QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: UM ESTUDO DAS DIMENSÕES BIOLÓGICAS, PSICOLÓGICAS, SOCIAIS E ORGANIZACIONAIS EM UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO

Liliana Rubia do Amaral Reis, Roberto Tadeu Ramos Morais

Resumo


O artigo apresenta os resultados de uma pesquisa que teve como objetivo analisar a percepção dos colaboradores de uma cooperativa de crédito bancário – três agências −no que se refere à qualidade de vida no trabalho. Foram analisadas as dimensões biológicas, psicológicas, sociais e organizacionais. Neste estudo, de caráter quantitativo, foi utilizado um questionário estruturado com perguntas tipo Likert, a abordagem utilizada foi estudo de caso, sustentada pela pesquisa bibliográfica, e, quanto aos objetivos, foi classificada como exploratória. A literatura especializada aponta que a percepção de uma boa qualidade de vida no trabalho influencia, de maneira positiva, a qualidade total da organização, trazendo satisfação e bem-estar (físico e mental) aos colaboradores. Envolve fatores determinantes que influenciam o comportamento individual e grupal, ao passo que o trabalho insatisfatório pode levar ao sofrimento, ao desgaste emocional e até mesmo impactar na produtividade, repercutindo, assim, de forma direta, nos resultados organizacionais. Os resultados da pesquisa evidenciam que a qualidade de vida no trabalho afeta diretamente a satisfação e a motivação dos colaboradores e que o estresse é o principal gerador de insatisfação no trabalho. Observou-se, também, que os gestores desempenham um papel fundamental, por meio das práticas adotadas, na qualidade de vida no trabalho.

Texto completo:

PDF

Referências


BASTOS, Antônio Virgínio Bittencourt; PINHO, Ana Paula Moreno; COSTA, Clériston Alves. Significado do trabalho: um estudo entre trabalhadores inseridos em organizações formais. In: RAE – Revista de Administração de Empresas, v.35, n.6, p. 20-29, São Paulo, 1995.

BOND, Maria Thereza; BUSSE, Ângela; PUSTILNICK, Renato. Qualidade total: o que é e como alcançar. Curitiba: InterSaberes, 2012.

COSTA, Francisco J. Mensuração e desenvolvimento de escalas: aplicações em administração. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2011.

CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativos, quantitativos e mistos. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

DAVIS, Keith; NEWSTROM, John W. Comportamento humano no trabalho: uma abordagem organizacional. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2004.

FARIAS, Tarcísio Fagner Aleixo. O conceito de trabalho nos manuscritos econômico-sociológicos de Karl Marx. 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 jul. 2017.

FERNANDES, Eda Conte. Qualidade de vida no trabalho: como medir para melhorar. 2. ed. Salvador/BA: Casa da Qualidade, 1996.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2009.

GRIFFIN, Ricky W.; MOORHEAD, Gregory. Fundamentos do comportamento organizacional. Tradução Fernando Moreira Leal; André Siqueira Ferreira. São Paulo: Ática, 2006.

LIMONGI-FRANÇA, Ana Cristina. et al. Manual de gestão de pessoas e equipes: estratégias e tendências. São Paulo: Gente, 2002.

MAXIMIANO, Antônio Cesar Amaru. Teoria geral da administração: da revolução urbana à revolução digital. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

RODRIGUES, Marcos Vinícius Carvalho. Qualidade de vida no trabalho: evolução e análise no nível gerencial. 9. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2002.

ROESCH, Sylvia Maria Azevedo. Projetos de estágio e pesquisa em Administração: guia para estágios, trabalhos de conclusão, dissertações e estudo de caso. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

SILVA, Reinaldo O. da. Teorias da Administração. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2008.

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 10. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

WAGNER III, J. A.; HOLLENBECK, J. R. Comportamento organizacional: criando vantagem competitiva. 2. ed. Tradução Cid Knipel Moreira. São Paulo: Saraiva, 2009.

WALGER, Carolina; VIAPIANA, Larissa; BARBOZA, Mariana Monfort. Motivação e satisfação no trabalho: em busca do bem-estar de indivíduos e organizações. São Paulo: InterSaberes, 2014.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Trad. Daniel Grassi. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.