Reflexos na matriz curricular dos cursos de Ciências Contábeis a partir da exigência do Exame de Suficiência em 2010: um estudo no âmbito do CRCRS

Osmar Antonio Bonzanini, Amélia Cristina Ferreira da Silva, Teresa Gabriela Marques Leite

Resumo


O tema deste artigo está fundamentado nas adequações dos currículos dos cursos superiores em Ciências Contábeis do Rio Grande do Sul, a partir da exigência do Exame de acesso à categoria profissional, em 2010. A revisão teórica realizada demonstra que as universidades, o Estado e as Ordens Profissionais sustentam o poder profissional a partir de três pilares: autonomia, credencialismo e monopólio do conhecimento, aspectos que permeiam o acesso à profissão de contador. Com o objetivo de investigar sobre alterações nos currículos destinados a formar os contadores, realizou-se um estudo bibliográfico, descritivo e exploratório, cuja população compreendeu todos os coordenadores dos cursos de Ciências Contábeis do Rio Grande do Sul e a partir das respostas obtidas, observa-se que a maioria das universidades sediadas no RS e que atuam para diplomar o bacharel em Ciências Contábeis realizaram adequações e ajustes nos respectivos currículos, visando adequá-los aos conteúdos contemplados no Exame de Suficiência.

Texto completo:

PDF

Referências


ALENCAR, A., ARAÚJO, A. Aspectos do perfil do professor de Ciências Contábeis e seu reflexo no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE) – um estudo nas Universidades Federais do Brasil. Revista Contabilidade Vista & Revista. Universidade Federal de Minas Gerais, BH. Vol. 22, pp.73-112, out./dez.2011.

BERG, B., LUNE, H. Qualitative Research Methods for the Social Sciences. (8ª. Ed.), Edinburgh, Pearson Education Limited, 2014.

BEUREN, I. Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade. 3ª.Ed., São Paulo:

Atlas, 2013.

BHATTACHERJEE, A. Social Science Researche: Principles, Methods, and Practices. 2ª. Ed. Textbooks Collection. Tampa, Florida: USF, 2012.

BONZANINI, O. A Gestão em Um Curso Superior: Revisando as Atribuições e o Papel do Coordenador. Anais do VII Simpósio Nacional de Educação e I Colóquio Internacional de Políticas Educacionais e Formação de Professores. Editora da URI, 2012.

BONZANINI, O., SILVA A., LEITE T. Critical Perspective on the Influence of Professional Organizations in the Construction of Curricula of Undergraduate Courses in Accounting. 3rd ISA Forum of Sociology – Professionalism in Education and Work, 2016. Viena, Austria: Julho/2016.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. ResoluçãoCNE/CES 10, de 16 de Dezembro de 2004. Diário Oficial da União, Brasília, 28/12/2004, Seção 1, p.15.

BRASIL. LDB – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. (9ª. Ed.) Brasília: Câmara dos Deputados, 2014.

BUGARIM, M., PINHO, J., RODRIGUES, L., MACHADO, D. (2013). Ações do Conselho Federal de Contabilidade no Desenvolvimento da Contabilidade Brasileira. Revista de Contabilidade e Controladoria. Universidade Federal do Paraná. Curitiba, Vol.5, n. 2, p.134-151, maio/ago.2013.

BUGARIM, M., OLIVEIRA, O. A Evolução da Contabilidade no Brasil: Legislações, órgão de Fiscalização, Instituições de Ensino e Profissão. XI Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia – SEGet 2014, ANGRAD. Resende: RJ.

CARNEIRO, J. CFC Regulamenta o Exame de Suficiência. CRCSC Jornal. Set./Out. 2013.

CARR-SAUNDERS, A., WILSON, P. Professions. Oxford: Clarendon Press, 1933.

CARVALHO, E. Gestão de Curso Superior: Os Desafios Burocráticos da Prática Profissional do Coordenador de Curso. Revista Gestão Universitária, 2014.

CAVALCANTE, D., AQUINO, L., DE LUCA, M., PONTE, V., BUGARIM, M. Adequação dos Currículos dos Cursos de Contabilidade das Universidades Federais Brasileiras ao Currículo Mundial de Contabilidade e o Desempenho no ENADE. Pensar Contábil. Rio de Janeiro, Vol. 13, no. 50, pp.42-52, jan./abr.2011.

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE (CFC). Resolução CFC no. 1.373 de 08 de Dezembro de 2011. Regulamenta o Exame de Suficiência como requisito para obtenção ou restabelecimnto de Registro Profissional em Conselho Regional de Contabilidade (CRC).

