CONHECENDO A ÁFRICA: UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO DA HISTÓRIA AFRICANA E AFRO-BRASILEIRA NO CURSO DE LICENCIATURA EM HISTÓRIA

Élen Waschburger

Resumo


Tendo presente a criação e implementação da lei 10.639/2003, que regulamenta a obrigatoriedade do ensino de história da África e da cultura africana e afro-brasileira, este artigo tem origem numa experiência ao ministrar o componente curricular História Africana e Afro-Brasileira no Curso de Licenciatura em História nas Faculdades Integradas de Taquara/RS, em 2020/1. Neste sentido, o objetivo deste estudo é debater sobre o ensino da História da África em consonância com ações efetivas de melhoria na formação de professores de História. Sendo assim, através de um breve relato sobre a construção do planejamento e a aproximação com a temática, pontua-se uma experiência elencando desafios enfrentados em um período de pandemia de Coronavírus. Acredita-se que, desta forma, é possível trilhar caminhos para desconstrução de um imaginário carregado de negatividade, e na elaboração de um conhecimento mais apropriado/abrangente acerca da história do continente africano, nos seus diversos países, além de contribuir para a construção de relações étnico-raciais em prol da diversidade e da promoção da igualdade racial na prática docente em História, seja no Ensino Fundamental, Médio ou Superior.


Referências


ADICHIE, Chimamanda Ngozi. O perigo de uma história única. Trad. Júlia Romeu. São Paulo, Companhia das Letras, 2019.

BARBOSA, Muryatan Santana. A África por ela mesma: a perspectiva africana na História Geral da África (UNESCO). 2012. 222 p. Tese (Doutorado em História) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2012.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Ensino de História: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2008.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Parâmetros Curriculares Nacional – Ensino Médio, Vol. 1. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria da Educação Média e Tecnológica (1999).

______. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana. Brasília, DF, Outubro de 2014.

______. Lei 10.639/2003, de 09 de janeiro de 2003. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira", e dá outras providências. 2003. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2020

CANDIDO, Antonio. O direito à literatura. In: CANDIDO, Antonio. Vários escritos. 4. ed. São Paulo: Duas cidades; Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2004. p. 169-191.

CARDOSO, Cláudia Pons. Amefricanizando o feminismo: o pensamento de Lélia Gonzalez. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 22, n. 3, p. 965-986, set./dez. 2014. Disponível em: . Acesso em: 12 jun. 2020.

DEMO, Pedro. Pesquisa princípios científicos e educativos. São Paulo: Cortez Autores Associados, 1990.

EBC na Rede. Nova África – Nelson Mandela. 2017. (25m22s). Disponível em: . Acesso em: 28 jun. 2020.

FELDHAUS, Kelin Cristiani; ROSA, Geraldo Antônio da. Pedagogia universitária: enfoques frente à formação de professores do ensino superior. Linhas, Florianópolis, v. 17, n. 34, p. 242-265, maio/ago. 2016.

FONSECA, Selva Guimarães. Didática e prática de ensino de história: Experiências, reflexões e aprendizados. Campinas, SP: Papirus, 2003. (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).

GOMES, Nilma Lino. O Movimento Negro educador: saberes construídos nas lutas por emancipação. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

GINZBURG, Carlo. Entrevista. In: PALLARES-BURKE, Maria Lúcia Garcia. As muitas faces da história. Nove entrevistas. São Paulo: Unesp, 2000. p. 269-306.

HOOKS, Bell [Gloria Jean Watkins]. Mulheres negras: moldando a teoria feminista. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 16, p. 193-210, jan./abr. 2015.

KILOMBA, Grada. Memórias da Plantação - Episódios de racismo cotidiano. Trad. Jess Oliveira. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

KHAPOYA, Vincent B. A Experiência africana. 2. ed. Trad. Noéli Correia de M. Sobrinho. Petrópolis, RJ: Vozes, 2016.

LE GOFF, Jacques. Documento/Monumento. In: LE GOFF, Jacques. História e Memória. Campinas-SP: Editora da Unicamp, 2003. p. 525-539.

