Vírus e microrganismos entéricos em balneários da bacia hidrográfica do Rio do Sinos-RS

Nicole Mariele Santos Röhnelt, Tatiana Moraes da Silva Heck, Rodrigo Staggemeier, Sabrina Esteves De Matos Almeida, Carlos Augusto do Nascimento

Resumo


O entendimento sobre a fonte de contaminação fecal nos meios hídricos é uma importante ferramenta para o estabelecimento de medidas de preservação ambiental e a continua avaliação dos balneários se faz necessário para assegurar a saúde dos banhistas. Este estudo avaliou a presença de microrganismos entéricos em amostras de água por meio da quantificação de Escherichia coli e de Mastadenovirus de origem animal e humana em balneários da Bacia Hidrográfica do Rio do Sinos. As coletas foram realizadas em quatro períodos, entre 2015 e 2017, totalizando 59 amostras de águas, oriundas de três balneários: Balneário Parque das Laranjeiras, Cascata do Chuvisqueiro e Balneário João Martins Nunes. As amostras foram analisadas pelo método Colilert® e pela reação em cadeia da polimerase quantitativa. Observou-se que a maioria dos períodos analisados se enquadraram na classificação imprópria para banho, de acordo com a resolução brasileira de balneabilidade. Verificou-se uma correlação positiva entre a quantificação de bactéria e a precipitação pluviométrica em dois balneários. As análises revelaram a presença de Human mastadenovirus em 86,4% das amostras, Canine mastadenovirus em 42,4%, Bovine mastadenovirusem 37,3% e Porcine mastadenovirus em 28,8%, com cargas virais que variam de 10 5 a 10 10 cg/L. Os resultados indicaram uma contaminação fecal de origem difusa em todos os balneários. Também foi possível evidenciar que a avaliação de diferentes bioindicadores podem gerar informações mais adequadas acerca da contaminação da água, evidenciando a importância do monitoramento dos recursos hídricos.

Texto completo:

PDF

Referências


OFILL-MAS, S.; ALBINANA-GIMENEZ, N.; CLEMENTE-CASARES, P.; HUNDESA, A.; RODRIGUEZ- MANZANO, J.; ALLARD, A.; CALVO, M.; GIRONES, R. Quantification and stability of human adenoviruses and polyomavirus JCPyV in wastewater matrices. Appliedand Environmental Microbiology, 72(12), 7894-7896. 2006.

CAMPING CASCATA DO CHUVISQUEIRO. Disponível em: Acesso em: 23 ago. 2016.

CONAMA. Resolução no 274, de 29 de novembro de 2000. Disponível em: Acesso em: 22 ago. 2016.

CONAMA. Resolução no 357, de 17 de março de 2005. Disponível em: Acesso em: 22 ago. 2016.

FIGUEIREDO, J. A. S.; DRUMM, E.; RODRIGUES, M. A. S.; SPILKI, F. R.. The Rio dos Sinos watershed: an economic and social space and its interface with environmental status. Brazilian Journal of Biology, 70(4), 1131-1136. 2010.

FONG, T. T.; PHANIKUMAR, M. S.; XAGORARAKI, I.; ROSE, J. B. Quantitative detection of human adenoviruses in wastewater and combined sewer overflows influencing a Michigan river. Applied and Environmental Microbiology, 76(3), 715-723. 2010.

FREITAS, F.; NEIVA, G. S.; CRUZ, E. S.; DA MOTA SANTANA, J.; SILVA, I. D. M. M.;

DE SOUZA MENDONÇA, F. Qualidade microbiológica e fatores ambientais de áreas estuarinas da Reserva Extrativista Marinha Baía do Iguape (Bahia) destinadas ao cultivo de ostras nativas. Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 22, n. 4, 2017.

HARWOOD, V. J.; LEVINE, A. D.; SCOTT, T. M.; CHIVUKULA, V.; LUKASIK, J.; FARRAH, S. R.; ROSE, J. B. Validity of the indicator organism paradigm for pathogen reduction in reclaimed water and public health protection. Applied and Environmental Microbiology, v. 71, n. 6, p. 3163-3170, 2005.

HE, J. W.; JIANG, S. Quantification of enterococci and human adenoviruses in environmental samples by real-time PCR. Appliedand Environmental Microbiology, 71(5), 2250-2255. 2005.

IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Estimativa populacional 2017. Disponível em: Acesso em: 11 set. 2017.

IBGE Cidades (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Estatísticas. Disponível em: Acesso em: 14 set. 2017.

IDEXX. Disponível em: Acesso em: 04 ago. 2016.

LECLERC, H. D. A. A.; MOSSEL, D. A. A.; EDBERG, S. C.; STRUIJK, C. B. Advances in the bacteriology of the coliform group: their suitability as markers of microbial water safety. AnnualReviews in Microbiology, v. 55, n. 1, p. 201-234, 2001.

LOPES, F. A.; SPERLONG, E. V.; MAGALHAES JR, A. P. Indicadores para balneabilidade em águas doces no Brasil. Belo Horizonte, janeiro - junho Vol.11 no1, 2015.

LOPES, F. W.; MAGALHÃES JR, A. P. Avaliação da qualidade das águas para recreação de contato primário na Bacia Do Alto Rio Das Velhas, MG. Hygeia: Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, 6(11). 2010.

LUCHETA, F.; KOCK, N. M.; MARTINS, S. M. A.; SCHMITT, J. L.. Comunidade de liquens corticícolas em um gradiente de urbanização na Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos, no sul do Brasil. Rodriguésia [online]. vol.69, n o .2. pp.323-334. Rio de Janeiro abr./jun. 2018. http://dx.doi.org/10.1590/2175-7860201869205

MORAIS, R. C. S.; SILVA, C. E. Diagnóstico ambiental do balneário Curva São Paulo no rio Poti em Teresina, Piauí. Engenharia Sanitária e Ambiental, 17(1). 2012.

OLIVEIRA, L. A.; HENKES, J. A. Poluição hídrica: poluição industrial no Rio do Sinos-RS. R. gest. sust. ambient.,Florianópolis, v.2, n.1, p. 186-221. abr. /set. 2013.

PINTO, M. C. K.; FRIGO, E. P.; FRIGO, M. F.; DOS SANTOS, L. C.; PANAZZOLO, F.; DE CHRISTO, A. P. Análise de microorganismos patogênicos para avaliação da balneabilidade. Varia scientia agrárias. V. 01, N. 02, P. 105-119, 2010.

PREFEITURA DE TRÊS COROAS. Disponível em: Acesso em: 22 ago. 2016.

RAMES, E.; ROIKO, A.; STRATTON, H.; MACDONALD, J. Technical aspects of using human adenovirus as a viral water quality indicator. Water research, 96, 308-326. 2016.

RODRÍGUEZ, R. A.; POLSTON, P. M.; WU, M. J.; WU, J.; SOBSEY, M. D. An improved infectivity assay combining cell culture with real-time PCR for rapid quantification of human adenoviruses 5541 and semi-quantification of human adenovirus in sewage. Waterresearch, 47(9), 3183-3191. 2013.

SANTOS, N.; ROMANOS, M.; WIGG, M. Introdução à virologia humana. 2o ed. 2008.

SCHNEIDER, I. L. Caracterização espectroscópica dos sedimentos da bacia hidrográfica do rio dos sinos-RS. Programa de Pós-Graduação em Sensoriamento Remoto. Universidade federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), 2012.

STAGGEMEIER, R. ET AL. Animal and human enteric viruses in water and sediment samples from dairy farms. Elsevier. Agricultural Water Management. 152, 135–141, 2015.

STAGGEMEIER, R. ET AL. Enteric viruses and adenovirus diversity in waters from 2016 Olympic Venues. Science of The Total Environment, v. 586, p. 304-312, 2017.

TAQUARA. Disponível em: Acesso em: 22 ago. 2016.

VECCHIA, A. D. et al. Surface water quality in the Sinos River basin, in Southern Brazil: tracking microbiological contamination and correlation with physicochemical parameters. Environ SciPollut Res Int. Jul. 22 (13), 9899-911, 2015.

WOLF, S.; HEWITT, J.; GREENING, G. E. Viral multiplex quantitative PCR assays for tracking sources of fecal contamination. Appl Environ Microbiol. 76, p.1388–1394, 2010.




DOI: https://doi.org/10.26767/coloquio.v17i3.1741

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.