entrevistados, a suinocultura no Planalto Norte de Santa Catarina sofreu transformações expressivas, especialmente pela mudança dos sistemas produtivos, especialização da produção e entrada de agroindústrias. Foi relatado que, no início das atividades vinculadas à suinocultura, a criação era de subsistência, ocorrendo comercialização apenas da produção excedente. Particularmente a partir da década de 2000, momento de forte crescimento da suinocultura regional e consolidação das agroindústrias, os produtores passaram a trabalhar em sistema de integração com especialização da produção, destinada à comercialização. Foi percebido ainda que a entrada dessa nova atividade na região permitiu a diversificação das atividades para os produtores rurais, especialmente para os agricultores familiares, que veem na suinocultura uma nova oportunidade de incremento de renda.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CRIADORES DE SUÍNOS (ABCS) – SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. Mapeamento da suinocultura brasileira. Brasília, DF, 2016. 376 p.

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE CRIADORES DE SUÍNOS. Relatório Anual - 2009. Concórdia-SC, 2009. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2018.

AGRINESS. Você conhece o sistema Wean to finish (WF)?. 2016. Disponível em: . Acesso em 02 dez 2019.

BARBETTA, P. A. Estatística aplicada às Ciências Sociais. 7 ed, Florianópolis: Editora UFSC, 2011.

BELL, J. Projeto de pesquisa: guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e ciências sociais. 4. ed. Porto Alegre: Artmed. 2008. 224 p.

CARVALHO, M. M. X.; OLIVEIRA, O. J. F. Memórias de criadores de suínos: a modernização da suinocultura vista a partir da experiência dos criadores (Nova Laranjeiras - Paraná). Revista de História Regional, v.23, n. 1, p. 134-150, 2018.

CARVALHO, M. M. X.; PROVIN, B. G.; VALENTINI, R. P. Uma leitura da modernização da suinocultura: história, agropecuária e bem-estar animal - Paraná, Brasil (1960-1980). Expedições. Teoria da História & Historiografia. Ano 7, n. 2, 2016.

CORREIO DO NORTE. Suinocultura é uma das bases da economia canoinhense. Março, 2016. Disponível em: . Acesso em 30 set 2019.

DALLAGNOL, L. J.; ARAUJO FILHO, J. V. Resistência Genética de Plantas a Patógenos. In: DALLAGNOL, L. J. (Org.). Resistência genética: de plantas a patógenos. Pelotas : Ed. UFPel, 2018.

GOLLO, V.; CORDAZZO, E. G.; KLANN, R. C. Análise dos custos e resultados em Unidades Produtoras de Leitões (UPL): um comparativo entre diferentes modelos de contrato. Custos e @gronegócio online, v. 10, n. 2, p. 119-250, 2014.

GUIVANT, J. S.; MIRANDA, C. As duas caras de Jano: agroindústrias e agricultura familiar diante da questão ambiental. Cadernos de Ciência & Tecnologia, Brasília, v.16, n.3, p. 85-128, set./dez. 1999.

HEIDEN, F. et al. Indicadores da evolução do setor agrícola catarinense - dados preliminares. Grupo de limpeza do LAC, agroindicadores. Disponível em: . Acesso em 05 abr 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo Demográfico 1991. 1991. Disponível em: . Acesso em 31 mar 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo Agropecuário 2006. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, 2006. Disponível em: . Acesso em 31 mar 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Indicadores IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, 2010.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo Agropecuário 2017. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, 2017. Disponível em: . Acesso em 31 mar 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Cidades e Estados. 2018. Disponível em: < https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/sc/>. Acesso em 31 mar 2019.

KRABBE, E. L. et al. Cadeias produtivas de suínos e aves. In: GENTILINI, F. P.; ANCIUTI, M. A. (Org.). Tópicos atuais na produção de suínos e aves. Pelotas: IFSul/Pelotas, 2013.

KRAJESKI, A.; POVALUK, M. Alterações no solo ocasionadas pela fertirrigação dos dejetos suínos. Saúde Meio Ambiente. v. 3, n. 1, p. 3-18, jan./jun. 2014.

KRUGER, S. D. et al. Análise comparativa de custos entre o sistema de desmame precoce segregado (DPS) e de unidade de produção de leitões (UPL) na atividade suinícola. Custos e @gronegócio online, v. 8, n. 1, p. 71-95, 2012.

KUNZ, A. et al. Estação de Tratamento de Dejetos de Suínos (ETDS) como Alternativa na Redução do Impacto Ambiental da Suinocultura. EMBRAPA Comunicado Técnico. Versão Eletrônica, Concórdia-SC. 2006. Disponível em: Acesso em: 03 dez. 2018.

