A Study on the dimensions of sustainable urban development in the perception of the inhabitants of Imperatriz-MA

Marcela Barbosa de Moraes, Raimundo Amorim Duarte Neto, Glauber de Souza Sanglard Silva, Saulo Cardoso, Maria Antonia Fernandes Nabarro de Oliveira Benati

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar as dimensões do desenvolvimento urbano sustentável na percepção dos habitantes de Imperatriz – Maranhão. Para tanto, a pesquisa valeu-se da abordagem quantitativa e descritiva por meio de uma amostra probabilística, considerando 4,84% de erro amostral e 95% de nível de confiança. O procedimento de coleta de dados se deu por meio de um questionário fechado com base nos conceitos de Barbieri e Lage (2001). O procedimento de análise de dados foi dividido em três etapas: estatística descritiva, KMO e análise fatorial. Por fim, pode-se concluir que a cidade de Imperatriz-MA não está dentro dos princípios de desenvolvimento urbano sustentável pela opinião dos habitantes. Apesar desta conclusão e com base nos dados coletados, é importante evidenciar que a população não é participativa no processo de construção de uma cidade melhor e mais sustentável. Deste modo, para a criação de uma cidade mais sustentável é preciso a participação não só do poder público, mas também da população em geral.

Texto completo:

PDF

Referências


ANGELIDOU, M.; PSALTOGLOY, A.; KOMNINOS, N.; KAKDERI, C.; TSARCHOPOULOS, P.; PANORI, A. Enhancing sustainable urban development through smart city applications. Journal of Science and Technology Policy Management, v. 9, n. 2, p. 146-169, 2018.

ATKINSON, A. Cities after oil—1: ‘Sustainable development’ and energy futures. City, v. 11, n. 2, p. 201-213, 2007.

BARBIERI, J. C.; LAGE, A. C. Conceitos, problemas e pontos de partida para políticas de desenvolvimento sustentável. ENANPAD–ENCONTRO NACIONAL DA ANPAD, XXV Encontro, 2001.

BIBRI, S. E.; KROGSTIE, J. Smart sustainable cities of the future: An extensive interdisciplinary literature review. Sustainable Cities and Society, v. 31, p. 183-212, 2017.

BRASIL. Lei Nº 12.587, de 03 de janeiro de 2012. Institui as Diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana e dá outras providências. Brasília, 2012.

BRUNDTLAND, G. H. Report of the World Commission on Environment and Development: our common future Oslo. United Nations General Assembly, 1987

CASTELLS, M. Urban sustainability in the information age. City, v. 4, n. 1, p. 118-122, 2000.

CERVO, A. L.; BERVIAN, A. P. Silva da. R. Metodologia científica. 6. ed. 2007.

CHOURABI, H.; NAN, T.; WALKER, S.; GIL-GARCÍA, J. R.; MELLOULI, S.; NAHON, K.; PARDO, T. A.; SCHOLL, H. J. Understanding smart cities: An integrative framework. In: 2012 45th Hawaii international conference on system sciences. IEEE, 2012. p. 2289-2297.

FLINT, J.; RACO, M. (Ed.). The future of sustainable cities: Critical reflections. Policy Press, 2012.

GUZMÁN, P. C.; RODERS, AR Pereira; COLENBRANDER, B. J. F. Measuring links between cultural heritage management and sustainable urban development: An overview of global monitoring tools. Cities, v. 60, p. 192-201, 2017.

HAIR, J. F.; BLACK, W. C.; BABIN, B. J.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R. L. Análise multivariada de dados. São Paulo: Bookman, 2009.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2010, Disponível em: < https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/pib-munic/tabelas> Acesso em: 13 jun. 2017.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produto interno bruto a preços correntes, impostos, líquidos de subsídios, sobre produtos a preços correntes e valor adicionado bruto a preços correntes total e por atividade econômica, e respectivas participações - Referência 2010 Disponível em: Acesso em: 04 fev. 2019.

IMPERATRIZ. Lei Ordinária Nº. 1.068, de 5 de junho de 2003. Disciplina a arborização urbana no Município de Imperatriz e dá outras providências. Imperatriz, 2003.

IMPERATRIZ. Lei Ordinária Nº. 1.555, de 2014. Institui a Política de Mobilidade Urbana no Município de Imperatriz e dá outras providências. Imperatriz, 2014.

JENKS, M.; DEMPSEY, N. Future forms and design for sustainable cities. Routledge, 2005.

LUCK, G. W. A review of the relationships between human population density and biodiversity. Biological Reviews, v. 82, n. 4, p. 607-645, 2007.

PREFEITURA DE IMPERATRIZ. Sobre Imperatriz. Disponível em: < http://www.imperatriz.ma.gov.br/portal/imperatriz/a-cidade.html> Acesso: 10 mar. 2019.

PNUD BRASIL. Atlas do Desenvolvimento Humano em Imperatriz-MA. Disponível em: < http://www.atlasbrasil.org.br/2013/pt/perfil_m/imperatriz_ma> Acesso em: 15 mar. 2019.

RUNHAAR, H.; DRIESSEN, P. P. J.; SOER, L. Sustainable urban development and the challenge of policy integration: an assessment of planning tools for integrating spatial and environmental planning in the Netherlands. Environment and Planning B: Planning and Design, v. 36, n. 3, p. 417-431, 2009.

SPIEGEL, M. Estatística. Coleção Schaum. Ed. McGraw-Hill do Brasil Ltda, v. 13, p. 401, 1978.

UNITED NATIONS POPULATION FUND. Urbanization 2015, Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2017.

UNITED NATIONS. Transforming our world: The 2030 agenda for sustainable development. Resolution adopted by the General Assembly, 2015. Disponível em: . Acesso em: 10 out. 2018.

WHILE, A.; JONAS, A. E. G.; GIBBS, D. From sustainable development to carbon control: eco‐state restructuring and the politics of urban and regional development. Transactions of the Institute of British Geographers, v. 35, n. 1, p. 76-93, 2010.

YIGITCANLAR, T.; FABIAN, L.; COIACETTO, E. Challenges to urban transport sustainability and smart transport in a tourist city: the Gold Coast. The Open Transportation Journal, v. 2, p. 29-46, 2008.

YIGITCANLAR, T. (Ed.). Rethinking sustainable development: Urban management, engineering, and design. IGI Global, 2010.

YIGITCANLAR, T.; TERIMAN, S. Rethinking sustainable urban development: towards an integrated planning and development process. International Journal of Environmental Science and Technology, v. 12, n. 1, p. 341-352, 2015.

ZHAO, P. Sustainable urban expansion and transportation in a growing megacity: Consequences of urban sprawl for mobility on the urban fringe of Beijing. Habitat International, v. 34, n. 2, p. 236-243, 2010.




DOI: https://doi.org/10.26767/coloquio.v17i1.1583

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.