A INFORMÁTICA EDUCATIVA E OS DESAFIOS DA DOCÊNCIA: RELATO REFLEXIVO ACERCA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Sandro Olímpio Silva Vasconcelos, Emmanuel Silva Marinho

Resumo


A formação docente abrange os aspectos técnico e experiencial tendo como consequente a formação de um habitus particular e cultural a partir das relações estabelecidas no ambiente de trabalho. A construção dos saberes docentes envolve memórias, instrução e experiência, constituintes da cultura escolar e a convivência com os elementos cotidianos da prática e suas rotinas como importante elemento formador do professor, Tardif (2002). A presença da tecnologia é, certamente, um componente desafiador para a escola que ainda caminha lentamente para incluir computadores, internet e programas em novas metodologias de trabalho na busca da autonomia e autogestão do aluno. O Estágio Supervisionado é um momento formativo por excelência na proximidade em que coloca o formando e o ambiente de trabalho e tudo o que isso implica, especialmente no tocante a confrontar o que se aprende na universidade e a prática docente real na escola pública ou particular. Esse trabalho busca analisar essa experiência formativa a partir da observação das práticas docentes e sua cultura tendo como pano de fundo a inclusão do componente digital como ferramenta de trabalho e desafio metodológico na perspectiva da construção de uma intervenção formativa. Escolheu-se a pesquisa-ação como metodologia de pesquisa dentro de uma abordagem qualitativa exploratória, onde é possível observar o fenômeno e intervir colaborativamente para o desenvolvimento coletivo, articulando-se com a experiência de Estágio Supervisionado por tratar da formação da autonomia docente no ambiente educacional, considerando, nesse caso, a autonomia como um processo em que o docente desenvolve a consciência de si como sujeito da práxis. A partir da observação e entrevistas observou-se essa lacuna na formação docente e realizou-se uma intervenção com ferramenta digital para discutir o interesse pelo uso da informática educativa. Concluiu-se que apesar da carência formativa em tecnologias digitais apenas o conhecimento das ferramentas não é suficiente para uma escola integra-las às relações de ensino e aprendizagem. O desenvolvimento de uma cultura escolar é necessário para que aconteçam reais mudanças no cotidiano das relações de aprendizagem. A mudança de paradigmas na educação não passa apenas pelo saber empírico e pelo conhecimento teórico, mas pelas crenças que transformam esses saberes em práticas cotidianas, mesmo em situações cujo acesso às tecnologias seja desfavorável. Discutir essas questões em momento onde o estágio docente ganha relevância diante da emergência das residências pedagógicas dentro do programa nacional de formação de professores é importante para perceber essa relação em contexto de aprendizagem no campo de trabalho.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

________________________________________________

Redin - Revista Educacional Interdisciplinar

ISSN: 2594-4576