Orientação de carreira e evasão universitária: um estudo descritivo com estudantes da Região do Vale do Paranhana

Rodrigo Müller Ebling, Casiane Maria Adamatti dos Santos, Leticia Horn Oliveira

Resumo


O presente estudo apresenta dados de uma pesquisa de levantamento realizada com 256 estudantes de primeiro ano de graduação de 16 cursos de uma Instituição de Ensino Superior. Os participantes responderam a uma ficha sociodemográfica e a um questionário semiestruturado, cujo objetivo foi investigar experiências prévias com orientação profissional, a satisfação com o curso atual e os possíveis motivos que levariam o aluno à evasão do curso. As análises estatísticas descritivas e inferenciais mostraram que embora o fator financeiro seja o principal indicador que pode levar à evasão, fatores relacionados à indecisão sobre a escolha do curso e insegurança em relação ao mercado de trabalho também se apresentaram como fatores relevantes. Além disso, foi possível identificar baixo ou nenhum acesso prévio dos participantes à um trabalho de orientação profissional.

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, M. E. G. G., & Pinho, L. V. (2008) Adolescência, família e escolhas: Implicações na orientação profissional. Psicologia Clínica, 20 (2), 173-184.

Ambiel, R. A. M. (2014). Adaptabilidade de carreira: uma abordagem histórica de conceitos, modelos e teorias. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 15(1), 15-24.

Ambiel, R. A. M.,Santos, A. A. A.& Dalbosco, S. N. P. (2016). Motivos para evasão, vivências acadêmicas e adaptabilidade de carreira em universitários. Psico, 47(4), 288-297.

Bardagi, M. P.& Hutz, C. S. (2005). Evasão universitária e serviços de apoio ao estudante: uma breve revisão da literatura brasileira. Psicologia Revista, 14(2), 279-301.

Bardagi, M. P. (2007). Evasão e comportamento vocacional de universitários: estudos sobre o desenvolvimento de carreira na graduação. Tese (Doutorado em Psicologia) – Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Bardagi, M. P., & Hutz, C. S. (2012). Rotina acadêmica e relação com colegas e professores: impacto na evasão universitária. Psico, 43(2), 174-184.

Cardoso, L. R.& Bzuneck, J. A. (2004) Motivação no ensino superior: metas de realização e estratégias de aprendizagem. Psicologia Escolar e Educacional, 8(2), 145-155.

Carmo, E. F., Chagas, J. A. S., Filho, D. B. F. & Rocha, E. C. (2014). Políticas públicas de democratização do acesso ao ensino superior e estrutura básica de formação no ensino médio regular. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 95 (240), 304-327.

Cunha, J. V. A., Nascimento, E. M., e Durso, S. O. (2014). Razões e infl uências para a evasão universitária: um estudo com estudantes ingressantes nos cursos de Ciências Contábeis de instituições públicas federais da Região Sudeste. Anais do Congresso USP de Controladoria e Contabilidade. São Paulo, SP, Brasil, 14.

Dias, M. S. L.; Soares, D. H. P. (2012). A escolha profissional no direcionamento da carreira dos universitários. Psicol. Cienc. Prof., 32(2), 272-283.

Dias, E. C. M., Theóphilo, C. R.& Lopes, M. A. S. Evasão no ensino superior: estudo dos fatores causadores da evasão no curso de Ciências Contábeis da Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes/MG. Congresso USP de Iniciação Científica em Contabilidade. 2009.

Duarte, M. E., Lassance, M. C., Savickas, M. L., Nota, L.; Rossier, J., Dauwalder, J., Guichard, J., Soresi, S., Van esbroeck, R.& Vianen, A. (2009). A Construção da Vida: Um Novo Paradigma para Entender a Carreira no Século XXI. Revista Interamericana de Psicologia, 44(2), 392-406.

Dutra, J. S. (2012). Gestão de Pessoas: Modelo, Processos, Tendências e Perspectivas. São Paulo: Atlas.

Esbrogeo, M. C.; Melo-Silva, L. L. (2012). Informação profissional e orientação para a carreira mediadas por computador: uma revisão da literatura. Psicologia USP. São Paulo, 23 (1), 133-155.

Faleiros, N. P. (2014). Educação para a carreira no cotidiano da escola pública: proposta de modelo interventivo para a grade curricular. Tese de Doutorado, Programa de Doutorado em Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, RS.

Garcia, M. P. B. (2000). Reorientação profissional em grupo: planejamento por encontro. In: Lisboa, M. D.; Soares, D. H. P. (Orgs.). Orientação profissional em ação: formação e prática de orientadores. São Paulo: Summus.

Gray, D. E. (2012). Perspectivas teóricas e metodologias de pesquisa. In: Gray, D. E. Pesquisa no mundo real. Porto Alegre: Penso.

Landim, L. F. P., Lourinho, L. A., Lira, R. C. M., & Santos, Z. M. S. A. (2006) Uma reflexão sobre as abordagens em pesquisa com ênfase na integração qualitativo-quantitativa. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, 19 (1), 53-58.

Lassance, M. C.& Sarriera, J. C. (2009). Carreira e saliência dos papéis: integrando o desenvolvimento pessoal e profissional. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 10 (2), 15-3, 2009.

Levenfus, R. S. (1997). Psicodinâmica da escolha profissional. Porto Alegre: Artes Médicas.

