A COMPREENSÃO DE ESTUDANTES DE PEDAGOGIA SOBRE A SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Lorita Aparecida Veloso Galle, Mônica da Silva Gallon, Fabiana Pauletti

Resumo


A escola como instituição formadora de opinião assume papel de destaque no desenvolvimento de ações que promovam a cultura da sustentabilidade ambiental de modo transversal. Sendo assim, o estímulo à crítica e reflexão sobre os problemas ambientais presentes na atualidade necessitam estar presentes na formação de professores independente do seu campo de conhecimento. Este estudo pretende responder a seguinte pergunta: Como a sustentabilidade ambiental é compreendida por estudantes de um curso de Pedagogia? Como objetivo geral, pretende-se compreender as concepções relacionadas à sustentabilidade ambiental de um grupo de estudantes de Pedagogia. Trata-se de uma pesquisa com abordagem qualitativa do tipo exploratória. Participaram da investigação 22 estudantes do curso de Pedagogia, de uma instituição particular de ensino superior, localizada no interior do Rio Grande do Sul. Os dados foram coletados por meio de um questionário e, tratados via Análise Textual Discursiva. A partir da análise, organizaram-se as seguintes categorias: (a) concepções referentes à sustentabilidade ambiental; (b) vivências com foco na sustentabilidade ambiental e, (c) perspectivas de abordagens da sustentabilidade ambiental em sala de aula. Os resultados demonstram o predomínio de uma visão conservadora quanto às concepções estabelecidas e a relação com as práticas apontadas. As reflexões reforçam a ideia que temáticas vinculadas a Educação Ambiental permeiem a formação de professores, independente do campo de atuação, como modo de implementar ações que encaminhem para a superação da visão conservadora, com o desenvolvimento da criticidade.

Texto completo:

PDF

Referências


AGENDA 21 BRASILEIRA: ações prioritárias / comissão de políticas de desenvolvimento sustentável e da agenda 21 nacional. 2. ed. Brasília, 2004. Disponível em: Acesso em: 27 ago. 2019.

BARBOSA, Gláucia Soares. Educação ambiental e formação de professores de uma escola rural do entorno do Parque Estadual da Serra do Brigadeiro - MG. 2015. 342 p. Tese (Doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, SP. Disponível em: . Acesso em: 27 ago. 2019.

BARBOSA, Gláucia Soares; SOUZA, Jessica Prudencio Trujillo; NOGUEIRA, Marilac Luzia Sousa. Educação Ambiental, Escola e Sociedade: um curso de formação de professores. AmbientalMente sustentable: Revista científica galego-lusófona de educación ambiental, n. 20, p. 733-742, 2015.

BEHREND, Dalielli Monteiro; COUSIN, Cláudia da Silva; GALIAZZI, Maria do Carmo. Base Nacional Comum Curricular: o que se mostra de referência à Educação Ambiental? Ambiente & Educação, v. 23, n. 2, p. 74-89, 2018.

BRASIL. Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, 1996. Disponível em: . Acesso em: 25 ago. 2019.

______. Lei n. 9795 - 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental. Política Nacional de Educação Ambiental. Brasília, 1999. Disponível em: . Acesso em: 25 ago. 2019.

______. Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Fundamental. Brasília – DF. 1988. Disponível em . Acesso em 20 ago. 2019.

______. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Ambiental. Brasília – DF. 2012. Disponível em: < http://conferenciainfanto.mec.gov.br/images/conteudo/iv-cnijma/diretrizes.pdf>. Acesso em: 30 ago. 2019.

______. Base Nacional Comum Curricular: educar é a base. Brasília: MEC/CONSED/UNDIME, 2018. Disponível em: . Acesso em: 28 ago. 2019.

CARVALHO, Elisabeth Chistmann. Educação ambiental e a formação de professores. Educar, n. 18, p. 201-218, 2001.

COMISSÃO MUNDIAL SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO (CMMAD). Nosso futuro comum. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1988

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO (CNUMAD). Agenda 21. Brasília: Senado Federal, 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 36. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2007.

______. Educação e mudança. 36. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2014a.

______. Pedagogia do oprimido. 57. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014b.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GUIMARÃES, Mauro. Educação Ambiental. Duque de Caxias: Unigranrio Editora, 2000.

LAYRARGUES, Philippe Pomier et al. Diagnósticos de percepção ambiental: o que pensam os alunos da Faculdade UnB Planaltina sobre gestão ambiental e sustentabilidade universitária. In: CATALÃO, V. M. L.; LAYRARGUES, P.P.; ZANETI, I. C. B. B. (Orgs.). Universidade para o século XXI: educação e gestão ambiental na Universidade de Brasília. Brasília: Cidade Gráfica e Editora, 2011. p. 87-98.

LIPAI, Eneida Maekawa; LAYRARGUES, Philippe Pomier; PEDRO, Viviane Vazzi. Educação ambiental na escola: tá na lei. In: MELO, Soraia Silva; TRAJBER, Raquel (Orgs.). Vamos cuidar do Brasil: conceitos e práticas em educação ambiental na escola. Brasília: Ministério da Educação, Coordenação Geral de Educação Ambiental: Ministério do Meio Ambiente, Departamento de Educação Ambiental: UNESCO, 2007. p. 23-31.

MORAES, Roque; GALIAZZI, Maria do Carmo. Análise Textual Discursiva. 2. ed. Ijuí: Unijuí, 2013.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio da pesquisa social. In: MINAYO, Maria Cecília de Souza (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 32. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2012. p. 9-29.

NASCIMENTO, Elimar Pinheiro. Trajetória da sustentabilidade: do ambiental ao social, do social ao econômico. Estudos Avançados, v. 26, n. 74, p. 51-64, 2012.

OLIVEIRA, Haydée Torres. Educação ambiental – ser ou não ser uma disciplina: essa é a principal questão?! In: MELO, Soraia Silva; TRAJBER, Raquel (Orgs.). Vamos cuidar do Brasil: conceitos e práticas em educação ambiental na escola. Brasília: Ministério da Educação, Coordenação Geral de Educação Ambiental: Ministério do Meio Ambiente, Departamento de Educação Ambiental: UNESCO, 2007. p.103-112.

SACHS, Ignacy. Estratégias de transição para o século XXI: desenvolvimento e meio ambiente. São Paulo: Studio Nobel, Fundação do Desenvolvimento Administrativo, 1993.

SORRENTINO, Marcos; TRAJBER, Raquel. Políticas de Educação Ambiental do Órgão Gestor. In: MELO, Soraia Silva; TRAJBER, Raquel (Orgs.). Vamos cuidar do Brasil: conceitos e práticas em Educação Ambiental na escola. Brasília: Ministério da Educação, Coordenação Geral de Educação Ambiental: Ministério do Meio Ambiente, Departamento de Educação Ambiental: UNESCO, 2007. p.13-21.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.