A IMPORTÂNCIA DA DISSOCIAÇÃO ENTRE AS FINANÇAS EMPRESARIAIS E AS FINANÇAS PESSOAIS DOS EMPRESÁRIOS INDIVIDUAIS DO MUNICÍPIO DE TAQUARA/RS

Luiz Guilherme Hugentobler, Regina Heidrich

Resumo


Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa exploratória-descritiva, que tem por finalidade analisar a importância da dissociação entre as finanças empresariais e as finanças pessoais dos empresários individuais, do município de Taquara/RS. O estudo também analisa os impactos e as causas da mistura entre os recursos financeiros e quais as formas de dissociação utilizadas. Os resultados mostram que a importância da busca por informações sobre dissociação financeira é vista como fator essencial à categoria. Alguns motivos, como a não necessidade de prestar contas para sócios, problemas financeiros e a não existência de planejamento, são as principais causas da mistura entre finanças. As considerações sobre os impactos da combinação dos recursos monetários conduzem à constatação de que o profissional perde o controle financeiro e fica sem visibilidade dos gastos. Os métodos mais utilizados pelos empresários na separação dos recursos são: caderno de anotações, planilhas e fluxo de caixa.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Clarice. Gerenciamento financeiro. 2015. Disponível em: . Acesso em: 24 abr. 2019.

BRASIL. Lei nº. 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Institui o Código Civil. Diário Oficial da União [República Federativa do Brasil], 11 jan. 2002. Seção 1, p. 1. Disponível em: . Acesso em: 13 out. 2019.

CHEROBIM, A. P. M. S.; ESPEJO, M. M. dos S. B. (Org.). Finanças Pessoais: Conhecer para enriquecer. São Paulo: Atlas, 2010.

COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de direito comercial, volume 1: direito de empresa. 13. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE. Princípio Fundamentais e Normas brasileiras de Contabilidade. 3. ed. Brasília, 2008. Disponível em: . Acesso em: 7 mar. 2019.

FÉRES, Marcelo Andrade. Empresa e empresário: do Código Civil Italiano ao novo Código Civil brasileiro. In: VIANA, Frederico Rodrigues (Coord.). Direito de empresa no novo Código Civil. Rio de Janeiro: Forense, 2004. p. 37-69.

FERNANDES, Regina. Contas pessoais + contas da empresa = problemas, na certa! Saiba por que e como separar. 2018a. Disponível em: . Acesso em: 27 abr. 2019.

______. Pró-labore: Um Guia com tudo o que você precisa saber. 2018b. Disponível em: . Acesso em: 9 abr. 2019.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002.

JUCISRS – Junta Comercial, Industrial e Serviços do Rio Grande do Sul. Inscrição de empresário individual. Disponível em: . Acesso em: 7 abr. 2019.

JUNG, Carlos Fernando. Metodologia para pesquisa e desenvolvimento: Aplicada a novas tecnologias, produtos e processos. Rio de Janeiro: Axcel Books do Brasil, 2004.

MARION, José Carlos. Contabilidade Empresarial. 15. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

MORAES, R. Carlos. Finanças pessoais x Finanças empresarias. 2015. Disponível em: . Acesso em: 2 abr. 2019.

NIKOLAY, A. Sergio. Administração Financeira. Manual da disciplina, 2015. Disponível em: . Acesso em: 21 abr. 2019.

SEBRAE/RS. Como definir um Pró-Labore. Disponível em: . Acesso em: 9 abr. 2019a.

______. Perfil das cidades gaúchas – Taquara 2019. Disponível em: . Acesso em: 2 abr. 2019b.

______. Quais os tipos de empresas. Disponível em: . Acesso em: 1 nov. 2019c.

SILVA, Edson Fernandes. Apostila Administração Financeira. Belo Horizonte: Pontifícia Católica de Minas Gerais, 2002.

ZDANOWICZ, José Eduardo. Fluxo de caixa. 7. ed. Porto Alegre: Sagra Luzzatto, 1998.

ZENKNER, D. Finanças pessoais: uma análise da gestão financeira das famílias com renda acima de 10 salários mínimos do município de Lajeado. 2012. Monografia (Graduação) – Curso de Administração, Centro Universitário Univates, Lajeado, 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.