Impairment Test: estudo de caso de uma indústria moveleira localizada na cidade de Gramado – RS

Douglas Fabris Kramer, Francisco José Ecker

Resumo


Por meio da Lei no 11.638/2007 e regulamentado pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis – CPC 01 R3, o teste de Recuperabilidade de Ativos tem como objetivo ajustar o valor contábil dos ativos com o seu valor recuperável, quando esse for menor que o valor contábil. Assim, este artigo tem como objetivo discorrer sobre a importância da aplicação do Teste de Impairment a fim de informar o valor real atual das 10 estufas de secagem de madeira, nas demonstrações contábeis de uma indústria moveleira localizada na cidade de Gramado - RS. Este artigo foi realizado em forma de estudo de caso, utilizando como metodologia uma pesquisa documental de caráter qualitativo. Os dados da pesquisa foram coletados de relatórios gerenciais fornecidos pela empresa e do balanço patrimonial de 31 de dezembro de 2015, assim, sendo eles calculados e comparados, chegando aos seus valores de venda e uso. Dentre as conclusões, verificou-se que, das 10 estufas em estudo, 4 delas encontram-se contabilizadas com valores acima do valor recuperável. Deve-se, portanto, ser realizada a provisão da perda por desvalorização no valor de R$15.710,00, valor esse que foi registrado na conta de resultado, ajustando o valor dos bens, fornecendo, assim, a informação mais transparente sobre o ativo imobilizado às partes interessadas da organização.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Decreto no 3.000, de 26 de março de 1999. Disponível em: .Acesso em: 04 out.2016.

BRASIL. Lei no 11.638, de 28 de dezembro de 2007. Disponível em: .Acesso

em: 03 mar.2016.

BRASIL. Lei no 11.941, de 27 de maio de 2009. Disponível em: .Acesso em: 03 mar.2016.

BRASIL. Lei no 12.973, de 13 de maio de 2014. Disponível em: .Acesso em: 04 out.2016.

BRASIL. Lei no 6.404, de 15 de dezembro de 1976. Disponível em: .Acesso em: 05 mar.2016.

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS. Deliberação CVM no 183, de 19 de junho de 1995. Aprova Pronunciamento do IBRACON sobre Reavaliação de Ativos. Rio de Janeiro. 1995. 14 p. Disponível em:. Acesso em: 14 abr. 2016.

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS. Deliberação CVM no 527, de 1o de novembro de 2007. Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 01 do Comitê de Pronunciamentos Contábeis – CPC sobre Redução ao Valor Recuperável de Ativos. Rio de Janeiro. 2007. Disponível em: Acesso em: 05 mar. 2016.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS. Pronunciamento Técnico CPC 01: Redução ao valor recuperável de ativos. Disponível em: Acesso em 10 nov. 2015.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS. Pronunciamento Técnico CPC 04: Ativo Intangível. Disponível em: Acesso em 10 nov.2015.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS. Pronunciamento Técnico CPC 27: Ativo Imobilizado. Disponível em: Acesso em 04 out. 2016.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS. Resolução CFC no 1055, de 2005. Disponível em: . Acesso em: 10 mar.2016.

ERNEST & YOUNG, Fipecafi. Manual de normas internacionais de contabilidade: IFRS versus normas brasileiras. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

FERRAREZI, Maria Amélia; SMITH, Marinês. Impairment-conceitos iniciais e seu impacto pelo valor de mercado: estudo de caso de uma “Sociedade Ltda.” Da cidade de Franca. (2008). Disponível em: .Acessoem: 22 jun. 2015.

FINANCIAL ACCOUNTING STANDARD BOARD-FASB. Aboutthe FASB. Disponível em: Acesso em: 05 mar. 2016.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.

GALVÃO, A.P.M.; JANKOWSKY, I.P. Secagem racional da madeira. São Paulo: Nobel, 1985.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

INTERNATIONAL ACCOUNTING STANDARDS BOARD (IASB). IAS 36 – Impairment of Assets. Disponível em: . Acesso em: 25 mar.2016.

IUDÍCIBUS, Sérgio de. Teoria da contabilidade. São Paulo: Atlas, 2000.

_________; MARTINS, Eliseu; GELBCKE, Ernesto Rubens; SANTOS, Ariovaldo dos. Manual de Contabilidade Societária: aplicável a todas as sociedades, de acordo com as normas internacionais e do CPC. São Paulo: Atlas, 2010.

_________; MARTINS, Eliseu; GELBCKE, Ernesto Rubens; SANTOS, Ariovaldo dos. Manual de Contabilidade Societária: aplicável a todas as sociedades, de acordo com as normas internacionais e do CPC. São Paulo: Atlas, 2013.

JUNG, Carlos Fernando. Metodologia para pesquisa e desenvolvimento. Aplicada a novas tecnologias, produtos e processos. Rio de Janeiro: Axcel Books do Brasil, 2004.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Metodologia do Trabalho Cientifico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório,

publicações e trabalhos científicos. 4. ed. São Paulo: 2001.

OLIVEIRA, Antonio Benedito Silva; AMARAL, Amaury de Souza. Pronunciamento Contábil 01: Medida e Evidenciação do Valor Recuperável de Ativos. São Paulo:

Atlas, 2013.

PEREIRA, Amanda Caroline Diniz; FARIA, José César de. Redução ao valor recuperável de ativos – conceito e impacto na empresa Gerdau S.A. XIV Encontro

Latino Americano de Iniciação Científica e X Encontro Latino Americano de Pós-Graduação – Universidade do Vale do Paraíba, São Paulo, 2010. Disponível em:

. Acesso em: 09 mar. 2016.

PEREIRA, Maria Luisa D. de S. Sanabio. Teste de recuperabilidade de ativos: análise da conformidade com os requisitos de divulgação da IAS 36 e do CPC 01

(R1). Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011. Disponível em: . Acesso em: 22 jun. 2015.

SCHMIDT, P., SANTOS, José Luiz dos. Avaliação de ativos intangíveis. São Paulo: Atlas, 2002.

SILVA, Paula D. A; et al. Impairment de Ativos de Longa Duração: Comparação entre SFAS 144 e o IAS 36. São Paulo: USP, 2006. Disponível em: . Acesso em: 21 abr.2016.

SZUSTER, Natan. Contabilidade geral: Introdução à Contabilidade Societária. 2. Ed. São Paulo: Atlas, 2009.

_______; FERNANDES, Fernanda da Silva. Comparação entre Redução ao Valor Recuperável de Ativos e Reavaliação de Ativos. Pensar Contábil, Rio de Janeiro, v. 11, n. 45, p. 5-13, jul./set. 2009. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.