ANÁLISE, RECONHECIMENTO, MENSURAÇÃO E DIVULGAÇÃO DE PASSIVOS CONTINGENTES EM UMA EMPRESA DO RAMO DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO VALE DO SINOS - RS

Adriana Ritter, Paulo Eduardo Rosseli Wunsch

Resumo


Vem sendo divulgada, há alguns anos, a necessidade da adoção ao Padrão Internacional de Contabilidade pelas empresas brasileiras, com isso o IASB – International Accounting Standards Board vem buscando essa adesão das entidades através de interpretações compreensíveis e objetivas emitidas pelo IFRS – International Financial Reporting Standard o qual tem como meta sanar dúvidas quanto às normas em questão, de maneira clara e transparente buscando, assim, a interpretação unificada mundial de relatórios financeiros. Diante dessa busca pela convergência aos padrões internacionais de contabilidade, foi criado o Comitê de Pronunciamentos Contábeis – CPC, o qual é o responsável pelas traduções e divulgações das normas existentes e, assim, emite seus pareceres aos órgãos reguladores que, através deles, criam suas normas e resoluções, das quais, as empresas devem se orientar, a fim de, internacionalizar seus procedimentos contábeis, de forma que possam ter um único entendimento em qualquer parte do mundo. Este artigo tem como finalidade averiguar se o Pronunciamento Técnico – CPC 25 está sendo aplicado pela empresa de forma correta e, ao mesmo tempo, analisar, reconhecer, mensurar e divulgar possíveis Passivos Contingentes ocultos. A metodologia utilizada é uma abordagem exploratória e quantitativa, pois serão analisados processos judiciais existentes contra a empresa, estes serão mensurados e demonstrados dentro do balanço de acordo com sua classificação, ou seja, se provável serão provisionados, se possível serão divulgados e quando remotos a divulgação será opcional. O universo da pesquisa será uma empresa do ramo da construção civil situada no Vale do Sinos –RS. Após finalização das análises, fica constatado que de fato o CPC-25, no que tange Passivos Contingentes não é aplicado na empresa.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Marcelo Cavalcanti. Deloitte: Normas Internacionais de Contabilidade – IFRS. São Paulo: Atlas S.A., 2009.

ALMEIDA, Marcelo Cavalcanti; ALMEIDA, Rafael Jachelli. Regulamentação Fiscal das Normas contábeis do IFRS e CPC. Lei 12.973/ 14. São Paulo: Atlas S.A., 2015.

ANDRADE Filho, Edmar Oliveira. Imposto de Renda das Empresas. CSLL, Operações de Hedge, Preço de Transferência, Planejamento Tributário, Reorganizações Societárias, Aspectos Contábeis e Jurídicos ed. 12. São Paulo: Atlas S.A., 2016.

ATTIE, William. Auditoria. Conceitos e Aplicações. 6. ed. São Paulo: Atlas S.A., 2011.

BRASIL. Lei nº 6.404/1976. Disponível em: . Acesso em: 22 out. 2017.

BRASIL. Lei nº 11.638/2007. Disponível em: . Acesso em: 22 out. de 2017.

CARVALHO, L.Nelson; COSTA, Fábio Moraes Da; LEMES, Sirlei. Contabilidade Internacional. Aplicação das IFRS 2005.São Paulo: Atlas S.A., 2009.

CARVALHOSA, Modesto. Comentários à Leis de Sociedades Anônimas. 6. ed. São Paulo: Saraiva. 2014.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS – CPC 25. Pronunciamentos Técnicos.Disponívelem: Acesso em: 08 mar. 2017.

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE – CFC. NBC TG – 25. Resolução nº 1.066/2005.Disponívelem:. Acesso em: 07 nov. 2017.

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE – CFC. NBC TG – 25. Resolução nº 1.180/2009.Disponívelem:.Acesso em: 23 out. 2017.

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE – CFC. NBC TG – 25. Resolução nº NBCTG25(R1)/2014.Disponívelem:. Acesso em: 12 nov. 2017.

CRESWELL, John W. Projeto de Pesquisa. Métodos Qualitativo, Quantitativo e Misto. 3. ed. São Paulo: Artmed S.A., 2010.

ECD – Escrituração Contábil Digital. Transmitidas via programa digital em 2016 e 2017. Acesso em: jun./jul. 2017.

FERNANDEZ, Luciane Alves; SANTOS, José Luiz dos; SCHMIDT, Paulo. Contabilidade Internacional Avançada. 3. ed. São Paulo: Atlas S.A., 2010.

FRANCIS, Jennifer; SCHIPPER, Katherine; WEIL, Roman L., Contabilidade Financeira. Introdução aos Conceitos, Métodos e Aplicações. 2. ed. São Paulo: Câmara Brasileira do Livro, 2015.

GUERRA, Luciano. A Nova Contabilidade. Convergência ao Padrão Internacional. 2. ed. São Paulo: Atlas S.A, 2015.

IUDÍCIBUS, Sérgio De; MARION, José Carlos. Contabilidade Comercial. 10. ed. São Paulo: Atlas S.A., 2016.

JUNG, Carlos Fernando. Metodologia para Pesquisa & Desenvolvimento: Aplicada a Novas Tecnologias, produtos e processos. Rio de Janeiro: Axcel Books, 2004.

MONTOTO, Eugenio. Contabilidade Geral e Análise de Balanços Esquematizado. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

MOURAD, Nabil Ahmad; PARASKEVOPOULOS, Alexandre. Introdução às Normas Internacionais de Contabilidade. 2. ed. São Paulo: Atlas S.A., 2010.

MULLER, Aderbal Nicolas; SCHERER, Luciano Márcio. Contabilidade Avançada e Internacional. Alterações trazidas pela Lei 11.638, de 28 de Dezembro de 2007. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

NIYAMA, Jorge Katsumi. Contabilidade Internacional. Causas das diferenças internacionais, Harmonização contábil internacional, Estudo comparativo entre países. São Paulo: Atlas S.A., 2005.

NORMAS INTERNACIONAIS DE RELATÓRIO FINANCEIRO. Texto consolidado das Normas Internacionais de Relatório Financeiro tal como aprovadas em 1º de janeiro de 2008. V. 2. Reino Unido.

PADOVE, Luiz Clóvis. Introdução à Contabilidade. com abordagem para não contadores. 2. ed. São Paulo: Câmara Brasileira do Livro, 2015.

SANTOS, Fernando de Almeida; VEIGA, Windson Espenser. Contabilidade com Ênfase em Micro, Pequenas e Médias Empresas. Atualizado pela legislação até Fevereiro de 2014 – Leis 11.638/07, 11.941/09, NBC TG 1000 (CPC – PME) e ITG 1000. 3. ed. São Paulo: Atlas S.A., 2014.

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 4º REGIÃO – TRT4. Disponível em: < http://www.trt4.jus.br/portal/portal/trt4/home> Acesso em: jun./ jul. 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.