DO ENSINO SUPERIOR AO MERCADO DE TRABALHO E INÍCIO DE CARREIRA: A CONTRIBUIÇÃO DA PSICOLOGIA

Gabriela Luana Hennig Bordignon

Resumo


Esse trabalho apresenta uma pesquisa bibliográfica acerca dos principais desafios encontrados pelos formandos no momento da transição entre ensino superior e mercado de trabalho. Nesse contexto, também busca-se realizar uma revisão teórica acerca do ensino superior no Brasil; verificar as principais competências e habilidades, necessárias para uma boa colocação no mercado de trabalho; compreender o significado de carreira na atualidade e analisar como a psicologia pode contribuir neste processo. Constatou-se que o ensino superior no Brasil se encontra em constante evolução desde a sua criação, deixando de ser privilégio de uma minoria detentora do poder e passando a ser um direito de cidadania para um número cada vez mais expressivo de pessoas. Esse fato, atrelado à atual crise econômica vivenciada no país, vem alterando significativamente o mundo do trabalho, fazendo com que uma boa colocação no mercado não dependa somente do diploma conquistado, mas também de uma série de competências e habilidades que o indivíduo precisa desenvolver. Para tanto, é de extrema importância um serviço de psicologia para auxiliar os estudantes nessa transição entre ensino superior e mercado de trabalho, bem como no planejamento e gestão de suas próprias carreiras.

 

Palavras-chaves: Psicologia. Ensino Superior. Mercado de Trabalho. Carreira.


Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, M. S. R. O. (2019). Entre expectativa e realidade: uma análise da transição e adaptação (para) e no ensino superior, a partir do olhar de alunos ingressos no instituto federal do Amapá, Campus Macapá. Revista Diálogos e Perspectivas em Educação, 1 (1), 67-79.

Ascensão, C. S. C. (2009) Práticas de gestão de carreira, acolhimento e integração e empenhamento organizacional: estudo de caso no sector de pós-venda automóvel.Dissertação de mestrado (Mestrado em Psicologia). Programa de Pós-Graduação em Psicologia. Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Lisboa.

Assis, A. D.de., & Oliveira, A. G. B.de. (2010) Vida universitária e Saúde Mental: Atendimento às demandas de saúde e Saúde Mental de estudantes de uma universidade brasileira. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, 2(4-5), 163-182.

Bardagi, M., Lassance, M. C. P., Paradiso, Â. C., & Menezes, I. A. de. (2006). Escolha profissional e inserção no mercado de trabalho: percepções de estudantes formandos. Psicologia escolar e educacional, 10(1), 69-82.

Bartholo, D. A. R.; (2019). Instituições de Ensino Superior no Brasil: pressupostos constitutivos da realidade contemporânea. Revista de Estudos Aplicados em Educação, 4(7), 116-132.

Bisinoto, C., & Marinho-Araújo, C. M. (2011). Psicologia escolar na educação superior: atuação no distrito federal. Psicologia em Estudo, 16(1), 111-122.

Bisinoto, C., & Marinho-Araujo, C. (2015). Psicologia Escolar na Educação Superior: panorama da atuação no Brasil. Arquivos Brasileiros de Psicologia, 67(2), 33-46.

Brasil, V., Felipe, C., Nora, M. M., & Favretto, R. (2012). Orientação profissional e planejamento de carreira para universitários. Cadernos Acadêmicos, 4(1), 117-131.

Campos, B. P. (1993). Consulta psicológica nas transições desenvolvimentais. Cadernos de consulta psicológica, 9, 5-9.

Costa, L.V., Chiuzi, R. M., & Dutra, J. S. (2013). Relações entre percepção de sucesso na carreira e comprometimento organizacional: um estudo com professores do ensino superior de administração. Revista de Administração da UNIMEP, 11(2), 103-118.

Cristo, F. et all. (2019). O ensino superior e suas exigências: consequências na saúde mental dos graduandos. Revista Trab.En(Cena), 4(2), 485-505.

Dutra, J. S.; Veloso, E. F. R.; Fischer, A. L.; Nakata, L. E. (2009). As carreiras inteligentes e sua percepção pelo clima organizacional. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 10 (1), 55-70.

Farjo, R. C. (2019). Os significados do propósito na carreira contemporânea. Dissertação de Mestrado, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP), São Paulo, SP, Brasil. Recuperado em 06 de junho de 2020 de https://tede2.pucsp.br/bitstream/handle/22424/2/Raissa%20Castilho%20Farjo.pdf

Fernandes, F. S., & Gonçalves, C. (2012) Transformações no mundo do trabalho e seus significados: como orientar em tempos de crise? In: Mobilidade, formación, orientación: Actas do XIII Congreso Internacional de Galicia e Norte de Portugal de Formación para o Traballo. Portugal. Recuperado em 06 de junho de 2020 de https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/63491/2/86774.pdf

Florio, L. C. & Brandão, T.S. (2019). Acesso e permanência de alunos de origem popular: um estudo de caso. (Trabalho de conclusão de curso). Universidade Federal Rural do Semiárido – UFERSA. Mossoró. RN. Brasil.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. Editora Atlas SA.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. (2018). Censo da Educação Superior 2018. Notas Estatísticas.

