O Clima Organizacional e a sua importância na equipe escolar: um estudo de caso na Escola Municipal de Ensino Fundamental José Schmidt em Nova Hartz-RS

Ricardo Behling Spechet, Leila Maria Bischoff

Resumo


O tema Clima Organizacional, a ser abordado no presente artigo, tem se tornado ao longo do tempo um termômetro para medir o ambiente laboral ao identificar fatores e proporcionar estudos e diagnósticos que contribuam para o ajuste de inconformidades ou mesmo provocar propostas de melhorias que possam favorecer ou intensificar o sucesso das pessoas e da organização. Para melhor entendê-lo buscaram-se subsídios em pesquisa bibliográfica e de campo, através de um estudo de caso realizado na Escola Municipal de Ensino Fundamental José Schmidt, de Nova Hartz, RS. O quadro funcional conta com dezesseis funcionários, em que dez deles, entre professores, pessoal administrativo e de cozinha, escolhidos aleatoriamente, consentiram em participar de uma pesquisa de clima, onde se pudesse avaliar como se figura o clima organizacional, naquele ambiente escolar, que até então nunca havia realizado uma avaliação como processo interno de averiguação de suas rotinas ou para analisar a instituição, o trabalho em equipe e a comunicação no ambiente laboral. O uso desta ferramenta, que consta de um questionário com dez questões fechadas, cujos conceitos serão medidos qualitativa e quantitativamente através de escala Likert, permite, em curto prazo, investigar a identificação de critérios e atributos valorizados pelas pessoas, bem como a necessidade de realizar capacitações e treinamentos que possam auxiliar no desenvolvimento e relacionamento interpessoal dos envolvidos, qualificados como pessoas com a responsabilidade também de contribuir com a difícil tarefa de moldar a sociedade, sem modificar a essência de cada um. Os resultados da pesquisa atenderam às expectativas do quadro organizacional, que poderá, a partir do feedback, implantar ações reparativas e de melhorias no ambiente laboral, tornando-o, numa visão holística, ainda mais motivador, transformador e crível.


Texto completo:

PDF

Referências


CHIAVENATO, Idalberto. Recursos humanos. Edição compacta. 3.ed. São Paulo: Atlas, 1995.

____________________. Administração de recursos humanos. 4.ed. São Paulo: Atlas, 1999.

____________________. Gerenciando Pessoas: Como transformar gerentes em gestores de pessoas. São Paulo, 2003.

____________________. Gestão de pessoas: O Novo Papel dos Recursos Humanos nas Organizações. 6. ed. São Paulo: Atlas. 2006.

____________________. Administração de Recursos humanos: Fundamentos Básicos. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010

COSTA, Daniel. Endomarketing Inteligente. Porto Alegre: Dublinense, 2010.

DAVIS, Keith. NEWSTRON, John W. Comportamento no trabalho: Uma abordagem psicológica. V. 1 Tradução Cecília Withaker Bergamini e Roberto Coda. São Paulo: Pioneira Thomson Leaning. 1992.

DEWES, FERNANDO. Comportamento Organizacional: Temas Selecionados. Taquara. 2007.

DIAS, Reinaldo. Cultura Organizacional. São Paulo: Alínea, 2003.

Gil, Antônio Carlos. Gestão de pessoas: Enfoque nos papéis profissionais. São Paulo: Atlas, 2001.

_________________. Como elaborar projetos de pesquisa. 4ª edição. São Paulo: Atlas, 2002.

_______________. Como Elaborar Projetos de Pesquisas. 5ª edição. São Paulo: Atlas, 2010.

KANAANE, Roberto. Comportamento Organizacional nas Organizações: O Homem Rumo ao Século XXI. São Paulo: Atlas, 1995.

KUNSCH, Margarida M. K. Planejamento de Relações Públicas na Comunicação Integrada. 3. ed. São Paulo: Summus, 2003.

LACOMBE, Francisco José Masset. Recursos humanos: princípios e tendências. São Paulo: Saraiva, 2005.

LIBÂNEO, J. C. Organização e Gestão da Escola: teoria e prática. 5ª edição.

Goiânia: Editora Alternativa, 2004.

LIKERT, R. A technique for the measurement of attitudes. Archives of Psychology. n. 140, 1932.

LUZ, Ricardo. Gestão do clima organizacional. Rio de Janeiro : Qualitymark Editora Ltda. 2003.

_____________. Gestão do clima organizacional. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2012.

MARQUES, José Roberto. A importância do relacionamento interpessoal no ambiente de trabalho. São Paulo, dezembro 2013.

Disponível em Acesso em 17 de abril de 2016.

MARRAS, J. P. Administração de Recursos Humanos: do operacional ao estratégico. São Paulo: Futura, 1999.

MAXIMIANO, A. C. A. Teoria geral da administração: da revolução urbana à revolução digital. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2004.

MAZZA, Sidney. A comunicação empreendedora: Como gerenciar conflitos no ambiente de trabalho. Editora Nova Prova, 1996.

MEGGINSON, Leon C.; Donald C. MOSLEY, Paul H. PIETRI JÚNIOR. Administração: Conceitos e aplicações. São Paulo: Harbra, 1986.

MISSUNAS, Rafael Carvalho. Gestão de pessoas e relação no trabalho: A importância da análise do clima organizacional. Rio Grande, junho 2012. Disponível em Acesso em 13 de março de 2016.

PARODE, Scheila Maiquiele. Relações interpessoais no ambiente de trabalho: estudo de caso. Taquara: FACCAT, 2008.

PEREIRA, Lisiane Andrade. Clima Organizacional: A influência na motivação dos funcionários. Porto Alegre, Junho 2011. Disponível em Acesso em 18 de abril de 2016.

TACHIZAWA, TAKESHY; FERREIRA, VICTOR CLÁUDIO; FORTUNA, ANTÔNIO MELLO. Gestão com pessoas: Uma abordagem aplicada às estratégias de negócios. Rio de Janeiro: Editora FGB. 2001.

TACHIZAWA, T. Gestão de pessoas: uma abordagem aplicada às estratégias de negócios / Takeshy Tachizawa, Victor Cláudio Pradela Ferreira e Antonio Alfredo Mello Fortuna. 5.° Ed. – Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

WOOD JR. T.; TONELLI, M. J. COOKE, B. Colonização e neocolonização da Gestão de Recursos Humanos. Rac. Revista da Administração Contemporânea. São Paulo, maio/junho 2011. Disponível em Acesso em 5 de março de 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.