Contabilidade esportiva: ênfase ao faturamento dos clubes de futebol

Ananda Scarssi Krupp, Antonio Osnei Souza

Resumo


O futebol é um dos esportes mais acompanhados do mundo, e à medida que ele cresce, os clubes que praticam essa modalidade esportiva crescem também. Para que essas entidades possuam condições de se manter com boa saúde financeira, é indispensável que tenham um bom faturamento, para assim conseguirem fazer investimentos e arcar com suas despesas. Partindo desse ponto, o presente estudo busca identificar quais os fatores que influenciam monetariamente o faturamento dos clubes de futebol no Brasil, bem como classificar quais são suas principais receitas, além de relacionar os custos dos clubes com os respectivos faturamentos. Para chegar aos objetivos propostos optou-se por uma pesquisa descritiva, de abordagem qualitativa e quantitativa, com delineamento bibliográfico e documental, adquirindo-se as demonstrações contábeis dos 10 (dez) principais clubes do Brasil. Além disso, foi feito um estudo de leis, livros e artigos. Os resultados mostram uma evolução de 26% no faturamento total no ano de 2015 em relação a 2014, e uma dependência muito grande dos clubes com receitas adquiridas através da transmissão de jogos e venda de direitos dos atletas, que além de serem as que mais cresceram, também são as que mais contribuíram para o faturamento. O valor adquirido com patrocínios e publicidade aparece como terceira maior fonte de receita, seguida por bilheteria e Projeto Sócio Torcedor, que são receitas adquiridos diretamente com a torcida. Arelação dos custos com futebol melhorou em 2015, sendo que apenas 3 (três) clubes não apresentaram evolução nesse quesito.


Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM, Múcio Borges de Pina. Direitos federativos versus direitos econômicos. Disponível em: . Acesso em: 06 abr. 2016.

BASTOS, Paulo Sérgio Siqueira; PEREIRA, Roberto Miguel; TOSTES, Fernando Pereira. Uma Contribuição Para a Evidenciação do Ativo Intangível – Atletas – dos

Clubes de Futebol. Revista Pensar Contábil, v. 9, n. 36, 16 p., 2007. Disponível em: . Acesso em 08 abr. 2016.

BERTUOL, Mayara Karoline; CALÇADO, Danilo. A profissionalização do futebol. Disponível em: . Acesso em: 24 mar. 2016.

BERVIAN, Pedro A.; CERVO, Amado L.; SILVA, Roberto da. Metodologia Científica. 6 ed. São Paulo: Pearson Pretince Hall, 2007.

BRAGA, Douglas Sousa; CRUZ, Alair José e SANTOS, Geovane Camilo. Demonstração de fluxo de caixa: análise por meio dos indicadores financeiros em empresas da BM&F BOVESPA. Revista de Gestão Tecnologia e Ciências (GETEC), v. 1, n. 2, p. 79-99, 2012.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, 1988. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2016.

BRASIL. Lei n° 9.615, de 24 de março de 1998. Institui normas gerais sobre o desporto e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 27 mar. 2016.

BRASIL. Lei n° 10.671, de 15 de maio de 2003. Dispõe sobre o estatuto de defesa do torcedor e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 27 mar. 2016.

BRASIL. Lei n° 13.155, de 4 de agosto de 2015. Cria o programa de modernização da gestão e de responsabilidade fiscal do futebol brasileiro e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 17 jun. 2016.

CARDOSO, Marcos Vinícius; SILVEIRA, Marcelo Paciello. A importância da adoção do sócio torcedor como estratégia de inovação para aumentar as receitas dos clubes de futebol no Brasil. Revista PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review, ed Especial, v. 3, n. 3, p. 12-24, 2014. Disponível em: .Acesso em: 04 abr. 2016.

CASTRO, Bruno; VALLADÃO, Rafael. Um ensaio histórico sobre o surgimento do futebol, dos clubes de futebol carioca: Vasco, Flamengo, Fluminense e Botafogo e suas tendências elitizadas e populares. Efdeportes-Revista digital. Ano 13, n° 126, Buenos Aires: 2008. Disponível em: .Acesso em: 23 mar. 2016.

CHAS, Thiago M. Prates; PELINSON, Fabiana. Direitos televisivos e a ousadia da gestão no futebol: O caso Benfica TV. In: VII SIMPÓSIO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CIBERCULTURA, 2013, Curitiba. ANAIS ELETRÔNICOS ABCIBER 2013. Disponível em: . Acesso em: 04 abr. 2016.

CLUBE ATLÉTICO MINEIRO. História. Disponível em: . Acesso em: 21 mar. 2016.

COSTA, Frederico Lustosa da; MARINHO, Elza. Fome de bola: O futebol no Brasil e os desafios da gestão esportiva. Revista Portuguesa e Brasileira de Gestão, v.4, n.1,p. 42-55, Lisboa, 2005. Disponível em: . Acesso em: 04 abr. 2016.

COSTA, André Lucirton e MARQUES, Daniel S. Pitta. Governança Corporativa e Clubes de Futebol Profissional: Um Estudo de Caso com um Clube do Estado de

São Paulo. In: EnANPAD 2006, 2006, Salvador. Disponível em: . Acesso em: 16 mar. 2016.

CONRAD, Vinícius. Parabéns ao vovô do futebol brasileiro. Disponível em: . Acesso em:

mar. 2016.

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE. Resolução n° 1.121, de 28 de março de 2008. Aprova a NBC T 1 - Estrutura Conceitual para a Elaboração e Apresentação das Demonstrações Contábeis. Disponível em: . Acesso em: 18 mar. 2016.

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE. Resolução n° 1.429, de 25 de janeiro de 2013. Aprova a ITG 2003 - Entidade Desportiva Profissional. Disponível em:

. Acesso em: 03 abr. 2016.