DINIZ, M. Os donos do saber: profissões e monopólios profissionais. Rio de Janeiro: Revan, 2001.

FLEXNER, A. Is Social Work a Profession? In National Conference Of Charities and Correction, Baltimore, May 17, 1915. Published by The New York School of Philanthropy. New York City, 1915.

FREIDSON, E. The Professions and their Prospects. Sage, Newbury Park, 1986.

GRUNOW, A., SABADIN, A., FASSINA, P., E DOMINGUES, M. Análise do perfil dos gestores do curso de Ciências Contábeis das IES – Instituições de Ensino Superior do Estado de Santa Catarina. Anais do VI Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, 2006. São Paulo: SP.

LARSON, M. The Rise of Professionalism: a sociological analysys. London: University of California Press, 1977.

LEE, T. Consolidating the public accountancy profession: The case of the proposed Institute of Chartered Accountants of Great Britain, 1988/1989. Accounting History, Vol. 15 (10), pp.07-39, 2010.

LEITE, C. A evolução das Ciências Contábeis no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005.

LESTER, S. The Development of Self-Regulation in Four UK Professional Communities. Professions & Professionalism, Vol. 6, no. 1, pp. 01-14, 2016.

LIKERT, R. A Technique for the measurement of atitudes. Archives of Psychology, Vol. 22, n. 140, pp.44-53, 1932.

LUCHMANN, L. Modelos Contemporâneos de Democracia e o Papel das Associações. Revista de Sociologia e Política. Vol. 20, no. 43, pp. 59-80, Out./2012.

MARCON, S. Atribuições dos cargos de coordenação e subcoordenação de cursos de graduação. Anais do XI Colóquio Internacional Sobre Gestão Universitária na América do Sul, Florianópolis-SC, 2011.

MUZIO, D., KIRKPATRICK, I., KIPPING, M. Professions, organization and the state: Applying the Sociology of Professions to the case of management consultancy Professions. Current Sociology, 59(6), pp. 805-824, 2011.

OLIVEIRA NETO, J., E KUROTORI, I. O Retorno do Exame de Suficiência do CFC. Revista de Contabilidade do Mestrado de Ciências Contábeis da UERJ, Vol. 14, no. 001, pp.01-18, Jan./Abr.2009.

PINHEIRO DE SÁ, L., E NECO, L. Um estudo sobre os determinantes de desempenho no Enade de alunos do curso de Ciências Contábeis. RBC – Revista Brasileira de Contabilidade, no. 213, Mai/Jun 2015.

RODRIGUES, M. Sociologia das Profissões. Oeiras: Celta Editora, 2002.

SAKS, M. Defining a Profession: The Role of Knowledge and Expertise. Professions & Professionalism. Vol. 2, No. 1 (2012), pp. 1-10.

SANGSTER, A. Imagens e Projeções do papel do contador. IN: O Profissional da Contabilidade: desenvolvimento de carreira, percepções e seu papel social. Editora SENAC: São Paulo, 2014.

SANTOS, A., DOMINGUES, M., RIBEIRO, M. Nível de Similaridade das Matrizes Curriculares dos Cursos de Ciências Contábeis das Instituições Paranaenses Listadas no MEC, Ao Currículo Mundial. ReCont – Registro Contábil – UFAL, Maceió. Vol. 4, no. 03, pp.105-127, set./dez. 2013.

SANTOS, C. Profissões e Identidades Profissionais. Imprensa da Universidade de Coimbra: Coimbra, 2011.

SOUSA, M.; BAPTISTA, C. Como Fazer Investigação, Dissertações, Teses e Relatórios Segundo Bolonha. Lisboa: Pactor, 2011.

TRIOLA, M. Introdução à Estatística: Atualização da Tecnologia. (11ª.Ed.). Rio de Janeiro: LTC, 2013.

WALTER, S., SCHNEIDER, M., ROCHA, D., DOMINGUES, M., E TONTINI, G. Ações e Perfil Intraempreendedor dos Gestores dos Cursos de Ciências Contábeis da Região Oeste do Paraná. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC), No. 6, Vol. 1, 2012.

WILLMOTT, H. Organising The Profession: A Theoretical and Historical Examination of The Development of The Major Accountancy Bodies in The U.K. Accounting, Organizations and Society. Vol. 11, No. 6, pp. 555-580. Pergamon. Great Britain: Elsevier Science Ltd, 1986.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.