O HISTORIADOR FORA DA SALA DE AULA- REFLEXÕES SOBRE UMA PRÁTICA NA GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA

Sandra Cristina Donner

Resumo


O presente texto pretende apresentar as discussões sobre História Pública, seu desdobramento na carreira dos historiadores e historiadoras e propostas de atuação fora do ambiente acadêmico e escolar. Para trazer esse debate para licenciatura em História da FACCAT, foram implementadas dois componentes curriculares de Tópicos Especiais em História do Rio Grande do Sul, em que foram discutidos os produtos do historiador e os espaços de atuação do historiador. A apresentação das ações e debates que ocorreram durante essa prática docente e os resultados das atividades práticas em aula são detalhadas neste artigo. Essas atividades resultaram em projetos de ação promovendo documentários, jogos de tabuleiro, revistas em quadrinhos, exposições e roteiros turísticos e também projetos de fomento a serem apresentados nos editais culturais da região.

Texto completo:

PDF

Referências


BELLO, Robson Scarassati. História e Videogames: como os jogos eletrônicos

podem ser pensados por historiadores. 2017. Disponível em:

https://www.cafehistoria.com.br/historia-e-videogames. Acesso em 12 out. 2020.

CERTEAU, Michel de. A Escrita da História. Rio de Janeiro, Editora Forense

Universitária, 2002.

CARDOSO, Ciro Flamarion. Como elaborar um projeto de Pesquisa. Revista

Trabalho Necessário, v. 15, n. 28, [s.p], 2017. Disponível em:

https://doi.org/10.22409/tn.15i28.p10563. Acesso em: 18 out. 2020.

FERREIRA, Marieta de Moraes; OLIVEIRA, Margarida Maria Dias de. Dicionário de

Ensino de História. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2019.

HARTOG, François. Tempo e Patrimônio. Vária História, Belo Horizonte, v. 22, n. 36;

p. 261-273, jul./dez. 2006.

PROST, Antoine. Doze lições sobre a História. Belo Horizonte: Editora Autêntica,

SANTHIAGO, Ricardo. Duas Palavras, Muitos Significados-alguns comentários sobre

a história pública no Brasil. In: MAUAD, Ana Maria; ALMEIDA, Juniele Rabêlo de

Almeida; SANTHIAGO, Ricardo. História Pública no Brasil - sentidos e itinerários.

São Paulo: Letra e Voz, 2016.

______. Pode-se falar de uma história pública brasileira? In: MAUAD, Ana Maria;

SANTHIAGO, Ricardo; BORGES, VIviane Trindade. Que história pública

queremos? São Paulo: Letra e Voz, 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.