Levenfus, R. S.& Nunes, M. L. T. (2002). Principais Temas Abordados por Jovens Centrados na Escolha Profissional. In: Levenfus, R. S.; Soares, D. H. P. (Orgs). Orientação Vocacional Ocupacional. Porto Alegre: Artmed.

Lima-Dias, M. S.; Soares, D. H. P. (2012). Planejamento de Carreira: Uma orientação para universitários. Psicol. Argum, 30 (68), 53-61.

Lima, R.& Fraga, S. (2010). Intervir para ajudar e ajudar para construir: um modelo de intervenção psicológica com estudantes do ensino superior. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 11 (2), 269-277.

Lisboa, M. D. (2002). Orientação Profissional e Mundo do Trabalho: Reflexões sobre uma Nova Proposta Frente a um Novo Cenário. In: Levenfus, R. S.; Soares, D. H. P. (Orgs.). Orientação Vocacional Ocupacional. Porto Alegre: Artmed.

Lobo, M. B. C. M. (2012). Panorama da evasão no ensino superior brasileiro: aspectos gerais das causas e soluções. ABMES Cadernos, 25, 9-58.

Macedo, M. M. K. (2010). Adolescência e psicanálise: Intersecções possíveis. 2 Ed. Porto Alegre: EDIPUCRS.

Manzini, E. J. (2003). Considerações sobre a elaboração de roteiro para entrevista semi-estruturada. In: Marquezine, M. C.; Almeida, M. A.; Omote, S. (Orgs.). Colóquios Sobre Pesquisa em Educação Especial. Londrina: Eduel.

Matos, E., Chaves, A. M. (2010) Trabalho e Escola: É Possível Conciliar? A Perspectiva de Jovens Aprendizes Baianos. Psicologia, Ciência e Profissão, 30 (3), 540-555.

MEC/INEP. Resumo Técnico: Censo da Educação Superior 2007. Brasília-DF. 2009. Disponível em: Acesso em: 19 abr. 2018.

Mercuri, E.& Polydoro, S. A. J. (2004) O compromisso com o curso no processo de permanência/evasão no ensino superior: algumas contribuições. In: Mercuri, E.; Polydoro, S. A. J. (Orgs). Estudante universitário: características e experiências da formação. Taubaté: Cabral Editora Universitária.

Monteiro, A. M.& Gonçalves, C. M. (2011). Desenvolvimento vocacional no ensino superior: Satisfação com a formação e desempenho acadêmico. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 12(1), 15-27.

Neiva, K. M. C., Silva, M. B.& Miranda, V. R.; Esteves, C. (2005).Um estudo sobre a maturidade para a escolha profissional de alunos do ensino médio. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 6(1), 1-14.

Oliveira, C. T., Wiles, J. M., Pascale Chechi Fiorin, P. C. & Dias, A. C. G. (2014). Percepções de estudantes universitários sobre a relação professor-aluno. Revista Quadrimestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional. 12 (2), 239-246.

Orlickas, E. (2004). Consultoria Interna de Recursos Humanos: Pesquisa e benchmarking em empresas de ponta. São Paulo: Futura.

Ribeiro, A. M. (2005). O projeto profissional familiar como determinante da evasão universitária - Um estudo preliminar. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 6(2), 55-70.

Rocha, M. C. S. Projeto de carreira, plano de vida: passos para um gerenciamento de vida profissional e pessoal. (2010). In: Levenfus, R. S.; Soares, D. H. P. e col. Orientação Vocacional Ocupacional. Porto Alegre: Artmed, 2. ed., 82-91.

Serpa, M. N. F. & Santos, A. A. A. (2001). Atuação no ensino superior: um novo campo para o psicólogo escolar. Psicologia Escolar e Educacional, 5(1), 27-35.

Silva, A. C. & Velloso, J. R. (1997). Universidade pública: política, desempenho, perspectivas. Campinas: Papirus.

Silva filho, R. L. L., Motejunas, P. R.,Hipólito, O. & Lobo, M. B. C. M. (2007). A evasão no ensino superior brasileiro. Cadernos de Pesquisa, 37(132), 641-659.

Sparta, M. & Gomes, W. B. (2005). Importância Atribuída ao Ingresso na Educação Superior por Alunos do Ensino Médio. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 6(2), 45-53.

Stratton, L. S.; O’toole, D. M. e Wetzel, J. N. (2008). A multinomial logit model of college stopout and dropout behavir. Economics of Education Review, 27(3), 319-331.

Teixeira, M. O. (2008). A abordagem sócio-cognitiva no aconselhamento vocacional: Uma reflexão sobre a evolução dos conceitos e da prática da orientação. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 9(2), 9-16.

Vitória, M. I. C., Casartelli, A., Rigo, R. M. & Costa, P. T. (2018) Engajamento acadêmico: desafios para a permanência do estudante na Educação Superior. Educação, 41(2), 262-269 doi.org/10.15448/1981-2582.2018.2.27960

Uvaldo, M. C. C.; SILVA, F. F. (2001). Orientação profissional: Uma experiência na escola. Labor: Revista do Laboratório de Estudos sobre Trabalho e Orientação Profissional, 76-84.

Walmsley, A.; Wilson, T. e Morgan, C. (2010). Influences on a College Student's Major: A Developmental Perspective. Journal for the Liberal Arts and Sciences, 14(2), 25-46.

Zago, N. (2006). Do acesso à permanência no ensino superior: percursos de estudantes universitários de camadas populares. Revista Brasileira de Educação, 11(32), 226-237.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.