As estratégias de internacionalização de empresa do ramo coureiro-calçadista do município de Nova Hartz - RS

Rodinei Bortoluzzi de Jesus, Dilani Silveira Bassan

Resumo


Este trabalho busca mostrar como uma empresa do setor coureiro-calçadista, do município de Nova Hartz, localizado na região do Vale do Rio dos Sinos, no estado do Rio Grande do Sul, realizou seu processo de internacionalização e quais estratégias foram adotadas. O setor coureiro-calçadista tem um importante espaço no comércio internacional brasileiro, fazendo com que o Brasil seja um dos principais produtores e exportadores de calçados no mundo. O  Rio Grande do Sul é o principal responsável por essa importante cadeia produtiva. Quanto à natureza desta pesquisa, ela é qualitativa e exploratória. O método de coleta de dados se deu por meio de um estudo de caso. Foi possível identificar que a empresa optou pelo comércio internacional para suprir a necessidade que tinha devido a sua capacidade ociosa, causada pela competitividade no mercado doméstico. No início das primeiras exportações, a empresa não estava preparada para esse desafio, entretanto, hoje possui um padrão de qualidade, tecnologia de produção e mão de obra qualificada, fazendo com que os produtos tenham um custo médio considerável em relação à média nacional e mundial.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES FILHO, A.G. Estratégia tecnológica, desempenho e mudança. 1991.

ANGONESI, Taís Marcon. Estratégias de Internacionalização das Empresas do Setor de Máquinas e Equipamentos para Couro e Calçados do Vale do Rio dos Sinos no estado do Rio Grande do Sul: Estudo de Campo com Sete Empresas de Micro, Pequeno e Médio Porte. São Leopoldo: UNISINOS, 2005.

ARRUDA, Carlos Alberto; GOULART, Linda; BRASIL, Haroldo Vinagre. Estratégias de Internacionalização: competitividade e incrementalismo.In: Fundação Dom Cabral. A internacionalização de empresas brasileiras. Rio de Janeiro: Qualitymark Editora, 1996.

BARRETTO, A. A internacionalização da firma sob o enfoque dos custos de transação. In: Rocha, A. da (Org.). A Internacionalização das Empresas Brasileiras: estudo de gestão internacional. Rio de Janeiro: Mauad, 2002.

BRASIL, Haroldo Vinagre. Internacionalização e Globalização. In: Fundação Dom Cabral. A internacionalização de Empresas Brasileiras. Rio de Janeiro: Qualitymark editora, 2006.

CATEORA, Philip, R.; GRAHAM, John L.. Marketing Internacional. 10 ed. Rio de Janeiro: LTC, 2001.

CHURCHILL JR., Gilbert; PETER, J. Paul. Marketing: Criando valor para o cliente. São Paulo: Saraiva, 2000.

FLEURY, A.; FLEURY, M.T. L.Internacionalização e os Países Emergentes. São Paulo: Editora Atlas S. A., 2007.

FISCHER, Bruno Brandão. Relação Entre Estratégias de Entrada em Mercados Estrangeiros e Performance Exportadora Resultante em Empresas Brasileiras.

FACEF Pesquisa. Nº 3, 2006.

FREITAS, Hugo Gouveia de Freitas; BLUNDI, Mari Domenica; CASOTTI, Letícia Moreira. Internacionalização da churrascaria plataforma: Peculiaridades da Cultura Brasileira como Diferencial Competitivo. EnApad, Salvador-BA, 2002.

GARCIA,R.C. Aglomerações setoriais ou distritos industriais: um estudo da indústrias têxtil e de calçados no Brasil, 2001.

KOTLER, Philip. Administração de Marketing.10. ed. São Paulo: Pirentice Hall, 2000.

KOTLER, Philip. Administração de Marketing: análise, planejamento, implementação e controle. 4.ed. São Paulo: Atlas, 1995.

KRAUS, P. G. Modelo de internacionalização de empresas produtoras exportadoras brasileiras. Florianópolis, 2000.

LIMA, Tatiana de Macedo Nogueira. GATT/OMC: Uma Análise Institucional, Dissertação (Mestrado) – Universidade de São Paulo, 2004.

LUDOVICO, Nelson, Como preparar uma empresa para o comércio exterior. São Paulo: Saraiva, 2009.

LUDOVICO, Nelson. Preparando sua empresa para o mercado global. São Paulo: Thomson, 2002.

MAIA, Jaime de Mariz. Economia Internacional e Comércio Exterior. São Paulo: Atlas S. A., 2008.

MANFRÉ, Maurício. Manual de Gestão do Comércio Internacional, Fundamentos, Estratégias e Ações. Brasília : Clube de Autores, 2009.

PRAZERES, Tatiana. Comércio Internacional, Protecionismo e barreiras técnicas na OMC. São Paulo: Aduaneiras, 2003.

RATTI, Bruno. Comércio Internacional e Câmbio. 10. ed. São Paulo: Aduaneira, 2000.

SANDRONI, Paulo. Novíssimo Dicionário de Economia. 5. ed. São Paulo: Best Seller, 2000.

SLACK, N.; CHANBERS, S.; HARLAND, C.; HARRISON, A,; JOHNSTON,R. Administração da produção. São Paulo: Atlas, 1997.

VASCONCELLOS, Marco Antônio S. Gestão de Negócios Internacionais. São Paulo, Saraiva, 2006.

WILLIAMSON, O. E. The economic institutions of capitalism. New York: The Free Press, 1985.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.