HISTÓRIA MEDIEVAL NOS LIVROS DIDÁTICOS PELAS “LENTES” DA HISTÓRIA DAS MULHERES E DOS ESTUDOS DE GÊNERO – NOTAS INICIAIS DE PESQUISA

Rafaela Limberger, Gabriela Schwengber

Resumo


O objetivo desse trabalho é propor uma pesquisa inicial das narrativas e abordagens referente às mulheres no período medieval através de cinco livros didáticos de ensino de História, considerando que esses ocupam um espaço de centralidade na orientação do currículo do ensino básico. Através dessa proposta foi possível perceber as diferentes narrativas construídas pelos autores de tais materiais didáticos. De maneira geral, as mulheres medievais são mencionadas brevemente nos capítulos, principalmente no que concerne a instituição do casamento e enquanto força de trabalho nos campos ou centros urbanos. No entanto, as lacunas deixadas não devem ser empecilhos para que a história das mulheres seja largada ao silenciamento. As produções historiográficas contemporâneas contribuem com novas fontes e narrativas a respeito da temática, podendo ser utilizadas para construção do conhecimento em sala de aula. Dessa forma, coloca-se um exemplo de possível abordagem através de declarações da atual ministra da pasta da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, relacionando-as com os discursos da Igreja católica sobre as mulheres no período medieval.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Medida provisória nº 870, de 1º de janeiro 2019. Medida provisória convertida na Lei nº 13.844, de 2019. Disponível em: . Acesso em: 13/02/2019.

BORGES, Vavy Pacheco. O que é história. São Paulo: Editora Brasiliense, 2.ed., 1981.

CAIMI, Flávia Eloisa et al. O livro didático e o currículo de história em transição. Passo Fundo: Ediupf, 1999.

DUBY, George; PERROT, Michelle (Coord.). História das mulheres no Ocidente: O século XX. Porto: Afrontamento, 1990-1991. 5 v.

INSTITORIS, Heinrich; SPRENGER, Jakob. O martelo das feiticeiras: Malleus maleficarum. 9. Ed, Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1993. 528 p.

LE GOFF, Jacques. O Maravilhoso e o Quotidiano no Ocidente Medieval. Edições 70, 1983.

LIMA, Sandra C. F. de. O Livro Didático de História: Instrumento de Trabalho ou Autoridade “Científica”?. História e Perspectivas. Uberlândia, 18/19: 195-206, 1998.

MACEDO, José Rivair de. A mulher na Idade Média. São Paulo: Contexto, 2001.

PINSKY, Jaime; PINSKY, Carla Bassanezi. Por uma História prazerosa e consequente. In: KARNAL, Leandro (org.). História na sala de aula: conceitos, práticas e propostas. 6ª Ed. São Paulo: Contexto, 2012.

SCHMIDT, Maria Auxiliadora. A formação do professor de história e o cotidiano da sala de aula. In: BITTENCOURT, Circe (org.). O saber histórico na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2.ed., 1998.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Tradução de Christine Rufino Dabat. New York: Columbia University Press,1989.

SILVA, Edlene Oliveira. As filhas de Eva: religião e relações de gênero na justiça medieval portuguesa. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 19, n. 1, jan./abr. 2011.

SILVEIRA, Marta de Carvalho. A representação da mulher medieval nos livros didáticos: uma visão comparativa. Revista história comparada, Rio de Janeiro, v. 11, n. 2, p. 80-107, 2017.

TAVARES, Alice. Direitos e deveres das mulheres e homens na Idade Média: o testemunho dos costumes e Foros portugueses. Vínculos de História. Revista del Departamento de Historia de la Universidad de Castilla – La Mancha, n. 4., p. 221-227, 2015.

THÉBAUD, Françoise; PERROT, Michelle; DUBY, Georges. História das mulheres no Ocidente: vol. V: o século XX. Porto: Afrontamento, 1991. v. 5, p. 95-114.

VASCONCELLOS, Celso dos S. Metodologia Dialética em Sala de Aula. Revista de Educação AEC. Brasília: abril de 1992.

Livros didáticos utilizados no levantamento:

AZEVEDO, Gislane Campos; SERIACOPI, Reinaldo. História e Movimento. São Paulo: Editora Ática, 2013.

AZEVEDO, Gislane Campos; SERIACOPI, Reinaldo. História Volume Único. São Paulo: Editora Ática, 2008.

BRASIL. GOVERNO FEDERAL. Ministério da mulher, da família e dos direitos humanos. 2020. Disponível em: . Acesso em: 13 fev. 2019.

CARDOSO, Odimar Pontes. História hoje. São Paulo: Editora Ática, 1 ed., 2007.

LIMA, Lizânea de Souza; PEDRO, Antônio. História Sempre Presente. São Paulo: FTD, 2010.

VAZ, Maria Luisa; PENAZZO, Sílvia. Jornadas.hist. São Paulo: Editora Saraiva, 2. ed., 2012.

Matérias de jornais utilizadas:

LUIZ FELIPE BARBIÉRI (Brasília). Damares diz que na 'concepção cristã' mulher deve ser 'submissa' ao homem no casamento: Para ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos submissão é uma 'questão de fé'. Ela disse, porém, que visão cristã não a faz 'menos capaz' de comandar o ministério.. 2019. G1, O GLOBO. Disponível em: . Acesso em: 13 fev. 2020.

MARCEL HARTMANN (Rio Grande do Sul). Damares para combater a gravidez na adolescência: A chefe do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos defende que escolas orientem a não fazer sexo. 2020. ZERO HORA. Disponível em: . Acesso em: 13 fev. 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.