LIMA, Mônica. A África tem uma história. Afro-Ásia, Salvador, n. 46, p. 279-288, jul./dez. 2012.

MACEDO, José Rivair. História da África. São Paulo: Contexto, 2017.

MOREIRA, Paulo R. Staudt; MUGGE, Miquéias H. Histórias de Escravos e senhores em uma região de imigração europeia. São Leopoldo: Oikos, 2014.

MORRISON, Toni. A origem dos outros: Seis ensaios sobre racismo e literatura. Trad. Fernanda Abreu. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

NICOLESCU, Basarab. O Manifesto da transdisciplinaridade. Trad. Lucia Pereira de Souza. São Paulo: TRIOM, 1999.

OLIVA, Anderson Ribeiro. A História da África nos bancos escolares: representações e imprecisões na literatura didática. Estudos Afro-asiáticos, Rio de Janeiro, v. 25, n. 3, p. 421- 461, 2003.

______. Uma história esquecida: A África e os africanos diante dos imaginários e dos discursos brasileiros dos séculos XIX ao XXI. In: OLIVA, Anderson Ribeiro. Reflexos de África: ideias e representações sobre os africanos no imaginário ocidental, estudos no Brasil e Portugal. Goiânia: Ed. da PUC Goiás, 2010. p. 127–157.

OYĚWÙMÍ, Oyèrónké. Conceituando o gênero: os fundamentos eurocêntricos dos conceitos feministas e o desafio das epistemologias africanas. Trad. Juliana Araújo Lopes. CODESRIA Gender Series, Dakar, CODESRIA, 2004.

PIMENTA, Selma Garrido; ALMEIDA, Maria Isabel de (Orgs.). Pedagogia Universitária: caminhos para a formação de professores. Selma Garrido Pimenta, São Paulo: Cortez, 2011.

PEREIRA, Júnia Sales. Diálogos sobre o exercício da docência – recepção das leis 10.639/03 e 11.645/08. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 36, n.1, p. 147-172, jan./abr. 2011.

REDIKER, Marcus. O Navio Negreiro: Uma História Humana. São Paulo: Cia. das Letras, 2011.

RIBEIRO, Renilson Rosa; MENDES, Luís César Castrillon; SANTOS, Amauri Junior da Silva. História da África no Ensino Superior: Imagens e representações dos estudantes do Curso de Licenciatura em História da UFMT, Campus Cuiabá. História e Diversidade, Cáceres, v. 6, n. 1, p. 107-124, 2015.

RÜSEN, Jörn. Razão Histórica - teoria da história: os fundamentos da ciência histórica. Brasília: Editora da UnB, 2001.

SAMPAIO, Maria Clara S. Carneiro. Emancipação nas Américas. In: SCHWARCZ Lilia Moritz; GOMES, Flávio dos Santos (Orgs.). Dicionário da Escravidão e Liberdade: 50 textos críticos. São Paulo: Companhia das Letras, 2018. p. 210 – 215.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 71-99, jul./dez. 1995.

SILVA, Alberto da Costa e. A História da África e sua importância para o Brasil. In: Um rio chamado atlântico: A África no Brasil e o Brasil na África. Rio de Janeiro: Ed. Nova Fronteira / Ed. UFRJ, 2003. p. 229 – 240

VASCONCELLOS. Celso dos S. Planejamento: Projeto de Ensino-Aprendizagem e Projeto Político Pedagógico - elementos metodológicos para elaboração e realização. São Paulo: Libertad Editora, 2002.

Obras discutidas em aula – “História e Literatura: Aprendizagem e desafios”

ADICHIE, Chimamanda Ngozi. Meio Sol Amarelo. São Paulo, Companhia das Letras, 2008.

ALLENDE, Isabel. A ilha sob o mar. Trad. Ernani Ssó. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. 2009;

CONDÉ, Maryse. Eu, Tituba: bruxa negra de Salem. Trad. Natalia Borges Polesso. Rio de Janeiro: Rosa dos tempos, 2019.

COUTO, Mia. O Outro Pé da Sereia. Companhia das Letras, Rio de Janeiro, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.