Educação Superior à Distância (EAD) e desenvolvimento Regional: um estudo a partir dos cursos de graduação no Médio Vale do Itajaí

Ana Maria Stolfi, Clóvis Reis

Resumo


O presente artigo disserta sobre a Educação Superior a Distância (EAD) e Desenvolvimento Regional (DR) um estudo a partir dos cursos de graduação oferecidos no Médio Vale do Itajaí/SC. O estudo tem como objetivo geral analisar a relação entre EAD e APL, ponderando suas implicações para o desenvolvimento da região. Com tal fim, busca-se descrever a relação teórica entre ensino superior e arranjo produtivo local; apresentar os cursos e as instituições de EAD com atuação no Médio Vale do Itajaí; e ponderar as implicações do ensino superior oferecido na modalidade a distância para o desenvolvimento regional. Para tanto, emprega diferentes procedimentos metodológicos, os quais incluem a revisão bibliográfica e a pesquisa documental. As referências mais importantes para o levantamento dos dados empíricos são os sites de órgãos governamentais, tais como Ministério da Educação (MEC), Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) o sistema eletrônico de acompanhamento dos processos que regulam a educação superior no Brasil (e-MEC), além das páginas das próprias instituições de ensino superior. Os resultados do estudo indicam que 32 instituições de ensino superior à distância atuam na região na modalidade EAD, as quais mantêm 73 polos de atendimento e ofertam 657 cursos – tais dados se referem ao período de janeiro a maio de 2019. A análise dos resultados do estudo indica que há uma parcial aderência entre os cursos oferecidos e as características da atividade econômica, o que incide sobre as características do desenvolvimento regional. A realização desta pesquisa se soma aos esforços anteriores do Programa de Pós-Graduação de Desenvolvimento Regional (PPGDR), desenvolvidos no âmbito da linha de pesquisa Dinâmicas Socioeconômicas no Território.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO DOS MUNICÍPIOS DO MÉDIO VALE DO ITAJAÍ. Quem Somos. [S.l.], publicado em 2015, atualizado em 2019. Disponível em: https://www.ammvi.org.br/cms/pagina/ver/codMapaItem/65304. Acesso em: 10 abr. 2019.

BLUMENAU. Secretaria de Desenvolvimento. Sistema de Indicadores de Desenvolvimento Municipal Sustentável. Número de empregos na Administração Pública, Defesa e Seguridade Social. Série histórica, [s.d.]. Disponível em: https://indicadores.fecam.org.br/bancoindicadores/variavel/codSecretariaDesenvolvimento/22/codIndicador/308/ano/2019. Acesso em: 20 jun. 2019.

BRANDÃO, C. Territórios com classes sociais, conflitos, decisão e poder. In: ORTEGA, A. C.;

ALMEIDA F., N. A. (org.). Desenvolvimento territorial, segurança alimentar e economia solidária. Campinas: Alínea, 2007. ISBN 85-75161920.

BRASIL. Decreto no 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Regulamenta o artigo 80 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 20 dez. 2005.

BRASIL. Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Árvore do conhecimento. Diretório Grupo de Pesquisas-CNPq, 2018. Disponível em: http://lattes.cnpq.br/web/dgp/arvore-do-conhecimento. Acesso em: 26 maio 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Cadastro Nacional de Cursos e Instituições de Educação Superior Cadastro e-MEC. Ministério da Educação - Sistema e-MEC, 2019. Disponível em: https://emec.mec.gov.br/. Acesso em: 30 abr. 2019.

CAMPOS, R.R.; BITENCOURT.P.F.; SILVA, V.A. da. Políticas Estaduais para APL no Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil. Santa Catarina: as possibilidades de políticas para os arranjos produtivos locais. Rio de Janeiro: E-papers, 2010.

CASSIOLATO, J. E.; LASTRES, H. M. M. O foco em arranjos produtivos e inovativos locais de micro e pequenas empresas. In: LASTRES, H. M. M; CASSIOLATO, J. E; MACIEL, M. L. (org.). Pequena empresa: cooperação e desenvolvimento local. Rio de Janeiro: Dumará, 2003.

CASTANHAR, José Cesar. Arranjos produtivos locais como estratégia de interiorização da atividade econômica, com dinamismo e redução das desigualdades. In: FLEURY, Sonia (org.). Democracia, descentralização e desenvolvimento. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

CENTRO UNIVERSITÁRIO LEONARDO DA VINCI (UNIASSELVI). Institucional - História. Indaial, 2019. Disponível em: https://portal.uniasselvi.com.br /institucional/ historia. Acesso em: 24 abr. 2019.

CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO. Árvore do conhecimento. Diretório Grupo de Pesquisas-CNPq, 2018. Disponível em: http://lattes.cnpq.br/web/dgp/arvore-do-conhecimento. Acesso em: 26 maio 2019.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR. Tabela de Áreas de Conhecimento/Avaliação. Fundação Capes, 2017. Disponível em: https://www.capes.gov.br/pt/avaliacao/instrumentos-de-apoio/tabela-de-areas-do-conhecimento-avaliacao. Acesso em: 6 maio 2019.

COLÓQUIO – Revista do Desenvolvimento Regional - Faccat - Taquara/RS - v. 17, n. 3, jul./set. 2020 19CORRÊA, Roberto Lobato. Espaço, um conceito-chave da geografia. Geografia: Conceitos e Temas. 2. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000.

COSTA, Eduardo J. M. da. Arranjos produtivos locais, políticas públicas e desenvolvimento regional. Brasília: Mais Gráfica Ed., 2010. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Santa Catarina. Cidades 2018. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sc/panorama. Acesso em: 16 abr. 2019.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS ESTATÍSTICAS ANÍSIO TEIXEIRA. Educação a Distância. [S.d.]. Disponível em: http://inep.gov.br/ead. Acesso em: 27 set. 2019.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS ESTATÍSTICAS ANÍSIO TEIXEIRA. Classificação Internacional Normalizada da Educação. Áreas de Formação e Treinamento (CINE-F 2013). Descrição das Áreas Detalhadas. Brasília, outubro 2017. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/documents/ 186968/484154/ Classifica%C3%A7%C3%A3o +Internacional+ Normalizada+da+ Educa% C3% A7%C3%A3o / 5692cd4e-e222-47ad-b3ad-8b6c5f7623ea? version=1.0. Acesso em: 16 maio 2019.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS ESTATÍSTICAS ANÍSIO TEIXEIRA. Educação Superior. Índice Geral de Cursos (IGC). Atualizado em 24 julho 2019. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/web/guest/indice-geral-de-cursos-igc-. Acesso em: 16 maio 2019.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS ESTATÍSTICAS ANÍSIO TEIXEIRA. Censo da Educação Superior 2018: notas estatísticas. Brasília, 2019. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/documentos/2019/censo_da_educacao_superior_2018-notas_estatisticas.pdf. Acesso em: 04 dezembro 2019.

MARINI, Marcos Junior; SILVA, Christian L. da. Desenvolvimento regional e arranjos produtivos locais: uma abordagem sob a ótica interdisciplinar. Revista Brasileira de Gestão de Desenvolvimento Regional, São Paulo, v. 8, n. 2, p. 107-129, maio-ago. 2012.

MATTEDI, Marcos Antônio. Pensando com o desenvolvimento regional: subsídios para um programa forte em desenvolvimento regional. Revista Brasileira de Desenvolvimento Regional, Blumenau, 2 (2), p. 59-105, primavera de 2015.

MOORE, Michael J.; KEARSLEY, Greg. Educação a distância: uma visão integrada. São Paulo: Cengage Learning, 2008.

OBSERVATÓRIO BRASILEIRO APL. GTP sobre APL. [S.I] 2019. Disponível em: http://www.observatorioapl.gov.br/sobre/ Acesso em: 15 abr. 2019. SOUZA, Cristiane M. de Moraes; THEIS, Ivo Marcos. Desenvolvimento regional: abordagens contemporâneas. Blumenau: Edifurb, 2009.

THEIS, Ivo Marcos. O que é desenvolvimento regional? Uma aproximação a partir da realidade brasileira Universidade Regional de Blumenau – Blumenau – Santa Catarina – Brasil. Redes (Santa Cruz do Sul. Online), v. 24, n. 3, p.334-360, setembro-dezembro, 2019. ISSN 1982-6745.354

UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU. Nossa história. Como tudo começou. Blumenau, Furb, 2018. Disponível em:http://www.furb.br/web/1317/institucional/a-furb/nossa-historia.Acesso em: 24 abr. 2019.




DOI: https://doi.org/10.26767/coloquio.v17i3.1739

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.