Lima, P., & Coimbra, J. L. (2004). Narrativas de investimento vocacional contributo para a revisão das práticas de orientação vocacional no contexto escolar. In: Necesidades de formación e deseño curricular por competencias: Actas do V Congreso Internacional de Galicia e Norte de Portugal de formación para o traballo.Portugal. Recuperado em 06 de junho de 2020 de https://core.ac.uk/download/pdf/143389023.pdf

Lima, R., & Fraga, S. (2010). Intervir para ajudar e ajudar para construir: Um modelo de intervenção psicológica com estudantes do ensino superior. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 11(2), 269-277.

Magalhães, M. De. O. (2008). Generatividade e vínculos com a carreira e a organização: problematizando as bases do comprometimento organizacional. Revista brasileira de orientação profissional, 9(2), 67-80.

Malschitzky, N.(2012). A importância da orientação de carreira na empregabilidade. Revista da FAE, 15(1), 150-165.

Martínez, A. M. (2010). O que pode fazer o psicólogo na escola? Em aberto, 23(83), 39-56.

Martins, A. C. P. (2002). Ensino superior no Brasil: da descoberta aos dias atuais. Acta Cirúrgica Brasileira, 17 (Suplemento 3), 04-06.

Mattei, T. F., & Cunha, M. S. (2020). A crise econômica brasileira e seus efeitos sobre o emprego formal: uma decomposição shift-share estocástica. Revista Orbis Latina, 10(1), 116-138.

Mérida, S. M. A., Hasenclever, L., & Carvalho, M. M. (2019). Reflexos das inovações tecnológicas sobre o emprego: uma revisão da literatura. Brazilian Journal of Development, 5(11), 26735-26761.

Neto, P. B. (2019). A Indústria 4.0 e o impacto no trabalho: Uma revisão de literatura e reflexão para o futuro. (Dissertação de Mestrado). Universidade do Porto. Portugal.

Neves, C. E. B. (2002). A estrutura e o funcionamento do ensino superior no Brasil. In:Soares, M. S. A. (Org.) Educação superior no Brasil. Brasília: Capes/Unesco.

Oliveira, M. C. (2007). Desenvolvimento e maturidade de carreira de estudantes universitários: avalidação de instrumento de medida. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil.

Oliven, A. C. (2002). Histórico da Educação Superior no Brasil. In: Soares, M. S. (Org.). Educação Superior no Brasil. Brasília: CAPES/Unesco.

Ourique, L. R. (2010). Autoeficácia e personalidade no planejamento de carreira de universitários. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Penha, J. R. L., Oliveira, C. C., & Mendes, A. V. S. (2020). Saúde mental do estudante universitário: revisão integrativa. Journal Health NPEPS, 5(1), 369-395.

Pires, A., & Wargas, B. M. S. (2019). Acesso ao ensino superior brasileiro: perfil dos ingressantes do programa de inclusão da Unicamp. Revista Espaço Pedagógico, 26 (1), 158-182.

Raupp, M. F., & Beuren, I. M. (2004). Metodologia de Pesquisa Aplicável as Ciências Sociais. In: Beuren, I. M. Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. (2.ed. pp. 76-97). São Paulo: Atlas.

Santos, A. S., Souto, D. C., Silveira, K. S., Perrone, C. M., & Dias, A. C. G. (2015). Atuação do Psicólogo Escolar e Educacional no ensino superior: reflexões sobre práticas. Psicologia Escolar e Educacional, 19(3), 515-524.

Santos, G. L. (2019). Educação superior ainda que tardia: sentidos da formação e significados do diploma entre adultos com antecedente escolar na EJA. (Tese de Doutorado). Universidade Federal de Minas Gerais, Minas Gerais, Brasil.

Sartori, E., & Garcia, C. H. (2019). As competências transversais no mercado de trabalho e nas instituições de ensino superior sob a ótica dos alunos. Revista de Estudos e Reflexões Tecnológicas da Fatec- Reverte, 17(17), 5-14.

Schwartzman, S (2006). A universidade primeira do Brasil: entre intelligentsia, padrão internacional e inclusão social. Estudos Avançados, 20(56), 161-189.

Serpa, M. N. F.; Santos, A. A. A. (2001). Atuação no ensino superior: um novo campo para o psicólogo escolar. Psicologia Escolar e Educacional, 5(1), 27-35.

Severino, A. J. (2007). Metodologia do trabalho científico. 23. ed. São Paulo: Cortez.

Siqueira, M. M. M. (2014). Novas medidas do comportamento organizacional: ferramentas de diagnóstico e de gestão. Artmed Editora.

Sousa, E.; Gonçalves, C. (2016). Satisfação com a Formação Superior e Transição para o Trabalho. Revista de Psicología, 25(1), 01-20.

Teixeira A. (1969). O ensino superior no Brasil – análise e interpretação de sua evolução até 1969. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas.

Teixeira, M. A. P. (2002). A experiência de transição entre a universidade e o mercado de trabalho na adultez jovem. (Tese de Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Psicologia. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Teixeira, M. A. P.; Gomes, W. B. (2004). Estou me formando e agora?: Reflexões e perspectivas de jovens formandos universitários. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 5(1), 47-62.

Tolfo, S. da. R. (2002). A carreira profissional e seus movimentos: revendo conceitos e formas de gestão em tempos de mudanças. Revista Psicologia Organizações e Trabalho, 2(2), 39-63.

Veriguine, N. R.; Krawulski, E.; D’ávila, G. T.; Soares, D. H. P. (2010) Da formação superior ao mercado de trabalho: percepções de alunos sobre a disciplina orientação e planejamento de carreira em uma universidade federal. Revista Electrónica de Investigación y Docencia, 4, 76-96.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.