MACHADO, G.; DALLANORA, D. Evolução histórica dos sistemas de produção de suínos. In: Associação Brasileira de Criadores de Suínos. Produção de suínos: teoria e prática. Coordenação Técnica da Integrall Soluções em Produção Animal/ Coordenação editorial. Brasília, DF, 2014. 908p.

MEDEIROS, J. X.; MIELE, M. Sistemas de produção integrado, contratado, cooperado e independente. In: Associação Brasileira de Criadores de Suínos. Produção de suínos: teoria e prática. Coordenação Técnica da Integrall Soluções em Produção Animal/ Coordenação editorial. Brasília, DF, 2014. 908p.

MIELE, M. A Suinocultura no Brasil e as Tecnologias no Âmbito do Plano ABC. EMBRAPA. Comunicado Técnico 549. p. 1–13, 2017.

MIELE, M. et al. Caracterização da suinocultura no Brasil a partir do censo agropecuário 2006 do IBGE. Concórdia: Embrapa Suínos e Aves, 2013.

MIELE, M. Quais são as opções de política pública para enfrentar as sucessivas crises na suinocultura brasileira? Revista de Política Agrícola. Ano XXII, n. 137, v. 1, jan./fev./mar. 2013.

MIELE, M.; WAQUIL, P. D. Estrutura e dinâmica dos contratos na suinocultura de Santa Catarina: um estudo de casos múltiplos. Estudos Econômicos, São Paulo, v. 37, n. 4, p. 817-847, dez. 2007. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-41612007000400005&lng=en&nrm=iso Acesso em 10 Abr. 2020.

MINAYO, M. C. S. (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 32. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

OLIVEIRA, P. A. V. Produção de suínos em sistemas sustentáveis. In: Congresso Brasileiro de Produção Animal Sustentável (ANISUS), 2., 2012, Chapecó, SC. Anais...Chapecó: ANISUS, 2012. Disponível em: https://ainfo .cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/68601/1/0000002116-PArm ando.pdf. Acesso em 24 set 2019.

PALHARES, J. C. P. Licenciamento ambiental na suinocultura: os casos brasileiro e mundial. Concórdia: Embrapa Suínos e Aves, 2008.

PATIAS, J. et al. Uma cadeia produtiva mais integrada? A utilização do hedge dinâmico na oscilação dos preços diários da cadeia produtiva da carne suína. Revista de Economia e Sociologia Rural, Brasília, v. 57, n. 4, p. 519-529, dez. 2019. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20032019000400519&lng=en&nrm=iso Acesso em 10 Abr. 2020. Epub Nov 28, 2019.

PIF PAF/ FRICASA. Comunicado Pif Paf/Fricasa. Disponível em: . Acesso em 07 abr. 2020.

RELATÓRIO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PROTEÍNA ANIMAL (ABPA). Relatório Anual 2018. Disponível em: . Acesso em 24 set 2019.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social. Métodos e técnicas. 4. Ed. São Paulo: Atlas, 2017.

ROPPA, L. Evolução do mercado mundial de suínos nos últimos 30 anos. In: Associação Brasileira de Criadores de Suínos. Produção de suínos: teoria e prática. Coordenação Técnica da Integrall Soluções em Produção Animal/ Coordenação editorial. Brasília, DF, 2014. 908p.

SEGANFREDO, M. A.; SOARES, I. J. S. KLEIN, C. S. Qualidade da água de rios em regiões suinícolas do município de Jaborá, SC. In.: Congresso Brasileiro de Veterinários Especialistas em Suínos, 11, 2003, Goiânia, GO. Anais... Goiânia: ABRAVES, 2003.

SILVA, C. L.; BASSI, N. S. S. Análise dos impactos ambientais no Oeste Catarinense e das tecnologias desenvolvidas pela Embrapa Suínos e Aves. Informe GEPEC, Cascavel, v. 16, n. 1, p. 128-143, 2012.

SUDOSKI, W. Suinocultura ao ar livre no Planalto Norte Catarinense. Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Curso de Agronomia. 1995.

SUINOCULTURA INDUSTRIAL. Master aumenta a produção de suínos em Santa Catarina. 2005. Disponível em: . Acesso em 22 out 2019.

TEIXEIRA, A. P. Trabalho de Conclusão de Curso - Atividades do Estágio Supervisionado Obrigatório – Fomento e sanidade suína. Universidade Federal do Paraná (UFPR). 2014. Disponível em: . Acesso em 30 set 2019.

WASKIEWIC, M. Mapa de localização dos municípios inseridos no território do Planalto Norte Catarinense. 2016. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2016.




DOI: https://doi.org/10.26767/coloquio.v17i3.1748

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.