CRUZEIRO ESPORTE CLUBE. História. Disponível em: . Acesso em: 21 mar. 2016.

DUARTE, Orlando. Futebol: regras e comentários. São Paulo: Senac, 2005.

ESTENDER, Antônio Carlos. A importância da administração profissional para os clubes de futebol. Revista Administração em Diálogo, v.15, n. 3, p. 18-32, São Paulo, 2013. Disponível em: .

Acesso em: 04.abr. 2016. FEDERAÇÃO INTERNACIONAL DE FUTEBOL. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2016.

FERREIRA, Matheus Viana. Origem e regulamentação do futebol, Revista Jus Navigandi. Ano 20, n. 4390. Teresina, 2015. Disponível em: . Acesso em: 17 mar. 2016.

FILHO, Manoel Henrique de Amorim; SILVA, José Antônio Felgueiras da. A Gestão de Clubes de Futebol – Regulação, Modernização e Desafios para o Esporte no

Brasil. Revista Interesse Nacional, 18. ed., 2012. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2016.

FREITAS, Ernani César de; PRONDANOV, Cleber Cristiano. Metodologia do Trabalho Científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. 2

ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

FREITAS, Armando; VIEIRA, Sílvia. O que é Futebol: histórias, regras, curiosidades.Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2006.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas, S.A. 2002.

GIOVANNINI, Cristiane Junqueira. et al. O Torcedor-Consumidor: Identificação com os Clubes e Barreiras para a Adoção do Programa Sócio Torcedor. In: XXXVIII EnANPAD, 2014, Rio de Janeiro. Disponível em: . Acesso em: 17 abr. 2016.

GUERRA, Márcio de Oliveira. O jogo da moda: a transformação do futebol em negócio. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2016.

GONÇALVES, Emerson. Direito federativo, direitos econômicos. Disponível em: . Acesso em: 06 abr. 2016.

GRÊMIO FOOT-BALL PORTO ALEGRENSE. História. Disponível em: . Acesso em: 21 mar. 2016.

ITAÚ BBA. Análise Econômico Financeira dos Clubes de Futebol Brasileiros. Disponível em: . Acesso em: 05 abr. 2016.

IUDÍCIBUS, Sérgio de. Análise de Balanços. 7 ed. São Paulo: Atlas S.A.,1998.

LEONCINI, Marvio Pereira; SILVA, Márcia Terra da. Entendendo o futebol como um negócio: um estudo exploratório. Revista Gestão e Produção, v.12, n. 1, p. 11-23,2005. Disponível em: . Acesso em: 07 abr. 2016.

LOUZADA, Roberto. Identidade e Rivalidade entre os Torcedores de Futebol da Cidade de São Paulo. < http://www.uff.br/esportesociedade/pdf/es1708.pdf>. Acesso em: 14 mar. 2016.

MARQUES, Luiz A. Magalhães. 2003. Mídia e Futebol: A Paixão se explica? Breve relato dos torcedores sem fronteiras. 66 p. Monografia (Graduação) – Universidade Federal de Roraima, Boa Vista, 2003.

MENDES, Célio. Qual a importância do torcedor? Disponível em: . Acesso em: 05 abr. 2016.

OLIVEIRA, Alessandro Aristides de; SILVA, Andréia Regina da; ZUCCARI, Solange Maria de Paula. A análise das demonstrações contábeis e sua importância para

evidenciar a situação econômica e financeira das organizações. Revista Eletrônica Gestão de Negócios, v. 1, n. 1, 13 p., São Roque, 2010. Disponível em:

. Acesso em: 17 abr. 2016.

PRONI, Marcelo Weishaupt. Esporte-Espetáculo e Futebol-Empresa. 1998. 262 p. Tese (Doutorado de Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Federal de Campinas, Campinas, 1998. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2016.

REVISTA VEJA. Clubes brasileiros estão entre os campeões de sócios-torcedores no mundo. Veja esporte online, 2015. Disponível em: . Acesso em: 17 abr. 2016.

SANTOS FUTEBOL CLUBE. História. Disponível em: . Acesso em: 13 mar. 2016.

SANTOS, Geovane Camilo; SILVA, Laise Teixeira. Liquidez e Endividamento dos Clubes de Futebol do Campeonato Brasileiro – Um fator preocupante a continuidade do futebol? In: CONGRESSO DE CONTABILIDADE UFSC, 2015, Florianópolis. Disponível em: http://dvl.ccn.ufsc.br/congresso_internacional/anais/6CCF/74_15.pdf> Acesso em: 25 mar. 2016.

SARMENTO, Carlos Eduardo. A regra do jogo: uma história institucional da CBF. CPDOC – Fundação Getúlio Vargas,176 p., Rio de Janeiro, 2006. Disponível em:

. Acesso em: 13 mar. 2016.

SOARES, Sheila Moraes. 2005. A contabilidade nos clubes de Futebol. 103 p. Monografia (Graduação) – Curso de Ciências Contábeis do Centro Universitário

Nove de Julho, São Paulo, 2005. Disponível em: . Acesso em: 20 mar. 2016.

SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS. História. Disponível em: . Acesso em: 13 mar. 2016.

SOMOGGI, Amir. 2013. Receitas com licenciamento dos clubes brasileiros. Disponível em:

licenciamento-dos-clubes-brasileiros-Dezembro-de-2013.pdf>. Acesso em: 25 jul. 2016.

SPORT CLUB INTERNACIONAL. História. O Princípio do Clube do Povo. Disponível em: .

Acesso em: 21 mar. 2016.

UNIVERSIDADE DO FUTEBOL. Licenciamento esportivo no futebol brasileiro. 2007. Disponível em: . Acesso em: 25 jul.2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.